segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Os papos da Dila.

Minha mãe esteve em sua médica nas clínicas alguns dias atrás e ela sempre vem com suas histórias, suas amigas, seus encontros e desencontros.
Desta vez ela conversou com uma senhora que tem uma sobrinha em Cuiabá que está prestes a ter que ser transplantada, sua mãe é quem irá doar e ela tem apenas 20 anos.
Claro como todo doente renal, ela tem muitas dúvidas receios, confusões...
Minha mãe respondeu o que pode e claro comentou de mim, do que passei, e ela é paciente da minha médica...
A senhora quando percebeu que tinha sentado do lado da coisa mais fofa do mundo...rsss, minha mãe, e de que não só ela, mas sua filha (eu) era transplantada, o destino, ou a mão de Deus, tinha agido em seu caminho, só podia ser isso..rss
Bom o final da história é que hoje eu deixei o livrinho lá na minha médica para quando a Emmanuelle vier em Janeiro pegar e descobrir quem sabe uma história diferente da dela, mas muito parecida.
Tomara que esse recadinho de Deus seja útil para ela, pra mim é a constatação de que o "livrinho" tem vida e destinos próprios e chega onde ele precisa estar.
Vai lá querido, toma seu papel, cumpra seu destino, eu como observadora fico na torcida para que sejas luz no caminho daqueles que tem dúvida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário