sexta-feira, 30 de abril de 2010

Põe o feijão para cozinhar que eu estou voltando - Roma/Madrid/São Paulo - 27/04/2010

É chegado o momento de empurrar as malas até o ponto do Shutle Bus que fica ao lado da Termini, e que saí o primeiro às cinco da matina.
Do hotel até lá vou rezando, para conseguir empurrar as malas e que não me aconteça nada de ruim.
É que é uma cidade estranha e nunca sabemos se há ou não perigo naquele local, naquela hora, especialmente demadrugada.
Chego no ponto e já há algumas pessoas e um ônibus parado, é o das 4h30 que vai para o aeroporto Cimpriano, eu vou para o Fiumicino e o meu saí às 5h00.
Logo o das cinco também estaciona, coloca as malas, pago, entro, e fico esperando dar a hora de irmos.
Ás cinco em ponto partimos, acho mais demorado do que quando cheguei, mas em uns 40/50 minutos chegamos no aeroporto.
Está vazio devido a hora, mas tudo corre bem.
No aeroporto estou com cara de sono, saudade de Roma e de Casa...rss
No vôo eu dou uma cochilada...eheheheheheh!
Chegamos em Madrid, carimbam o passaporte, e tomamos o tão famoso trem para as conexões.
Achamos nosso vôo no painel e seguimos para o portão indicado, nisso vários brasileiros já se aproximam..rss...e eu faço o mesmo.
Caminhamos em grupo..rss
Chegando no portão, vejo o Alê vindo ao meu encontro e a Dani sentadinha.
Abraços, beijos e muito papo sobre tudo que vivemos.
O avião chega, embarcamos e coincidentemente estou sentada na frente dos dois e ainda há três lugares do lado deles livre...rss

Dormimos, comemos, sentamos os três juntos no lugar livre e fofocamos sobre tudo.


Desta vez não passo mal, as horas passam mais rápido e apesar do vôo longo e cansativo a viagem corre bem, até agradável...
Chegamos sã e salvos a Guarulhos.
Pegamos a mala, eu quase levo a do Gustavo, era igualzinha a minha só que maior..rss
Mas todas as nossas chegam, graças a Deus, seguimos para o Free Shop, para gastar os Euros que sobraram, me jogo nos perfumes...rsss...e passamos pela checagem de passaporte e pela Receita Federal, tudo certo, me jogo nos braços do meu papai que me aguarda.
E a viagem está realmente decretada:
FINALE!

Não sei dizer Adeus, mas deixo você ir, com lágrimas no olhar - Roma - 26/04/2010

Acordei e como era um dia livre, fui dar uma volta na Termini, ver as lojinhas, comprar as últimas lembrancinhas para o povo de casa.
Conversei com a moça do hotel sobre como fazer para deixar a chave amanhã às quatro da manhã, já que meu vôo para Madrid saí às oito da matina, ele me mostrou, explicou e ficou tudo certo.
Como não entrei na Igreja de San Pietro no Vaticano, resolvi dar uma passada lá, putz, a fila está maior do que ontem, fico um tempo pensando e decido encarar, afinal, estou aqui e não sei quando volto, e se volto.
Até que ela anda rápido, é mais por conta do raio X.



Me lembro da Pietá também, e a fila fica mais inofenciva a partir do momento que você resolve encarar..rss
Vi, gravei, fotografei e saí.








Fui de metrô para Piazza Spagna e desci a pé até Via de Corso, fiz as últimas comprinhas.
Almocei do lado do Panteon, uma Bruschetta, Macarrão a Carbonara e de sobremesa o Tiramissu que nem chegou aos pés do do Florian.


Passei na Fontana de Trevi, lotada, será que alguma vez ela fica vazia? Rsss
Subi até a do Tritoni e tomei meu último Gellato, uma delícia de flocos.
Fui para Termini onde tomei o ônibus turístico e descobri que teria direito a mais um dia, outra linha, se ficasse aqui, e que poderia usá-lo o dia todo, já que ele para nos pontos turísticos...rsss...ou seja, várias das minhas caminhadass não eram necessárias se tivesse pago esse bendito antes.
Foram duas horas de despedida de todos os pontos principais, alguns que meus pés não alcançaram, como  Castelo Santo Angelo, perto do Vaticano e a igreja Santa Maria Maggiore que no dia que passei na frente minha máquina estava sem bateria.

                                          Santa Maria Maggiore

Detalhe do Anjo do momunto ao Emanuelle.
Coliseu visto de cima
Detalhe da Fontana que fica na Piazza Bocca della Veritá entre o Tempio della Fortuna Virilis e o Tempio di Vesta
Detalhe da bandeira Italiana no monumento à Emanuelle
Eu me deliciando com a arquitetura Romana

Castel Sant´Angelo que meus pés não alcançaram
Uma nova vista da Fontana Del Tritone e ao fundo o Hotel Bernini

                                  O final foi onde começou na Fontana que não tem no guia..rsss (Fontana Della Naiadi)


No hotel soca as coisas na mala...rsss..para fazer caber.
O jantar é a insalata da mairia dos dias, dormir e sonhar com tudo que vi, toquei, senti.
Arriverdeci Roma, Napolis, Pompeia, Capri, Veneza, Firenza, Pisa, Assis...
Um dia eu volto! A moeda jogada na Fontana de Trevi garante..rss.
Amei você nesses dozes dias, foram mágicos, doces, saborosos, mas preciso partir.
E como há uma igreja em cada esquina, fica com Deus Itália, eu também vou com ele.
Um dia a gente se vê.

Trastevere o "MEU" paraíso em Roma - Roma - Dia 25/04/2010

Cedo fui arrastada para o Vaticano pela multidão de turistas, hoje último domingo do mês gratuito.
Fila no metrô, no museu, na catedral, em todo lugar...afff
Lá dentro um sufoco, fui andando quase nem parando para ver nada, só a procura da Capela Sistina, e ela só é encontrada várias placas depois, várias salas e pinturas depois.
Bom o museu é  um luxo, rico, e meu eu solidário só fica pensando em vender tudo e dar terra e trabalho para o povo.

Já meu eu culturarl..rsss...pensa que temos que preservar, para no futuro podermos mostrar aos nossos filhos essas riquezas, não sei qual pesa mais.
Apesar de achar tudo lindo, um olho fixa aqui dentro e outro adora o verde, as pessoas, que estão lá fora...rss

A Capela é realmente uma das coisas mais lindas que vi na vida, é impressionante, a perfeitção da pintura, a cor, as posições dos anjinhos, a expressão dos personagens da pintura.
Linda!
Tiro uma foto, sem saber direito se pode, depois descubro que não pode, foram só duas eu juro (não me prendam), e sem flash e acho que até esqueci de colocar o zoom direito, a qualidade não é muito boa.
                                                                         Famoso Teto

E a parede detrás do altar, que conta o juízo final
Assim que guardo a máquina um moço começa a gritar "SEM FOTO".
Me encaminho para a saída do museu.

Saio e a fila para San Pietro é gigante, desisto, meus pés doem.


Tomo metrô para o Circo Massimo e fico muito decepcionada, espera algo mais grandioso.


A caminho de Transtevere, encontro a casa de Alice no País das Maravilhas que estou doida para assistir...rsss e a igrejaSanta Maria in Cosmedin:

Tempio Della Fortuna Virilis

Tempio de Vesta.
Sigo para Trastevere, deslumbrada, um desbunde de cores, verde, água, pássaros, a natureza salta aos nossos olhos, é maravilhoso.






Em Isola Tiberina, essa pequena ilha no Tibre, que fica numa rocha vulcânica, e sua forma lembra a de um navio.
Duas pontes unem a Isola Tiberina à barranca do rio, A Ponte Cestio é do inicio do século Ia.c, e leva a Trastevere, enquanto a Ponte Fabrício, 62 a.c une à ilha ao Ghetto.
De um lado da Ilha fica a igreja de San Batolomeo e do outro a Isola Tiberina



E volto para Santa Maria in Comedin para ver a Bocca Della Veritá, ao colocar a mão ela me conta o meu futuro, diz para não me preocupar com ele, que o que tiver que ser será..rsss


Depois subo à pé (longe) até piazza Veneza e tomo o ônibus, embora eu tenha o bilhete, tento validar, mas não rola, vou de graça então, já que não consigo mais andar.
Desço em Cavour e vou até a Termini à pé, passo no mercado que descobri há poucos dias e que vende garrafa de água a 0,27, e vinha pagando de 1 a 1,50.
Janto as coisinhas que comprei, insalata, panino, água, chocolate, kit kat claro..rss, arrumo as coisas, banho e vou nanar.

Amanhã último dia.
Amei a viagem, foi espetacular, maravilhosa, coisas grandiosas, singelas, lindas, mas começo a sentir falta da minha casa, das minhas coisas, da comida da minha mãe...kakakaka

As Piazzas di mi core - Firenze/Roma - 24/04/2010

Meu último dia no hotel chechelento...rsss...tentava não tocar em nada, e se eu tocava em algo que desconfiva não ver pano nem água a séculos eu lavava a mão..rssss.
Acordei às oito e fui dar minha última volta pela cidade que não tem culpa do hotel que escolhi...
Primeira parada é para ver David de Michelangelo, na Galleria Della Accademia, realmente é estupendo, belíssimo, arrebatador, cada músculo, cada detalhe esculpido por um mestre realmente.
O resto do museu tem muitas pinturas, como sempre lindíssimas, mas que já estou meio acostumada a ver..rss
Lá não pode fotografar e só tiro uma foto minha na cadeira entre os vans de uma escada, pensando que estou fazendo escondida, quando desço leio que todo o museu é filmado...saío sorrindo.


Fui fazer as últimas comprinhas de presentinhos pros de casa e passei na frente do Palazzo Medici.

Fui ver o mercado que ainda não tinha visto, lá encontro uma brasileira que trabalha numa das barracas e provo o Tartuffo Al Salse (acho que é assim que escreve) delicioso, mas um potinho minúsculo 6 euros, não comprei, mas me arrependi, se alguém for para lá traz para mim...????Rsss

Corri para o hotel com medo de estar na hora do meu check out, mas moça me tranquilizou que os próximos hospedes do chechelento chegam só a noite..rss
Mas meu trem é às 13h00, sigo para estação de táxi, já que é umas cinco quadras, e minha malas pesam muito.

Como meu trem é às 13h00 e não terei tempo de almoçar, fiz como so Italianos comprei um panino no caminho de volta ao hotel para comer no trem...rss









No trem normal, peço ajuda para um senhor com a mala e ele me ajuda colocando entre as poltronas, mais um lugar descoberto onde podemos colocar as malas...
Cheguei no Hotel Casa Di Penelope em Roma, também pertinho da Termini e toca a campainha e nada...ai meus céus...ligo para o hotel e o moço diz que chegará em três minutos, está chuviscando e estou com um monte de malas na porta do prédio, tomando chuva.
Uma moça chega e também toca a campanhia do hotel, digo a ela que acabei de ligar e que ele está a caminho, começo a perguntar um monte de coisa para ela, se está hospedada lá, se eles não dão a chave, e como você faz quando chega de noite e não tem ninguém e graças a Deus não perguntei se o hotel era bom ou meti o pau por que o homem não estava, a moça em questão é irmã da moça que trabalha lá.
Bom a irmã da moça chegou antes, abriu a porta e fui para meu quarto, super limpo, lindinho, tudo novo.
Adorei!
A bendita chave e eu não nos acertamos...eu realmente tenho dificuldade...rsss
Perguntei se queriam que eu pagasse antes e fizesse o check in, moço disse para eu aproveitar Roma, que a pessoa responsável não estava.
Bom fui dar meu giro por Roma, ver o que falta.
Tomei o metrô para a Piazza Santa Maria Del Popolo, muito linda.


Piazza Spagna com os Trinita Dei Monte (degraus espanhóis):


Depois encontro a Santa Andrea Della Frate e sua Piazza:



Colonna di Marco Aurelio:

Finalmente o Panteon:



Mais uma Santa Andrea:


Campo dei Fiori:



E a última Piazza Navona:









Perto da minha segunda igreja janto um macarrão integral com legumes delicioso e às 21h00 exausta volto para o hotel á pé, com medo e meio perdida..rss
Meu pé não existe, nem reclama mais.
Acabada acabo de tomar banho estou com os pés para cima, como podem ver:

Quando ouço batidas na minha porta, abro e um moço que nunca vi mais gordo, me pede meu passaporte, sem se apresentar nem nada e manda que eu saia para fazer o check in.
Fiquei chocada!
Coloquei meu casaco por cima e fui indignada, achei muita falta de respeito me fazer sair do quarto aquela hora, sendo que quando cheguei ele não estava e o outro moço não quis fazer o Check in.
Na recepção dois sujeitos estranhos, eles são arabes, mulçumanos, sei lá o que, e conversam entre si, na sua língua, sabe lá o que falam, fico muito inibida, o moço do hotel percebe que estou brava e somente agora me diz que ele é o responsável por lá, me cobra, explico que agora aquela hora não tenho todo o dinheiro, mas dou quase tudo, fica faltando 38 Euros (eles não aceitam cartão).
Bom toda a boa impressão do hotel foi por água a baixo com essa conduta do moço.
No mínimo se ele realmente precisasse fazer o check in naquela hora, que batesse com delicadeza na minha porta, pedisse desculpas, se apresentasse e não disse "NOW" para mim....