sexta-feira, 30 de abril de 2010

As Piazzas di mi core - Firenze/Roma - 24/04/2010

Meu último dia no hotel chechelento...rsss...tentava não tocar em nada, e se eu tocava em algo que desconfiva não ver pano nem água a séculos eu lavava a mão..rssss.
Acordei às oito e fui dar minha última volta pela cidade que não tem culpa do hotel que escolhi...
Primeira parada é para ver David de Michelangelo, na Galleria Della Accademia, realmente é estupendo, belíssimo, arrebatador, cada músculo, cada detalhe esculpido por um mestre realmente.
O resto do museu tem muitas pinturas, como sempre lindíssimas, mas que já estou meio acostumada a ver..rss
Lá não pode fotografar e só tiro uma foto minha na cadeira entre os vans de uma escada, pensando que estou fazendo escondida, quando desço leio que todo o museu é filmado...saío sorrindo.


Fui fazer as últimas comprinhas de presentinhos pros de casa e passei na frente do Palazzo Medici.

Fui ver o mercado que ainda não tinha visto, lá encontro uma brasileira que trabalha numa das barracas e provo o Tartuffo Al Salse (acho que é assim que escreve) delicioso, mas um potinho minúsculo 6 euros, não comprei, mas me arrependi, se alguém for para lá traz para mim...????Rsss

Corri para o hotel com medo de estar na hora do meu check out, mas moça me tranquilizou que os próximos hospedes do chechelento chegam só a noite..rss
Mas meu trem é às 13h00, sigo para estação de táxi, já que é umas cinco quadras, e minha malas pesam muito.

Como meu trem é às 13h00 e não terei tempo de almoçar, fiz como so Italianos comprei um panino no caminho de volta ao hotel para comer no trem...rss









No trem normal, peço ajuda para um senhor com a mala e ele me ajuda colocando entre as poltronas, mais um lugar descoberto onde podemos colocar as malas...
Cheguei no Hotel Casa Di Penelope em Roma, também pertinho da Termini e toca a campainha e nada...ai meus céus...ligo para o hotel e o moço diz que chegará em três minutos, está chuviscando e estou com um monte de malas na porta do prédio, tomando chuva.
Uma moça chega e também toca a campanhia do hotel, digo a ela que acabei de ligar e que ele está a caminho, começo a perguntar um monte de coisa para ela, se está hospedada lá, se eles não dão a chave, e como você faz quando chega de noite e não tem ninguém e graças a Deus não perguntei se o hotel era bom ou meti o pau por que o homem não estava, a moça em questão é irmã da moça que trabalha lá.
Bom a irmã da moça chegou antes, abriu a porta e fui para meu quarto, super limpo, lindinho, tudo novo.
Adorei!
A bendita chave e eu não nos acertamos...eu realmente tenho dificuldade...rsss
Perguntei se queriam que eu pagasse antes e fizesse o check in, moço disse para eu aproveitar Roma, que a pessoa responsável não estava.
Bom fui dar meu giro por Roma, ver o que falta.
Tomei o metrô para a Piazza Santa Maria Del Popolo, muito linda.


Piazza Spagna com os Trinita Dei Monte (degraus espanhóis):


Depois encontro a Santa Andrea Della Frate e sua Piazza:



Colonna di Marco Aurelio:

Finalmente o Panteon:



Mais uma Santa Andrea:


Campo dei Fiori:



E a última Piazza Navona:









Perto da minha segunda igreja janto um macarrão integral com legumes delicioso e às 21h00 exausta volto para o hotel á pé, com medo e meio perdida..rss
Meu pé não existe, nem reclama mais.
Acabada acabo de tomar banho estou com os pés para cima, como podem ver:

Quando ouço batidas na minha porta, abro e um moço que nunca vi mais gordo, me pede meu passaporte, sem se apresentar nem nada e manda que eu saia para fazer o check in.
Fiquei chocada!
Coloquei meu casaco por cima e fui indignada, achei muita falta de respeito me fazer sair do quarto aquela hora, sendo que quando cheguei ele não estava e o outro moço não quis fazer o Check in.
Na recepção dois sujeitos estranhos, eles são arabes, mulçumanos, sei lá o que, e conversam entre si, na sua língua, sabe lá o que falam, fico muito inibida, o moço do hotel percebe que estou brava e somente agora me diz que ele é o responsável por lá, me cobra, explico que agora aquela hora não tenho todo o dinheiro, mas dou quase tudo, fica faltando 38 Euros (eles não aceitam cartão).
Bom toda a boa impressão do hotel foi por água a baixo com essa conduta do moço.
No mínimo se ele realmente precisasse fazer o check in naquela hora, que batesse com delicadeza na minha porta, pedisse desculpas, se apresentasse e não disse "NOW" para mim....

Nenhum comentário:

Postar um comentário