quinta-feira, 29 de abril de 2010

Um dia dedicado a comemorar a vida - Veneza - 20/04/2010

Acordei cedo pronta para desfrutar a cidade perfeita e para desfrutar o simples prazer de estar viva, de ter saúde novamente, de pode caminhar, comer, sorrir, falar, viver!
Essa cidade é perfeita por que todos se conhecem, passam com seus carros/barcos e fazem brincadeira uns com os outros, figem que jogam a pegadeira do barco na pessoa que passa no outro barco e esta finge que dá uma cabeçada e ambos riem de suas brincadeiras.
Outro Veneziano, lindo, chega para almoçar no restaurante que estou, avisa a garçonete, que o conhece, que está esperando o Pietro..rsss...o Pietro chega de barco, atraca no portinho na frente do restaurante, senta e todos riem prazerosamente, outros barcos passam e apitam para os dois na mesa, uma mulher que já almoçou saí e senta na mesa dos dois e começam uma conversa permeada com risadas, descontração e garfadas.
São felizes os Venezianos e tem motivos para não serem?
Vivem do turismo e desfrutam de uma das cidades mais lindas do planeta.
Vou cedo para o mercado Rialto, parece uma feira comum se não fosse por ser na beira do canal, seus cheiros e cores impressionantes, talvez seja pela luz especial que há em Veneza, tudo parece que parou no tempo, que é de outra época, uma época de ouro, charme e aparências.
Embora eu procure não mais seguir essa corrente das aparências, há ainda em mim residuos a exaltara tudo isso.
É belo, nos prende a atenção, mesmo que lutemos contra, faz parte deste mundo e foi para ele que viemos, por que dentro de nós o ouro, as sedas e os veludos ainda fazem parte da nossa alma.
Acho um panificio (padaria) e consigo comprar algo bem parecido com nossos pães, é meu café da manhã.

Volto para o hotel deixo minhas comprinhas e vou almoçar, como uma salada com camarão e depois vou para Murano, é rápido 10 minutos de vaporetto.
No caminho o cemitério que me lembra que embora os Venezianos tenham brilhado com seus ouros, vestidos as mais belas sedas e sentado nos pufes de veludo, seus corpos descansam lá e suas almas descansam onde pertencem.
Murano é rico em cores, em delicadeza, em luxo, é difícil controlar seu consumismo, seu desejo de ter tudo, ou pelo menos um de cada..rss

Muitas coisas para casa, para você, para olhar.
Tomo meu primeiro gelatto, não consigo decifrar o seu sabor...rsss

E volto para Veneza, vou direto para San Marco e novamente a igreja já está fechada, ponte dos suspiros em restauro não sei se está aberta ao público.
Janto meu jantar de comemoração de um ano de transplante e penso que sem o ato da minha tia seria quase impossível estar aqui, quero lhe mandar um recadinho no celular, mas não tenho seu número gravado.
Então...Tia...obrigada por ter decidido doar o rim, amor, vida!
Eu te amo muito! E te desejo toda a felicidade do mundo, sem você minha vida não teria tanto brilho.
Meu jantar é em estilo Veneziano de 1820, no Café Florian.

Como um lanche e provo o Tiramissu...que derrete na boca e encanta os meus sentidos. É praticamente um bolo de aniversário.

Fico meio sem jeito de ir na Gôndola sozinha, mas lembro que não sei quando poderei voltar, se poderei, e penso também onde está toda aquela idéia que não há companhia mais agradável do que você mesmo que nunca vai se separar de você...rsss...e que é a pessoa mais apaixonada que existe no mundo por você, que amar a si próprio é o único romance que durará a vida toda...então as favas com a vergonha, vou lá pechincho como todo bom turista, de 100 vai para 80 e o Marcello (rsss) vai me levar por todo o canal por 40 a 50 minutos..rss
É inesquecível, deslumbrante, único e totalmente necessário gondolar em Veneza.
Ponte dos suspiros, Marco Polo, todo o canal, quarenta minutos de puro deleite.
Parabéns amore mio por você não ter desistido mesmo quando tudo estava feio de verdade.
Quando seu corpo, alma e fé estavam feridos.
Por mesmo assim você ter mantido a fé, quando uma grande parte desiste.
Por você ter encarado os desafios de andar de novo, falar, usar o aparelho, superar os pedaços dos dedinhos que não aguentaram, insistido em comer quando nada queria ir para dentro, por ter perdoado a si mesma e perdoado tudo e todos que não eram ou não fizeram como desejava, como esperava.
Obrigada minha querida por ser a pessoa amiga, sincera e honesta, que tenha melhorar sempre, evoluir e que muitas vezes paga em euro...rss
Sei como está seu coração, mas ele está sarando cada dia mais, já vemos mais sorrisos, mais força, mais compreensão, logo seu coração estará cicatrizado e apesar da marca profunda que ficará, o que aprendeu também é profundo demais e tem uma valor inestimado para nós, ele é difícil de explicar ou entender, mas mora dentro de você, pulsa em todos os seus poros e em toda a sua alma e é isso que o faz ser caríssimo, valioso.
E por ser eu a pessoa que mais te amo nesta vida, quero dizer-te que você é muito especial, única, feita para ser feliz (e agora é, nos sabemos) estando na gôndola em Veneza, ou no seu quartinho, por que nós, eu e você descobrimos que ser feliz sem motivo algum (como diz Drummond) é a mais autêntica forma de felicidade.
Depois da Gôndola, comprei minha máscara veneziana de verdade e fui dar meu último passeio de vaporetto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário