terça-feira, 1 de março de 2011

O meu desconforto e o seu...ser ou não ser iluminada?

Gente,

Desde Fevereiro eu voltei ao meu trabalho voluntário, e eu me divirto demais lá, as companheirinhas, as pessoas que entram, o sair de casa e ver gente, e claro ajudar, doar meu tempo.
Aprendo várias lições lá, como ficar de bico fechado e não julgar e fazer comentários desproporcionais, tem gosto para tudo, as pessoas tem seu jeito de arrumar, de lidar, de falar, e graças a Deus todo mundo tem o seu.
Lá a gente aprende a ficar na sua, a fazer seu trabalho e respeitar o do outro.
Lá também a gente aprende a não julgar, hoje por exemplo entrou um homem meio cambaleante, eu me assustei, mesmo com o aparelho tem pessoas que não entendo, o jeito de falar, a altura que falam, enfim, imaginei que ele estive bêbado.
Pois é, meu jeito inicial foi me afastar, uma parte de mim queria que aquele senhor fosse embora rapidamente, para cessar o desconforto que eu estava sentindo diante do meu pré julgamento por não ter entendido o que disse e por seu andar estranho.
O senhor era na verdade o guarda carros lá de perto do ICRIM, e estava com seus pés machucados, ele entrou lá para ver se tinha um chinelo ou uma sandália que o livrasse do desconforto.
Na mesma hora me ressenti pelo meu julgamento, por me deixar mais uma vez me levar pelas aparências, e por ainda não conseguir olhar tudos e todos, toda hora, com o crivo do amor.
Mas estou aprendendo, ah estou!
Foi delicioso hoje também quando as duas companheirinhas da tarde chegaram para pegar o turno, duas voluntárias que eu ainda não conhecia, e quando elas souberam que era eu quem tinha escrito o Livrinho Aprendendo a Viver, seus olhos encheram de luz, me abraçaram forte, e disseram que eu estava de parabéns por ter dividido e ajudado as pessoas a verem a vida por outros olhos.
Disseram também que há fila de empréstimo, o que enche meu coração de alegria, pensar que a pessoa leu e gostou já é gratificante, mas imaginar que elas comentam com amigos e conhecidos e que eles também se interessam por ler, faz meu coraçãozinho transbordar.
E quando dizem que a pessoa tem que devolver bonitinho sem molhar ou danificar, acho graça.
Não tenho orgulho e quando dizem que sou iluminda, fico sem jeito, de verdade, não é falsa modéstia, eu  dou valor sim a forma que venci essa batalha, reconheço que sou vitóriosa, fui digna, honesta com meus sentimentos, e tive muita fé e sempre, sempre mesmo estive com Deus no meu coração, mesmo nos momentos mais dífícies, reconheço tudo isso, por que seria burrice não reconhecer, mas acredito também que a maioria de nós tem essa força, essa resignação dentro de nós, só que nem todos passaram por problemas tão transformadores ainda.
Ou seja, a maioria ainda não foi testada, a maioria ainda não foi indireitada..rsss, mas chegará a hora para todos nós, seja por meio de doenças, de morte, de perdas financeiras, de amores massacrados...seja lá por  que meio for.
Essa hora chegará para todos e que nós estejamos cercados de fé e resignação para entregar na mão de Deus nossos desconfortos.
As minhas companheirinhas que disseram que sou iluminada e abençoada, eu concordo, sou iluminada e abençoada por Deus...somos todos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário