terça-feira, 7 de setembro de 2010

Pedaços da minha alma.

E não é que eu fui lá.
Eu fui para Cornélio antes de fazer as malas para o Chile, o que me deixa muito feliz...
Levei os livrinhos e cada dia, cada hora me vem mais seres em minha memória...um dia vou me dar por satisfeita.
570 já foram distribuidos....
Algumas pessoas não comentam o que acharam e isso me causa uma neorose saúdavel da dúvida, de não saber se agradou ou não, mas posso conviver com isso.
Vi minhas avós que continuam igual.
Meu primo alcoólatra se internou, o que me deixou muito feliz, e na mala seguiu com ele de companhia meu livrinho, pedido por ele, espero que lhe sirva de companhia e que lhe encha de entusiasmo.
Meu Tio também alcoólatra (a bebida faz parte da família do meu pai como o sangue, infelizmente), está muito mal.
Passei uma tarde maravilhosa com minha avó contando e mostrando as fotos da viagem, no fim ela me disse:
"muito obrigada filha pelo tempo gasto com sua avó...". Muito linda!
Depois ganhei meu tempo brincando e me divertindo com meus dois priminhos, o João e a Maria, tão educados, tão lindos.
Maria não queria ir na escola para me esperar, sua avó, minha Tia só a convenceu quando disse que eu é quem ia buscá-la...então eu a busquei e dei toda a minha atenção.

Fui no rancho da minha prima Karla (mãe do João e da Maria), dar volta de barco, pisar na grama, comer muito, e ver meu pai, tio, primo e priminho se deliciarem com suas pescas...

Trouxemos alguns peixes pescado pela minha PRIMA...rsss...




Conversei com minha prima Cris querida, que não via a algum tempo, e me identifico muito com ela, pena que não sou prendada como ela, quando cheguei tinha QUATRO isso mesmo QUATRO pães caseiros em cima da mesa e a fofa que mora só estava terminando a faxina. Ela também costura...oh inveja do bem dela...rsss
Tentei ver minha outra prima Dê, mas ela não podia...infelizmente parti sem a ver, mas não estou tão em divida com ela.
Aí diante de tantas delícias, eu passei muito mal, vomitei e tive disenteria a noite toda, além de febre, o que causa desespero em toda a minha família.
Foi um chororô, é que depois do transplante essa foi a primeira vez que passei mal e o medo de perder o rimzinho faz minha família ter reações multiplicadas.
Confesso que nunca tenho febre e isso me chamou a atenção, tanto que não retruquei muito quando me arrastaram para o Pronto Socorro!
Estava com muito sono, fraca, e desidratada!
Me deram soro, paracetamol para a febre e antiflamatório que não tomei sem o consentimento da minha médica com quem não consegui falar...afff...ia bipar, mas como melhorei resolvemos contar pessoalmente.
A médica acha que foi intoxicação alimentar (pode ser diante das baboseiras que comi, lanche, doces, e até um bolinho da estrada que descobrimos depois estar vencido...credo!).
A febre ela disse que é por conta da minha garganta estar um pouco vermelha, inflamada.
Bom passei o dia suando, dormindo, mas até que comi um pouquinho, fui melhorando, mas só no outro dia, o dia que estava previsto para voltarmos foi que recuperei totalmente as forças.
Aí convenci meus pais de ficarmos mais um dia...
Afinal eu ia embora de novo sem ver minha Tia Avó que mora no Asilo!
Ainda bem que meu anjinho me soprou no ouvida: Fica Déa!
Foi o que fiz, almocei e fomos lá visitar minha Tia.
Ela estava tão alegrinha.
Magrinha por conta das internações, hemorragias, perrengues por que passou.
Chegamosa a conclusão que ela tem 88 anos.(Minha Vó tinha 18 e ela 20 quando ela se casou, minha Avó tem 86 hoje, portanto ela tem 88).
A irmã mais velha da minha mãe, Tia Janda, contou que ela se tornou espirita para cuidar daquilo que chamavam de loucura, sua vidência, foi por esse motivo que ela se mudou junto com o Vovô para Cornélio para receber tratamente espiritual diàrio.
Meu avô mudou sua vida completamente para que sua filha melhorasse.
Fiquei sabendo também que meus bisavô ficou viúvo cedo e cuidou sem se casar novamente dos seis filhos:
Zico (meu vô)/Almiro/Porfiria/Cota/Conceição/Geraldinho.
Minha tia começou a falar sozinha, ver coisas, psicografar, e achavam que ela era louca.
Tudo piorou, como já contei, quando seu noivo a abandonou, ela entrou em depressão e não saia mais do quarto, foi aí que se mudaram para Cornélio no Paraná.
Lá ela fazia doces para vender na venda do meu bisavô e bordava seu enxoval.
Enxoval esse que ela não sabia se usaria! Já que não tinha mais noivo.
No centro além de ser ajudada, ela ficava na mesa e recebia os espíritos que precisavam de dotrinação.
(minha tia lembra dela falar, você está morto, não está vendo o caixão..uia!)
Minha tia disse que eram coisas lindas que ela bordava de cabeça sem fazer o desenho antes.
Também fazia receitas de creme que ela mandava fazer e que ela e minha tias, irmãs da minha mãe e até amigas delas adoravam.
O resto da história vocês já sabem....o pai...o asilo...ela que vive lá.
Ela se lembrou de alguns nomes, mas não de nós, olhou para minha tia e mãe e disse que parecia que "alembrava", mas não do nome.
Ela leu o que escrevi de dedicatória para ela no livro e riu, pois eu escrevi que queria que ela passeasse comigo mesmo que fosse em sonho...rsss
Disse que a amava, e algumas outras coisas que a fizeram rir, fiz carinho, acompanhei ela em seu café da tarde e vi que ela é uma comilona.
A Rose que cuida do Asilo falou que fazem listinha do que eles tem vontade de comer e eles compram com o dinheiro do aposentadoria, ela disse que minha tia manda ela trazer um pouco de cada coisa das que ela cita como exemplo.
Eu a segui quando ela saiu da mesa do café, ela comeu dois pedaços de pão caseiro, em pé, e levou para o quarto um...quando vi, ela entregou para a amiguinha que não foi para o café, senti um orgulho danado dela, da sua bondade, ela pode se esquecer de quem eu sou, mas não esqueceu de matar a fome daqueles que a cercam.
Na mão umas seis bolachinhas que ela escondeu no armário para quando sentir fome, mais tarde.
Sentada na varanda a velhinha do lado, enciumada com a atenção que davamos a minha tia (a cuidadora contou que ela é violenta, bate, xinga, e tem raiva da minha tia, por ela ser considerada um anjo, que não reclama de nada).perguntou se ela era casada, eu não entendi o que ela perguntava, por que a senhora falava estranho, devido a um derrame, e minha tia respondeu que não...
Eu retruquei que era melhor que homem dava muito trabalho...todas as velhinhas riram.
Mas eu fiquei pensando, por que, hoje, justo hoje que minha tia contou a história a velhinha danada pergunta, eu sempre tenho vontade de perguntar para a minha tia, mas fico com medo dela ficar triste...
Aproveitei a deixa e perguntei se ela tinha tido namorado, ela me respondeu assim:
" não estou alembrada".
MinhaTia Janda respondeu para ela, teve sim tia, e deve ter tido um monte pois a senhora era muito bonita.
Ela riu!
Eu acho que a risada corresponde a um sim...rsss
Tentei convidá-la para um passeio e a resposta de sempre: hoje não, outro dia...
E quando disse que achava que ela estava me enganando, recebi uma risada zombeteira e divertida de comprovação.
Saí de lá mais feliz do que de outras vezes.
Só que durou até o portão quando minha mãe contou que conversando com as cuidadoras e descobriu que minha Tia Avó está com câncer no estômago e que não há nada que se possa fazer.
Os médicos não entenderam como ele se recuperou e voltou para o Asilo, eu gosto de pensar que Deus ouviu minhas preces e fez com que ela esperasse eu me despedir.
Mas é difícil, pois, eu sempre quero mais...
Quero que ela me conte do seu noivo, do que pensa, do que sente, que ela se lembre quem eu sou, e o mais importante que eu a amo e que ela é um exemplo de esperança e resignação para mim.
Sei que sua vida fui dura, ela deve ser um anjo mesmo, para mim ela é um exemplo, e para aqueles que conviveram com ela (alguns) também.
A Rose disse que acha que esta é a última encarnação da minha Tia.
Eu a acho realmente boa, mas não tem como sabermos isso, o que sei, é que esta missão ela cumpriu brilhantemente.
Pode voltar para a casa com nota 1000 Tia, o Tonico, o Zico, o Jaime, e tantos outros que não me lembro o nome te esperam.
Eu peço que não sofras com a doença, mas tenho certeza que o que tiver que passar, passará com a mesma força e coragem de sempre, então, estou em paz, sempre pedindo mais, mais segundos sentadas ao seu lado, simplesmente estar ao seu lado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário