terça-feira, 29 de março de 2011

O Post mais lido

Um leitor desse blog deixou o comentário em vermelho, eu tentei responder, mas acho que vale um post.

Eu fico realmente consternada de saber que não há vagas suficientes em UTIs, que num momento crítico há uma escolha do paciente que os médicos julgam ter mais chances de sobreviver, de saber por meio de uma matéria que vi recentemente que futuramente, talvez, não haja mais antibioticos de amplo espectro que vão ser capazes de combater super bactérias que se modificam rapidamente.
As pesquisas médicas de novas drogas demoram anos e o montante investido nessas pesquisas são astronomicos e no caso dos antibioticos seu retorno não é condizente com a verba investida, não tanto quanto remédios de uso constante.
Afinal não é em grande escala os pacientes que necessitam desse tipo de droga.
Eu sou muito grata a Deus, a mim mesma que trabalhava, lutava, pagava por meio do meu trabalho um plano de saúde, enfim, dos vários motivos que fizeram com que eu sobrevivesse, fora lógico o fato de ser jovem, não usar drogas, não abusar do alcool, comidas gordurosas, ou seja, foi uma combinação de coisas que fizeram com que eu sobrevivesse.
Interferências de médicos competentes, um corpo sã até o momento, e vamos combinar muita fé em Deus, e claro o desejo da minha alma em permanecer aqui e continuar meu aprendizado (as pessoas que vão, por mais doloroso que é para quem fica, acho que é uma dádiva voltar para casa, isso não significa que eu não ame a vida, amo sim, mas estar quites para seguir para a próxima missão e dela sair vitorioso, evoluido, melhor, não é para qualquer um não).
Eu entendo a dificuldade dos médicos não identificarem rapidamente a infecção generalizada, eles são movidos a exames e eles não dizem exatamente o que está acontecendo dentro de nosso corpo, em um dia as bactérias tomam conta do seu corpo, é uma luta tão desigual, tão alucinada, imagine células como as dos ouvidos sendo eliminadas pelas bactérias, imagine fígado, rim, pulmões, sendo dizimados.
Exames vão sendo feitos, providências vão sendo tomadas e ao mesmo tempo as coisas lá dentro vão acontecendo, fazendo com que a pessoa fique mais e mais fraca, culturas demoram dias, e dias são uma eternidade para o resultado, mas uma alegria para as bactérias.
Obvio que há descasso, principalmente em hospitais públicos, mas os particulares não fogem disso também, é só lembrar o caso da esposa do Celso Russomano, filmado, famoso, hospital particular, daquela modelo que ficou dias com o que achavam ser infecção urinária, do cantor baiano que ingeriu bactéria numa comida de beira de praia e morreu no mesmo dia...
Tem como já disse a falta de leitos na UTIs, a rapidez com que as bactérias se modificam, a demora nas culturas para saber qual antibiotico é o mais certo para aquela bactéria, enfermeiras despreparadas, médicos que acham que é só uma infecção e que o antibiotico administrado irá curar, enfim, vários fatores que demorariamos dias para entender.
Fora também que há casos que não há nada mesmo que se possa fazer, de tão adiantados que estão, com orgãos duramente castigados e muitas vezes paralisados, e também a situação do corpo de cada um.
A nós fica o direito de pedir, implorar, levantar a nossa voz, para que tudo que seja possível ser feito seja feito, para todos as pessoas, em qualquer hospital seja público ou privado.
QUE TODOS TENHAM DIRETIO A SEREM ATENDIDOS, QUE LUTEM AO NOSSO LADO PELA NOSSA VIDA, QUE NÃO NOS ABANDONEM!
E o resto, bom aí entra a minha crença espiritual e a minha certeza de que Deus tem anotadinho a nossa hora de voltar para a casa, e tenham feito TUDO ou NADA ninguém morre sem a permissão de Deus.
Por isso para todos que comentam sobre a postagem O post mais visto: O que é sepse e choque septico
fica o meu desejo de que o perdão toque seus coração, que a saudade daqueles que partiram um dia seja uma brisa leve que faz os olhos encherem de lágrimas, mas que o coração esteja puro e em paz, resignado de que a hora da partida daquela pessoa era a hora dela, era a hora de Deus.

Ps: se algum dia um médico disser para mim que tenho X dias de vida irei rir na cara dele, seja qual for a doença que eu tenha, por que, eles não fazem idéia do dia marcado para eu deixar esse mundo, só Deus é quem sabe.





Oiiii



eu passei aqui por esta pagina,por que acabei de voltar do velório da mãe do namorado de minha filha.Ela ficou mais de 3 meses internada,e agora fiquei sabendo pela minha sobrinha que ela morreu desta maldita doença(infecção)eu não entendo e me revolto,por que os médicos não agem mais rápido,sabendo que é tão grave!!ela ficou com falencia múltipla dos órgãos,e disseram para a família que não adiantava por na uti...e sim deixasse ela morrer...ela estava só sofrendo e a família tbm...que na uti ela só aguentaria 2 dias,e ia só sofrer..eu estou imprecionadíssima com tudo isso.me revolta...ver uma pessoa tão maravilhosa como ela morrer,por descaso...Ele fiseram várias cirurgias nela e não adiantava nada,ela só enfraquecia e piorava mais..tão cheia de vida!!Deixos seus filhos queridos,2 rapazes,e 1 moça de 14 anos...como que os hospitais estão jogando os pacientes nos quartos e não fazem nada pelas vidas...Ou nem menos descobrem rápido essa maldita infecção!!Desculpe o desabafo,mas estou chocada...e isso vai ficar por muito tempo...


Felicidades!!!Agradeço a DEUS por vc e muitas outras pessoas que sobreviveram...


abraços...

5 comentários:

  1. Oi Deá!
    Esse assunto mexe muito comigo...
    Ainda não mudei de opinião, acho que nenhum profissional da saúde acorda e planeja para o seu dia de colocar uma super bactéria dentro do corpo de alguém,mas quando acontecer não devem se esconder e fingir que nada aconteceu... Esses profissionais têm arcar com as conseqüências.
    Concordo com você Deá, também estou aqui por permissão de Deus, Este que nunca me abandonou e mais, sempre me fortaleceu...
    Nos três primeiros meses de internação nenhum médico nos explicou o que realmente estava acontecendo, com essa atitude nos tirou o direito de escolher continuar ou não no mesmo hospital. Tenho um convênio que considero muito bom, mas hoje olhando de fora, percebo que fiquei no meio de uma negociação milionária onde não podiam divulgar infecção hospitalar já que o hospital era do próprio convênio.
    Depois de quase seis meses fui informada pelo meu médico (funcionário do hospital) da época que tinha tido uma IH. Ele me falou e depois desconversava foi quando resolvi buscar meus prontuários e lá estava tudo registrado, aquilo que eles omitiam.
    Fui atrás de outros médicos para saber o por que da minha paraplegia nos membros inferiores. Ao olharem meus prontuários dizem que não sabem ate aonde vão essas seqüelas.
    Hoje ando de muletas e quando saio de casa preciso da minha super cadeira de rodas, também estou um duplo J num dos rins para tentar salvá-lo, fígado com estaneose de tanto antibióticos, intestino trabalhar já não sei oque é isso, recentemente fiz uma grande cirurgia para a retirada de um tumor infeccioso que esta para a terceira biópsia para a confirmação da bactéria. Tenho febres constantes de 38,38,5 e 39. Minha imunidade nunca mais foi a mesma. Hoje fico perguntando: Onde esta aqueles profissionais que iam ao meu quarto e nunca falavam claramente oque estava acontecendo? Entre eles estavam os diretores do hospital e muitos bambambãs daquele hospital de elite.

    Meus pais relatam que um dia subindo de elevador para ir a capela do hospital entraram no mesmo alguns médicos conversando e falaram que já não sabiam o que fazer a paciente no quarto tal que na opinião deles tinha que me induzir ao coma e levar para UTI mas ao mesmo tempo eles não entendiam de onde viam aquela força descomunal da paciente.(DEUS)
    Meus pais se incomodaram com aquela conversa e chegando a capela resolveram ir para o meu quarto e dão de cara com todos aqueles médicos me examinando. Lógico que me contaram isso depois de muitos meses.
    Por ai se tem a certeza que os profissionais ainda não sabem o que tem que ser feito num caso desse. UTI, mas se a bactéria estiver presente exatamente lá?
    Desculpe o desabafo, é que esse assunto realmente me dá muita raiva. Esse hospital ganha muitos prêmios pelo baixíssimo índice de infecção. Será que esses prêmios são merecidos ou forjados?
    Beijos e fiquem com Deus

    ResponderExcluir
  2. Olá Marcinha,
    No seu caso que o médico disse na sua cara e em seus prontuarios..rss...que era Infecção Hospitalar realmente é um caso grave de não só frustração, mas justiça.
    É descaso, enrolação, desrespeito, uma montão de coisa.
    O que eu sempre defendo é que não se pode jogar no mesmo saco todos os casos de infecção, todas as pessoas que morrem, todos os médicos...tem gente que luta sim pela vida, no meu caso tiveram vários médicos descabidos, falaram coisas horrivéis para minha família, mas teve também médicos que choraram no meu leito e que lutaram muito para me trazer de volta.
    A dificuldade em reconhecer que uma infecção é generalizada existe, em todos os hospitais, e infelizmente ela mata rapidamente sem que médicos que dão valor a vida possam fazer alguma coisa...(não é sempre que alguém morreu de Sepse que houve erro médico, descaso ou algo assim, cada caso é um caso e infelizmente não somos médicos para sabermos).
    Eu espero que haja luta no seu caso e em vários espalhados pelo mundo em que o descaso foi comprovado.
    No meu caso o que houve foi despreparo, demora em diagnósticar como infecção generalizada, mas acredito fielmente que até isso é proposito de Deus, desculpe se sou romantica, crente, ou sei lá o que, mas acho que de certa forma minha história foi instrumento para que houvesse um chacoalhão em alguns dos médicos que me trataram, assim como tudo que aconteceu comigo me transforma dia - a - dia...
    Minhas sequelas são minúscula diante das suas, mas também tive que aprender a administrá-las e quer saber sou grata a cada uma delas...(um dia sim outro não..rsss).
    Querida espero que um dia vc tenha a justiça que merece, e que a paz e a felicidade verdadeira habitem por todo sempre o seu coração.
    As nossas histórias e muitas outras estão longe de terminar.
    Sepse mata mais de 50% de suas vitimas..

    ResponderExcluir
  3. Olá, Déa, como vai? Peguei seu blog no blog da Márcia. Sou amiga dela e entrei lá, li o post dela sobre o desabafo que ela fez e resolvi vir aqui pra ler o seu post e o desabafo dela. E vou colocar aqui o que coloquei no blog dela: eu já tinha ouvido falar dessa tal bactéria, claro, mas não tinha a menor ideia do quão grave era isso. Não imaginava que podia lesar tanto a pessoa a ponto de perder a vida ou de deixar sequelas gravíssimas.... acredito que existam médicos despreparados pra lidar com esse tipo de coisa, mas também acredito que não informar tal coisa é possível. Nessa podridão que é a política do nosso país, a polícia e a saúde, tudo é possível. Ainda que seja em hospital particular, divulgar tais coisas é sujar a imagem do lugar e claro que omitir, esconder, ocultar é o caminho mais seguro pra eles e perigoso pra nós. Não podemos nos calar mesmo. Graças a Deus você e a Márcinha sobreviveram a isso, mas pessoas estão morrendo por conta disso..... é lamentável e assustador demais.... Força sempre!!!

    ResponderExcluir
  4. Olá Fabi,
    Seja bem vinda....
    Pois é Fabi, todos nós quando entramos pela porta do hospital e nos falam que estamos com uma infecção, nunca passou e passa pela nossa cabeça que pode gerar tantas outras coisas tão sérias....
    Realmente há muitos casos de descaso dos Hospitais públicos ou privados, muitos médicos despreparados, muitas enfermeiras despreparadas, muito tudo.
    Aqueles que desconfiam, ou no caso da Marcinha tem a certeza de que o problema foi INFECÇÃO HOSPITAR devem não só colocar a boca no tramboni..rss...mas exigir todos os direitos a que possam ter. (Perdas e danos, pagamento de tratamentos futuros por conta das sequelas, etc)
    Qualquer pessoa pode entrar com processo no Conselho de Medicina, se no meu caso eu tivesse alguma incerteza de que houve erro médico ou Infecção Hospitalar eu seguiria esse caminho.
    Meu cuidado aqui no blog (não com a Marcinha de quem já me considero amiga de emoções vividas..rsss) é não fermentar o ódio e nem dar palpites sobre o quadro médico de cada um, pois não sou médica, e não tenho como dizer se o que me contam aqui foi realmente descaso, despreparo, etc.
    MAS REAFIRMO, QUEM TEM DÚVIDAS, CERTEZAS (COMO A MARCINHA) DE QUE FORAM TRATADOS COM DESCASO TEM QUE FAZER O QUE TIVER AO ALCANCE, COMO CIDADÃO, COMO SER HUMANO.
    A MAIORIA DOS HOSPITAIS EM QUE HÁ INFECÇÃO HOSPITALAR REALMENTE NÃO DIVULGAM, POR MEDO DAS PUNIÇÕES, PROCESSOS E TUDO MAIS,ISSO É REALMENTE UMA VERGONHA E UM DESRESPEITO...
    Beijos Fabi...
    E vamos sempre manifestar nossa posição, por que, quanto mais se lê a respeito mais o cabelo fica em pé..rss

    ResponderExcluir
  5. Déa querida prefiro te mandar por email.

    beijinhos e fique com Deus

    ResponderExcluir