sexta-feira, 18 de março de 2011

De onde vem o nome SEM ESPAÇO PARA LAMENTO




Arrastando maravilhas – Marcela Biasi.




Eu não tenho muito, quase nada

Só a sombra do meu corpo sobre a estrada

Misturada a galhos secos

Eu só tenho becos e perguntas

Minha alma e minha culpa dormem juntas



Eu não tenho frio nos meus versos

Mas também não sei dos outros universos

Que carrego paralelos

Eu não tenho elos, nem correntes

Meu fantasmas sempre foram diferentes



Eu não tenho ilhas num tesouro

Um lugar em casa para o desaforo

Nem espaço pra lamento


Eu não tenho vento que me pegue

Nem diabo que me agüente ou me carregue



Eu tenho convites e te chamo

Minha natureza está no que eu te amo

Mesmo nesse mundo louco

Eu só tenho pouco tempo, agora posso esperar

Mas não demora



No silêncio do vazio

Arrastando maravilhas

Nem vertigem, nem limites

Daqui a pouco é outro dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário