domingo, 30 de maio de 2010

Eu tenho que ser eu mesma

Os abimos que pulei
Os muros que criei
As ondas que saltei
Os sonhos que não sonhei

Bati a cabeça tantas vezes
Meus braços esticaram em súplicas
Meus lábios gritaram sem serem ouvidos
Meu corpo sangrou calado

Mas cresci
Me tornei forte
Absoluta
Resoluta

E de tantas formas sou bruta
Preciso ser lapidada
Um pouco mais desencanada
Menos estabanada

Mas eu sou, nada.
Sou só nesta estrada
Sou apaixonada pela vida
Pela chance de tentar de novo

Sou tantas, que as vezes sou dividida
Sou pequena, sou difícil
Sou louca, sou decidida
Sou perdida, sou eu mesma?

Andrea Prado - 30/05/2010

2 comentários:

  1. Obrigada flor...
    Beijocas.
    Que bom que vamos almoçar quero te convidar para o evento do dia 07 e te contar o que espero de você...rsss...na sua apresentação...

    ResponderExcluir