sexta-feira, 30 de abril de 2010

Torto por linhas retas vou bater na sua porta de noite - Firenze/Pisa - 22/04/2010

Acordei durante a noite pensando que estava na gôndola e que ela me levava para uma luz vermelha na imensidão.
Era eu na cama do hotel que é mole, velha, de molas e balança, vendo a luz de stand by da televisão..rsss
Hoje vai ser tudo torto! A todo momento parece que estou bêbada.
Me arrumei e rumei para a estação, mas quando percebi já estava na hora do trem, achava que o o horário era 9h36 e na verdade era 09h27, ou seja, ele já tinha partido sem mim.
Mas como esses regionais você tem um prazo de dias para usá-lo e pode ser em qualquer horário, desde que o valide (após validar tem seis horas para utilizá-lo).
Tomei o próximo, me sentei e estou lá imaginando como sempre se estou certa, quando uma mulher e um moço bem bonito aparecem, a moça fala um monte de coisa em Italiano e eu só sorrio, ao terminar digo "Io no parlo Italiano"...ela sorri de volta e fala para o moço, que devem estar certo, pois vê em minha passagem, que está na minha mão, que eu também vou para Pisa.

Até os Italianos desconfiam que esteja no trem certo, é por que, eles são via várias região (Arezzo/Empoli), principalmente na Toscana e você fica em dúvida se aquele vai parar na cidade que você quer descer...rrsss.
Bom a moça se sentou a minha frente e o moço largou a mala do meu lado e sumiu.
Eu o achei bonito, como venho achando a maioria dos Italianos..rss...mas foi só, imaginei que estivesse com o moça, se bem que olhava e não conseguia decifrar se ela poderia ser sua mãe, tia, conhecida, etc.
Quando ele voltou começou a puxar assunto, e por incrível que pareça numa mistura muito louca de inglês, espanhol, português e inglês a gente foi se entendendo.
Ele ama o Brasil, futebol, nos acha um povo caliente, quer vir nos visitar, falamos sobre natal que é verão no Brasil, sambra, música, o que fazemos, e até sobre maracugina..rsss... Explico!
Ele perguntou se tomamos muito sorvete no Brasil no verão, eu disse que sim, mas mais de palito, refrescante já que no verão temos mais de 40 graus, ele perguntou que sabores, e eu disse limão, uva, maracujá.
Ele adora maracujá e me falou que lá na Itália só tem a fruta, que não tem sorvete.
Disse que no Brasil utilizamos muito o maracujá, até em suco para quando se está muito nervoso, para relax..rss
Disse ainda a ele que tinha até uma droga/remédio chamado Marcugina..rss
Ele todo preocupado e rindo, me perguntou se era uma droga legal? Rsss
Imaginei eu contrabandiando Maracugina para a Itália..rss.
Bom foi ele que me contou do Vulcão, que fez com que o aeroporto fosse fechado, fiquei achando que estava brincando mas ele perguntou para a moça a frente (que perguntei a ele se a conhecia e ele disse que não) se ela sabia se já tinham sido aberto o aeroporto, ela disse que somente alguns vôos.
Aí na maior lábia brasileira ele me disse que caso eu não embarcasse que eu poderia ficar em sua casa, que ele mora sozinho, sabe cozinhar, e que me daria casa, comida e roupa lavada, e com ajuda do dicionário Italiano/Português ele falou em português se eu poderia pagar adiantado, que era pensão completa e o achei muito brasileiro...rss.
Eu perguntei a ele, já que era a primeira vez que eu validava minha passagem se era apenas aquela carimbadinha e ele no maior jeito Italino, com as mãos levantadas:
"Che cosa vi aspettate che accada, esplode la macchina o qualcosa del genere ..."
(Que espera você que aconteça, que a máquina exploda ou qualquer coisa assim...)
Bom ri muito e a partir daí toda vez que ia validar a passagem lembrava do que ele falou e de sua carinha e tinha um acesso de riso.
Foi uma dificuldade acertar seu nome...rsss...ele se chama Michele (masculino) e Michela  é feminino, rimos muito e passei horas agradavéis com meu primeiro único amigo/paquera Italiano.
Ele me contou que mora em Bari, no Sul da Itália e disse que no Sul os Italianos são calientes como o Brasil, e desdenhou os Italianos das outras regiões quando lhe contei que era o primeiro Italiano com quem eu desenvolvia uma conversa mais longa, disse que ele que era meu primeiro amigo Italiano...rsss
Lembro da ZZ me contar que realmente há uma rixa entre os Italianos de cada região.
Eu particularmente adorei os do Sul...na minha próxima vez na Itália só vou para essa região, que é mais quente...rsss.
Trocamos telefones, dados, tirei foto e infelizmente chegamos a Pisa, nos despedimos já que eu estava a passeio e Mi (olha a intimidade) véio a trabalho, alguém o esperava na estação.

Antes de partir, ele insiste que caso eu não consiga voar para ligar para ele imediatamente...digo que pode deixar que quando menos esperar eu vou estar batendo em sua porta...rsss





Nua - Ana Carolina

Olho a cidade ao redor



E nada me interessa


Eu finjo ter calma


A solidão me apressa






Tantos caminhos sem fim


De onde você não vem


Meu coração na curva


Batendo a mais de cem






Eu vou sair nessas horas de confusão


Gritando seu nome entre os carros que vêm e vão


Quem sabe então assim


Você repara em mim


Quem sabe então assim


Você repara em mim






Corro de te esperar


De nunca te esquecer


As estrelas me encontram


Antes de anoitecer






Olho a cidade ao redor


Eu nunca volto atrás


Já não escondo a pressa


Já me escondi demais






Eu vou contar pra todo mundo


Eu vou pichar sua rua


Vou bater na sua porta de noite


Completamente nua


Quem sabe então assim


Você repara em mim


Quem sabe então assim


Você repara em mim

Fiquei procurando na estação os ônibus indicados que pesquisei na net para o Torre de Pisa, quando vi um dos indicados o tomei. (Lam Rossa s/ número)
Parei na porta, e entrei na Piazza da Torre, ela é realmente chocante, parece que vai tombar a qualquer momento, como tudo na Itália estava lotado.

Segui para onde há a marcação de subida na Torre, que eu já tinha reservado e meu horário era para 12h40 e ainda faltava quase uma hora, fiquei lá de bobeira como a maioria, curtindo o lugar, a grama, o sol.
Esperando a minha hora.

E ela chega!
Começo a subir, que sensação estranha, a escada é torta e você tem que se concentrar para não cair, parece que está bêbado ou em um barco é tudo torto.

Muitas escadas, elas vão dando a volta na torre.
Muitos lances depois você está na primeira parada que eu pensei que fosse a única e já estava desapontada, pois tem uma tela de proteção, a sargentão (guia) ficou me mandando ir, mas o povo empacado acho que também achou que era apenas aquilo não seguia a diante, até que foram.
Aí mais uma escada e você está na parte do sinos, onde pedem para por favor não tocarem nos sinos..rss
aí você percebe que ainda tem mais para subir, só que para chegar na parte dos sinos tem essas escadinhas e esse corrimão longe e te dá a sensação e acho que você está certo que se não se cuidar e pender o corpo para frente, você despenca lá de cima.



















É uma sensação muito louca, de falta de chão, equilibrio, aí você entre as paredes, numa escadinha toda torta, onde só cabe um por vez e chega no topo realmente da Torre, tudo continua torto, mas pelo menos o corrimão lá de cima, te passa mais segurança.




Bom lá você vê a cidade inteira de todos os ângulos suas casas grandes amareladas e alaranjadas, a praça onde você aguardou para subir, juntamente com a igreja enorme, as carruagens que esperam os turistas para uma volta lá em baixo, até que a sargentão te manda descer, acabou a sua hora, são vinte minutos de desequilibrio..rss
A descida é mais fácil, e é engraçado ver o povo que sobe esbaforrido, como você também ficou, e parando entre os lances para recuperar o fôlego e tentar buscar o equilibrio.
Desço tiro mais umas fotinhos e vou para a estação, pretendo passar em Siena.
Encontro pela primeira vez a papelaria Il Papiro que tem coisas lindas realmente. (deliro, amo papelaria)
Sigo para estação pela rua, cheia de faculdades, e quando estou pertinho, quero pegar a planilha do meu roteiro (onde Michele anotou todos os seus dados) e percebo que a perdi....
Sem ela não sei para onde ir, nem como ir, e também fico pensando que não posso perder os dados do meu único amigo, até o momento na Itália, não teve jeito, voltei tudo de novo...rss
Nisso a hora foi sendo perdida ou ganhada, nunca saberemos, volto olhando o caminho por onde vim, e lá perto da Torre, acho o papel todo pisoteado. O pego e resolvo almoçar por lá mesmo.
Almoço e sigo novamente para a estação, o próximo trem saí às 16h20, achei muito tarde para ir para outra cidade, descobrir como andar lá, etc, e desisto de Siena. No trem curto as belas paisagens.








Em Firenze dou uma volta, encontro o álbum bem parecido com a da Il Papiro por um terço do valor...rss
Fui para o hotel e aí, aí, eu me minhas dificuldades com chaves, roscas e afins, a moça fica brava por eu não conseguir abrir a porta.
Janto pizza a Taglio (Pedaço), horrível...rss

Nenhum comentário:

Postar um comentário