quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

O outro lado

Ligaram na segunda pela manhã para minha mãe e a Sô irem imediatamente serem internadas, doutor viu o resultado do exame da Sô e está tudo certo finalmente com ela.
Levei um susto quando minha mãe me falou, não sabia se saia do banheiro, se escovava os dentes...rss
A mala já estava pronta, nunca deixou de estar, numa esperança simbolica de que tudo daria certo.
Seguimos para o hospital, a Sô já estava lá, internada...rsss.
Bom deixei as duas lá, a cirúrgia vai acontecer na terça, 28/12/2010, às 6 da matina.
Logo cedo estamos lá na espera, não o suficiente para vê-las entrando no Centro cirúrgico (fiquei triste querida dar um sorriso para cada uma), mas ficamos lá....
E nada.........
Espera angústiante, não consigo rezar direito, não consigo me concentrar, ainda preciso aprender muito sobre fé...me convenço.
Oito e meia sai o anestesista para dar uma volta....volte lá para a sala ohhhhh.
Ele me conta que acabou de começar....
Esperamos, esperamos...
Muitos entram e saem, outros entram para nunca mais sair....uma família está desesperada um moço de vinte e dois anos, recém casado há quatorze dias, está com leucemia e um coágulo no cerebro....entre a vida e a morte.
É tão difícil pra mim ver as famílias assim, nessa angústia, imediatamente imagino os meus, pergunto algumas coisas para meu pai sobre mim e como sempre ele e minha mãe sempre dizem...que não gostam de lembrar e fim de papo, continuo imaginando...
Onze e meia pergunto sobre elas, me dizem que Sô está na recuperação, mas minha mãe ainda está na sala.
Meio dia e meia a Sô passa por nós para ir para o quarto.
Nada da minha mãe, começo a ficar preocupada.
O mocinho da recepção me diz que o cirurgião virá falar conosco quando acabar...eu duvido...affff.
Perto das duas horas o anestesista sai de novo, agora para ir embora, pergunto se acabou, ele diz que sim e que minha mãe já está na recuperação, meus olhos estão cheios de lágrimas por que eu ia começar a chorar antes de vê-lo, ele diz que ela está na UTI, eu pergunto por que, se houve alguma complicação, ele diz que não sabe, mas pode ir ver para mim.
Assim, ele entra lá de novo, vê, e vem me falar que deu tudo certo, que ela já está acordadinha e que em breve vai para o quarto...que tudo correu dentro do previsto e que agora é tempo para ver se o transplante está bem, se o rim vai funcionar direitinho, se a cretina vai cair...etc.
Nós sabemos....e temos certeza também que tudo dará certo e que minha mãe vai ter qualidade de vida novamente, voltando a ser a mulher e principalmente a mãe e avó que ela sempre foi, participativa, ativa, alegre, disposta, a mulher que viveu para nós, por nós.
E a Sô essa alminha pura, inocente apesar de vários percalços, para mim é um anjo.
Sempre fui fã das minha primas, agora vendo as mulheres que se tornaram...
Fãzoca total!
Que Deus nos proteja, guarde e guie.
Vem uma maca e com ela a minha mãe, totalmente sonolenta, eu pulo nela..rsss, mãe tudo bem, ela olha e parece não me reconhecer, depois balbucia alguma coisa que sim...rss...ela sobe e nós vamos atrás.
No quarto ela está mais lúcida, paralizada, com sonda, dreno, tubos e muita sede, dou água para ela devagar e ela toma o copo da minha mãe e toma tudo rápido...pronto...vomita....de volta a água...mas fica feliz por ter tomado a água geladinha..rsss...
Deixamos ela lá, infelizmente, não pode ficar acompanhante, com dor no coração, mas é a vida.
Amanhã eu volto mãezinha querida.

Um comentário:

  1. Olá, blogueiro (a),

    Salvar vidas por meio da palavra. Isso é possível.

    Participe da Campanha Nacional de Doação de Órgãos. Divulgue a importância do ato de doar. Para ser doador de órgãos, basta conversar com sua família e deixar clara a sua vontade. Não é preciso deixar nada por escrito, em nenhum documento.

    Acesse www.doevida.com.br e saiba mais.

    Para obter material de divulgação, entre em contato com comunicacao@saude.gov.br

    Atenciosamente,

    Ministério da Saúde
    Siga-nos no Twitter: www.twitter.com/minsaude

    ResponderExcluir