segunda-feira, 23 de maio de 2011

Reencontro

Estou aprendendo a entregar a minha vida aos imprevistos, aos tropeços, aos testes com forma, tamanho e gosto de sofrimento.
Estou aprendendo a ceder, a ouvir, a procurar entender.
Estou aprendendo que muitas vezes eu mesmo escolhi ficar só.
Estou pedindo para aprender a perdoar.
Estou implorando para esquecer aquilo que ainda machuca, que não cicatrizou, que me causa ânsia e desconforto.
Estou aprendendo que o que tem que ser é tão forte que não adianta fugir ele te encontra.
Estou aprendendo a esperar, orar, acreditar, entregar.
Estou aprendendo a ser sincera comigo e com os outros, mesmo que magoe.
Estou aprendendo a ser e menos ter.
Estou aprendendo que felicidade é escolha do nosso coração, e que não é preciso ter dinheiro, companhia, bens ou bem para ser feliz.
E quando meu coração não aguenta e fica apertado, numa mistura esquesita de falta de ar, de falta de amor, de falta de companhia.
Você me visita e me diz que nunca estive só, que você sempre esteve, está e estará ao meu lado.
E que mesmo que eu não o veja, não o sinta, nem lembre de sua alma, você vive dentro de mim, em forma de amor, desses que eu teimo em chamar de verdadeiro.
E mesmo só, aparentemente, eu sou completa, muito mais do que imaginam.
E num dia de domingo, a gente vai se reencontrar sem tempos ou espaços, simplesmente estaremos juntos novamente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário