segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Uma eterna aprendiz.

EU AMO GENTE QUE SE ASSUME
QUE SE AMA DO JEITINHO QUE É TANTO POR FORA QUANTO POR DENTRO.
Que se olha no espelho e não vê só as coisas que precisa mudar, mas enxerga também as muitas outras que estão no lugar certo, do jeito certo, no tamanho certo.
Adoro gente que quando erra pede perdão, e quando acerta não faz alarde.
Gente que fica quieto quando não tem nada de produtivo para dizer e que já entendeu que falar por falar, só fere o silêncio.
Amo mais ainda pessoas que não falam frases feitas, usadas e escraxadas a todo momento, esperando que isso console, acalante o coração de quem precisa, por que, a maior parte das vezes só fica o vazio.
Amo gente que percebe que passar essa encarnação inteira correndo atrás do prejuízo criado por nós mesmos é a maior perda de tempo.
Amo gente que coloca a roupa que quer, sem se importar com barrigas, culutes, braços gordos ou magros demais.
Gente que come sem exageros, mas que se delicia com as coisas gostosas da vida.
Gente que vai na praia por que gosta, não para se exibir, que toma seu solzinho feliz da vida, anda na beira do mar, senta no bar ao entardecer e não se preocupa com o biquini, com os olhares tortos, com os julgamentos.
Gente que toma uma cervejinha, se gostar de verdade, se o gosto, o paladar realmente lhe dão prazer, e que se pergunta se gosta de verdade ou se quer fazer parte do ritual.
Amo gente que já percebeu que embora as histórias de bêbados sejam divertidas, elas o são só para quem vê, nunca para quem sente.
Amo gente que sorri, que tem calma no trânsito, que é gentil com qualquer pessoa independete do cargo, status, aparência ou conta bancária.
Adoro gente que não corre para comprar o próximo aparelho moderno que amanhã mesmo já vai estar ultrapassado, nessa angústia desesperada para ser "cool" e não "overpast".
Me delicio com gente que não tem nem celular, mas que encontra seus amigos pessoalmente e ouve suas vozes e suas solidões, por que sabem escutar além de ouvir.
Gente que caminha de mão dada, que ainda coloca a dama para dentro da calçada, que manda flores, não para seguir cartilhas, mas por que o coração...ah esse danado, desejou te dizer bom dia.
Amo gente que chora quando se emociona e que deixa as lágrimas fluirem sem reprimendas, remorsos ou vergonha.
Amo homem que chora, que escreve cartão, que te carrega no colo.
Amo mulher que é mãe de suas amigas, que as coloca para cima, e enxergam Deusas exuberantes.
Adoro gente charmosa, chic por natureza, que não precisa de etiquetas ou marcas, gente que é cheirosa de talco.
Gente com educação, que faz o bem, que se preocupa em evoluir, que reza, se despede, diz obrigada, que dá aquilo que não usa mais, que não tem aqueles armários atravancados de roupas e sapatos que nem usa, gente desapegada, mas que tem uma medalhinha, uma caixinha de música, um xodó.
Gente que dá valor as coisas do passado, mas sabe que todas elas, desde que sejam materiais ficarão aqui, e como nós morrerão com o tempo.
Gente que cuida de plantas, que agua suas flores, que passeia com seus cães.
Gente que medita sobre o fez, falou, sentiu, e principalmente desejou ao outro e a si mesmo.
Amo gente que faz bolo de presente para um aniversariante, um formando, um amigo ou simplesmente uma visita.
Adoro gente que faz a sua própria dança, se entrega aquele momento, aquele sentimento.
Simplesmente amo que ama o simples, o pic nic, sentar na padaria para tomar café da manhã, que visita uma cidade vizinha como se estivesse em Paris, e quando está em Paris curte cada momento único daquela cultura, daquelas pessoas.
Amo mais que demais gente que não vê diferenças, defeitos ou desproporções, gente que tem visão raio X e só enxerga por dentro.


Aí eu amo tanto gente! E eu amo amar essa gente!

Eu quero ser esse tipo de gente que tanto amo, desencanar da barriguinha ganhada por conta da medicação, correr sim, tentar ajeitar o que ficou do estrago, mas meusdeusdocéu, que eu não passe a minha vida inteira atrás de corrigir uma imagem distorcida de um espelho desonesto, irreal.
Que eu seja feliz com as imperfeições que tenho, feliz de ser quem eu sou, exatamente como sou, com barriguinha, estria, sem pontinhas dos pés, mas muito gente boa...rss
Eu sou inteira, apesar dos pedaços que faltam.
Eu sou aprendiz dessa escola maravilhosa.
Ainda não tirei 10, mas tenho estudado.
Meu corpo é meu templo, meu centro, meu instrumento para estar aqui e agora, é o casulo perfeito da minha alma...
Agora a minha alma...ah...minha alma é quem eu sou, inteira, verdadeira, resplandecente, única!
Que você também não passe a vida inteira querendo TER e sim que você SEJA um pouquinho dessas pessoas que amo.

2 comentários:

  1. Uau... texto de tirrar o fólego. Vc tá ficando muito boa nisso, em colocar expressões e pensamentos - ou já era boa!

    Te amo amiga, com barriguinha ou sem! Linda como sempre.
    bj

    ResponderExcluir
  2. Rss...valeu querida...acho que sempre gostei. Ser boa ou não, aí já é outra história, mas quando há inspiração até que não fica mal não..rsss
    Também te amo flor, e já te disse que é lindissima como é?
    Então é verdade viu...LINDONA!
    Beijos.

    ResponderExcluir