domingo, 17 de outubro de 2010

Por favor, não me empurre de volta ao sem volta de mim.

Essa semana foi uma semana de inícios e de decisões!
A frase do Caio Fernando de Abreu, que a cada nova leitura dele, me encanta mais, é perfeita para distinguir o que anda permeando minha vida:
"Por favor, não me empurre de volta ao sem volta de mim"
É que eu sou uma nova pessoa, revi conceitos, preconceitos, raivas, acertei essa nova alma que nasceu nessa mesma vida e fiz com que ela coubesse dentro de mim, mas isso não impede de eu ter recaídas, sentir raiva, julgar.
É tão difícil quando você olha para alguém, que vc ama ou não, e não basear o que está vendo dentro dos conceitos que vc tem de vc mesmo, aí coitado da pessoa, sem querer, ou controlar julgamos-as como exageradas, depresivas, alegres, enfim, vamos enquandrando aquilo que vemos e ouvimos baseados na nossa vivência, e quando o julgamento é para o bem, que mal tem, mas quando a gente não gosta do que vê, o que a gente faz?
Todos os religiosos dizem que chegaremos à um dia em que amaremos a todos sem distinção, julgamentos e medidas, o tão desejado amor incondicional.
Essa a luta que venho travando, eu não quero voltar a ser quem eu era, embora eu não fosse má, mas os julgamentos, os tormentos me azucrinavam muito mais.
Como aceitar e perdoar a sim mesmo, aqueles que te magoaram e que eu embora lute ainda me pego incomodada, repetindo a história, fazendo careta quando vejo a pessoa mesmo virtualmente...rsss.
Bom a frase do Caio diz tudo para mim, e essa luta continuará durante algumas vidas, eu já reconheço que quero me curar, quero perdoar, mas também percebi que fazer isso não significa ter que trazer a pessoa de volta a minha vida, no evangélio mesmo dizem isso, você tem que perdoar, mas muitas vezes viver ao lado de pessoas que te fizeram mal não dá, o tempo, a missão de algumas pessoas na nossa vida acabam como tudo que existe nesse mundo.
Bom eu fui achada por uma grande amiga, pelo menos era, da minha infância e adolescência, eramos três, eu Clau e Kelly, estudamos vários anos juntas, vivemos muitas histórias, e um dia sem mais nem menos nos nos perdemos, a vida nos empurrou para caminhos distintos.
Foi uma delícia ela ter me encontrado, renasceu em mim muitas lembranças, nossa faz quase vinte anos que não nos vemos, e é estranho pensar em tudo que vivi e que a Kelly não acompanhou, como acredito que nada seja por acaso, acho que chegou o momento de nos encontrarmos de novo, por que, há o motivo que ainda não sabemos, mas com certeza a Kelly não é uma missão mal resolvida em nossa vida...rsss, e tão pouco algo que precisa se resolver, já que nos distanciamos, mas o amor sempre existiu, tenho certeza que nosso reencontro será de muito amor e saudade, e que a amizade continua lá dentro do coração de cada uma de nós.
Vai ser interessante rever alguém que me conheceu muito bem e que agora verá uma nova pessoa, com outras crenças, outra visão da vida, talvez seja exatamente essa a função do nosso reecontro!




2 comentários:

  1. Vocês tem que esperar por mim, não vale se encontrar sem minha presenã..rsrs....espera vai?!?!..rsrs... já imaginou irmos na pracinha onde jogavamos balas pra Cosme e Damião antes de irmos na Filds?!?!?... vc lembra?!?!?..rsrs.. meu, qdo lembrei quase fiz xixi de tanto rir e ainda pra completar as trocas de roupas.. cada domingo uma repetia a roupa que a outra tinha ido... exatamente igual!!!!!!!!....rsrs... tempos bons que não voltam nunca mais... mas pessoas que voltam.... EBA!!!!!! Beijo Clau muito feliz com o reencontro.

    ResponderExcluir
  2. Tá...tá...tá...eu espero...realmente repetir tudo vai ser meio repetição...rsss
    Nossaaaaa sempre deu certo né? Afinal se pensarmos bem a gente tinha vários paqueras naquela época.
    As trocas de roupa a gente tá bem melhor agora.
    E o shorts da Kelly vc devolveu, vai ver está aí na sua casa..rsss...
    Não voltam mais....rsss

    ResponderExcluir