quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

O dia em que eu DEIXEI PASSAR!

Um dia no Shopping Yguatemi, eu encantada com sapatos, claro, entro numa loja chiquerrima, todo espelhada, com os sapatos em um tablado baixinho, no chão.
Vou olhando e caminhando, caminhando e olhando, olhando e caminhando pela loja, até que alguém na minha frente me impede de continuar, sabe aquela dança maluca você indo para um lado e a pessoa também e ninguém consegue passar?
Pois é, essa dança durou alguns segundos que para mim pareciam uma eternidade.
Eu fui erguendo meus olhos em direção ao rosto da pessoa e toda solicita e educada, falei:
PODE PASSAR!
Pode passar, que raios era aquilo? De onde tinha saído essa pessoa simpatica de dentro de mim.
Estava orgulhosa da minha educação.
Até que meus olhos chegaram, finalmente, no rosto da pessoa a minha frente.

E essa pessoa era eu mesma!

Foi então que eu percebi que era o fundo da loja, que tinha um espelho enorme nessa parede, na minha frente.

Sem comentários! Saí voando da loja, os vendedores morrendo de rir,  me sentei no banco lá fora e me entreguei a gargalhada.

Depois me recompus, levantei, e percebi que até que não era tão mal o que tinha aconteceido, agradeci ao universo o jeito criativo que ele arrumou para que eu não fizesse um estrago em meu cartão de crédito e nunca mais frequentasse o Yguatemi, com medo de ser reconhecida.

Foram meses de economia, até que mudei de emprego e de shopping.

Ser estabanada, desligada, atrapalhada tem suas vantagens, eu recomendo.

2 comentários:

  1. Adorei...
    Se visse uma cena dessa com certeza não me seguraria e daria muitas garagalhadas também. Agora, se acontecesse comigo ia procurar um buraco pra enfiar minha cabeça.

    bjs

    ResponderExcluir
  2. Ihh Querida não tem outro jeito que se entregar não é?
    Eu tenho muitas histórias assim, por que, eu sou preocupada em ser certinha e isso é um prato cheio para vc errar..rsss
    Beijos e obrigada pela visita.

    ResponderExcluir