sexta-feira, 30 de abril de 2010

Este e o outro mundo - Firenze/Assisi - Dia 23/04/2010

Ao me levantar, há indicios de um solzinho e como ontem fez um super sol em Pizza, coloquei um casaco mais fresquinho. (orgulho).
O trem está atrasado, ou seja, talvez meu jantar em Cortona dance, já que são três horas para ir e três para voltar de Assisi (Assis).
Minha unha está um horror, toda descascada, amarelada, não sei como se chama acetona aqui e também não tive tempo de ir numa fármacia. (vaidade)
Como a viagem é longa, fiquei brincando no trem de tirar fotos de mim, acho que perdi a vergonha..rss (vaidade)

Os velhinhos acham graça.
Na estrada paisagens lindas, casas de pedras com suas flores, campo de treino de arco e flecha, passo por Cortona, Perugia, Maggiore, uma do lado da outra, o trem pará em quase todas elas, estradinhas, curvas, e carrinhos piccolos esperando na catraca o trem passar.
Chegando em Assis uma chuva forte, ainda bem que trouxe meu guarda-chuva, pergunto para a única pessoa que caminha naquela chuva ferrada como faço para ir para a igreja de São Francisco, ela fala em Italiano para eu voltar para a estação comprar o bilhete de bus que o ônibus passa em cinco minutos...fico ali meio digerindo tantas informações em outra língua quando ela me manda...vá...vá...rsss (raiva..rss)
Bom vou na Tabacchi que é onde vende os bilhetes, às vezes até para os trens e compro o bilhete para bus e o moço me explica onde é o ponto, também compro um guia que contêm um mapa, sem essas coisinhas eu não sobrevivo nem um segundo..rss...só tem em espanhol...afff.
Realmente o ônibus chega em segundos, no bus a incerteza de que ponto descer, sigo a maioria, vejo que a igreja de São Francisco é no primeiro ponto, mas ninguém desceu...fico imaginando por que..rss
É por que lá de cima, você vai descendo e vendo tudo pelo caminho, ao invês de subir, entende? (preguiça)
Descemos todos no ponto final (Piazza Mattoli).
As casinhas medievais, de pedra, cheias de flores são encantadoras e bem diferentes de tudo que temos aqui no Brasil, mesmo quem não for religioso, católico, deve visitar essa cidade só para curtir a arquitetura tão peculiar.











Eu não sou católica, mas amo São Francisco de Assis.
A primeira igreja no caminho, são várias, é a de São Rufino (que eu nunca tinha ouvido falar), todas são lindas, cheias de ouro, imponência e pinturas lindissimas, acendo uma vela para esse santo misterioso para mim e que seja ele poderoso..rss.













Vejo também o Templo de minerva













Piazza Delle Comune













Tomo um chá para ver se me esquento.













Igreja de Santa Clara (Chiara), por quem São Francisco nutria um amor e era retribuido, mas como resolveu seguir o caminho do celibato, Santa Clara também fundou uma ordem religiosa feminina muito parecida com o do seu amor.
Eu quero um amor tão profundo como este (Lúxuria..rsss)









Igreja Nova, onde em sua piazza tem essas esculturas em homenagem aos pais de São Francisco por terem dado ao munda essa alma tão iluminada.









E já que ainda estou nesse mundo e preciso de alguns prazeres como um doce maravilhoso italiano, caríssimo que aquece meu corpo e por que não minha alma. (gula)










Continuo descendo para encontrar a igreja de São Francisco e pelo caminho várias paisagens e várias tentativas de tirar fotos com guarda-chuva, sacolas, guia e tudo mais. Um gringo que passa fica sensabilizado e me diz se quero que ele tire para mim, digo que sim...rsss...e ele diz "Belissima"...rssss...seguem dizendo sabe o que lá de mim....(vaidade)











E sigo para São Francisco, são duas igrejas ligadas, com certeza ela é muito grande e imponente para o gosto de São Francisco que queria ser enterrado no lugar mais triste da cidade, num morro, onde hoje estão construidas as suas igrejas, mas entendo também que um santo como ele, que tanto chama a atenção de tantas pessoas de várias partes do mundo não poderia ter uma capelinha minúscula.


Penso também que tão iluminado como é São Francisco que ele nem deve se preocupar com esse tipo de coisa.
Tento rezar, agradecer a ele e a Deus a oportunidade de estar aqui vivendo, tentando evoluir cada vez mais.
Que eu consiga melhorar cada dia mais, mas que eu sempre me lembre que vivo neste mundo de provas e expiações e que tenho que achar o equilibrio entre este mundo, o consumismo, vaidades, prazeres e aquele que é nossa verdadeira casa, onde somente a nossa alma importa.
A chuva continua e depois de visitar a catedral desço para a estação.
Ahhhh sem esquecer de dar a São Francisco o abraço especial que minha mãezinha mandou.
Próximo trem para Firenze 17h17, com essa chuva, desisto de Cortona, como no MC perto da estação, fico lá esperando o trem e embarco.
Estou morrendo de frio com meu casaquinho mais fresquinho..rsss...
No trem encolhida, molhada, cansada, o bilheteiro me diz duas vezes que o ar quente daquele vagão está quebrado para eu ir para o outro..só consigo entender muito tempo depois..rsss...quase no meio do caminho.

Sigo para o outro vagão, realmente confortável e quentinho e aproveito meu fim da viagem.
Sem forças para sair janto maçã, água e chocolate Kit Kat, meu vicio.(Gula)
Por que não tem Kit Kat pra vender aqui??????????????????? E quando meu estoque acabar o que será de mim???????????????????????????????????????????????????
Meu corpinho sentirá falta e minha alma finge que não..rss

Nenhum comentário:

Postar um comentário