quarta-feira, 29 de setembro de 2010

Que seja feito a sua vontade.

Finalmente está chegando o dia 30, amanhã é dia de ir lá cedo conversar com o médico da minha mãe, do transplante e esperamos que ele diga alguma coisa definitiva.
Que a Sô esteja bem, não só para doar, mas para seguir sua vida da melhor forma possível, espalhando o bem, e o exemplo de desprendimento e amor verdadeiro, incondicional.
Ando pensando muito em amores, e percebo que se a gente amasse a todos incondicionalmente não sofreriamos tanto..ele não me ama, não tem problema o que eu quero é que ele seja feliz, bem, sozinho, com outra pessoa, por que eu o amo de verdade...ufa!
Deve ser maravilhoso amar a todos sem contradição, empecilhos, e dores.
Um dia a gente chega lá.
Por em quanto temos sim grandes exemplos de amor, como doar um orgão, abrir mão de alguém para que outra pessoa seja feliz, querer tão bem seus amigos e ficar bravo, ressentido com quem os magoa, doar tempo, carinho, atenção, dinheiro, livrinho..rsss, se doar.
Eu tenho um jeito bem prático de lidar com as dificuldades e depois de tudo que passei, e da religião que escolhi, fico assim meio adormecida, resignada, serena, o que para mim é bom, mas talvez passe a impressão de indiferença.
Eu juro que não, só acho que Deus sabe o melhor para cada um de nós, aliás tenho certeza disso, e por mais que eu não me descabele, chore desesperada, tenha certeza, toda hora que me vem o problema da minha mãe em mente, meu coração aperta, fica pequeno, e eu divago no vazio profundo em que nem as lágrimas são capazes de me acordar, eu quero aceitar, eu quero aceitar, quero não ter vontades, quero que seja feita a vontade de Deus, e consigo por alguns instantes, até pedir quase como uma súplica para que ele permita que minha mãe fique bem, tenha mais uns anos de vida saúdavel, com qualidade, quero devolver os anos que ela trabalhou sem parar, os anos que ela chorou, os anos que ela teve raiva, os anos que ela não se sentiu amada...quero que ela seja feliz incondicionalmente.
Quero meu Deus não querer demais.

Nenhum comentário:

Postar um comentário