sexta-feira, 29 de abril de 2011

EVENTOS NO ICRIM

Gente,

Amanhã tem Bazar Beneficente do Dia da Mães no ICRIM (www.icrim.org.br) e tem coisinhas bem bonitinhas da TNG, peças com defeitos muitas vezes minúsculos...
Fica o convite.

Rua Loefgreen, 1427 - Vila Clementino

Das 10h00 às 16h00.

Eu estarei lá das 13h00 às 16h00.

Aproveito para convidar também para a PIZZA DO ICRIM que acontecerá dia 29/05/2001 num domingo às 17h00 no Clube Sirio Libanes.

Se tiver interesse em comprar o ingresso, deixem um recadinho que eu passo o telefone.

É isso adoro eventos, adoro o ICRIM, adoro ajudar.

segunda-feira, 25 de abril de 2011

Enchente na parte de cima do meu sobrado

Nossa como é difícil arrumar pessoas qualificadas para prestar serviços que mais cedo ou mais tarde todos nós precisamos.
No caso estou falando de pedreiros, gesseiros, eletricistas...
É uma má vontade tão grande, quando não cobram caro, não podem, somem, ou se vão sem acabar o comprometido.
Aliás, para simples mortais que não tem engenheiro para pilotar a obra, que atire o primeiro reboco quem não passou por essa situação.
Aqui, na nossa obrinha, a dificuldade foi imensa para arrumar o pedreiro, quando encontramos um que tinha um orçamento justo, o que ele não tinha era tempo, só poderia vir aos domingos, ignoramos a chatiação que é isso e partimos para a empreitada, estamos no quarto domingo, já que ele fez o favor de vir nesta quinta que foi feriado.
Estamos exaustas de tantas faxinas.
Bom ele veio nesta quinta e é trabalhador demais, deu um duro danado e por ficar tarde, escuro, a caixa é embutida dentro de nosso telhado, não entendo bem dessas coisas, mas algo deu errado na bóia...acordamos a uma da manhã com nossa casa sendo alagada...bom passamos a noite secando tudo e contabilizando os prejuizos...e as culpas.
Ninguém nos protege dos imprevistos, dos erros, dos maus calculos e por mais que encontremos culpados e deslizes como fazer com que eles paguem por isso, nem tudo nessa vida é a fogo e ferro.
Bom conseguimos dentro da calamidade manter a calma, o cansasso e no final os prejuizos verdadeiros virão com o tempo..o guarda-roupa que molhou, as madeiras que vão apodrecer, enfim, agora é seguir em frente.
Toda situação me fez ficar muito solidária com essas pessoas que vêem a enchente tomar conta de suas casas e perderem tudo.
Nós, graças a Deus não perdemos nada, só a nossa energia, mas estou traumatizada, por mim o registro ficaria para sempre fechado..rss
Bom meu pai, que é um homem das antigas, cheio de macetes e marido profissional, fez um furo na laje para a água do sotão escoar, fez um ladrão na caixa para que qualquer problema a água escoa por esse cano e não pela nossa casa e deu um jeito na bóia.
Quanto ao pedreiro, ficamos com dó, sua cara de desolação ao perceber que deveria ter prestado atenção na bóia antes de ligar o registro (ele não queria que ficassemos sem água), e seu ok a tudo que pedimos agora..rsss...todos nós estamos propensos a errar, fazer maus calculos e pior dá para garantir que não faremos de novo?
Pode ser que esse erro ele nunca mais cometa, mas e os outros, e as lições que a vida nos dá, e coisas que fogem do nosso controle.
Eu sei, que essa lição era para testar nossa paciência, o jeito que eu, meu pai, e minha mãe agimos um com o outro em momentos de crise.
Minha mãe ficou arrasada, pois, foi ela que insistiu que a caixa de água fosse trocada, meu pai, como sempre, não queria, e eu, bom eu não tinha opinião, mas indenpendente de tudo, ninguém tem culpa, pelo menos não a culpa de ter agido de má fé, há a culpa dos erros que acontecem na vida de cada um de nós...
Agora estamos na reta final da primeira etapa do pedreiro, paredes quebradas, parte eletricas, mais caixinhas, mais comodidade.
Depois é instalar tudo que seja de furar paredes, quadros, nichos, etc, depois pintar e instalar os lustres novos, aí é colocar os móveis que faltam e curtir o novo layout...
Eu não tirei fotos dos antes, portanto, só me resta mostrar o depois..rss
Um beijo grande para aqueles que enfrentam as tempestades com paciência e resignação e seguem em frente molhados, mas determinados.

quinta-feira, 14 de abril de 2011

Reformando a parte de cima.

Reforma, por que fazes assim, veja bem não mereço sofrer, quero apenas um dia viver numa de felicidade com uma casa que me ame de verdade...

Totalmente entregue a reforma, a corrigir as coisas de dentro para fora, para que que os móveis e as coisinhas novas fiquem protegidas e lindas.

Ainda estamos no rústico, massa corrida, quebra, puxa fios, coloca um gesso ali, uma moldura aqui, troca a caixa de água, limpa o sotão, acaba com as umidades das paredes, mas cada dia a casa vai ficando mais aconchegante, mais luminosa.

Doida para chegar a hora dos lustres, dos móveis, das coisinhas bonitinhas e mais ainda da organização, de jogar fora o que não serve mais, doar o que serve ao outro, e de CONTROLAR tudo...rss...eu sou assim controladora, quero saber tudo que tem aqui dentro, da casa e de mim...não para que vivam para sempre, mas para que eu tome nota de que existem.

Quando as coisinhas estiverem arrumadas eu mostro minhas artes para vocês...até lá!

Dica preciosa não comprem nada antes do quebra-quebra (dica que seguirei daqui para frente..rsss), principalmente móveis novos que podem ser riscados, empoeirados..rss.

sábado, 9 de abril de 2011

Os olhos que nunca choraram, raramente aprendem a ver - Memei

*Desde quando o senhor sabe que, do ponto de vista médico, sua doença é incurável?



JA - Os médicos chegaram a essa conclusão há uns dois anos e logo me contaram.

E não poderia ser diferente, pois sempre pedi para estar plenamente informado.

A informação me tranquiliza. Ela me dá armas para lutar. Sinto a obrigação de ser absolutamente transparente quando me refiro à doença em público.

Ninguém tem nada a ver com o câncer do José Alencar, mas com o câncer do vice-presidente, sim.

Um homem público com cargo eletivo não se pertence.

*O senhor costuma usar o futebol como metáfora para explicar a sua luta contra a doença.


Certa vez, disse que estava ganhando de 1 a 0. De outra, que estava empatado.


E, agora, qual é o placar?




JA - Olha, depois de todas as cirurgias pelas quais passei nos últimos anos, agora me sinto debilitado

para viver o momento mais prazeroso de uma partida: vibrar quando faço um gol.

Não tenho mais forças para subir no alambrado e festejar.



*Como a doença alterou a sua rotina?

JA - Mineiro costuma avaliar uma determinada situação dizendo que "o trem está bom ou ruim".

O trem está ficando feio para o meu lado. Minha vida começou a mudar nos últimos meses.

Ando cansado. O tratamento que eu fiz nos Estados Unidos me deu essa canseira.

Ando um pouco e já me canso. Outro fato que mudou drasticamente minha rotina foi a colostomia

(desvio do intestino para uma saída aberta na lateral da barriga, onde são colocadas bolsas plásticas),

herança da última cirurgia, em julho. Faço o máximo de esforço para trabalhar normalmente.

O trabalho me dá a sensação de cumprir com meu dever. Mas, às vezes, preciso de ajuda.

Tenho a minha mulher, Mariza e a Jaciara (enfermeira da Presidência da República) para me auxiliarem com a colostomia.

Quando, por algum motivo, elas não podem me acompanhar, recorro a outros dois enfermeiros, o Márcio e o Dirceu.

Sou atendido por eles no próprio gabinete. Se estou em uma reunião, por exemplo, digo que vou ao banheiro, chamo um deles e o que tem de ser feito é feito e pronto. Sem drama nenhum.




*O senhor não passa por momentos de angústia?

JA - Você deveria me perguntar se eu sei o que é angústia. Eu lhe responderia o seguinte:

desconheço esse sentimento. Nunca tive isso. Desde pequeno sou assim, e não é a doença que vai mudar isso.



*O agravamento da doença lhe trouxe algum tipo de reflexão?


JA - A doença me ensinou a ser mais humilde.Especialmente, depois da colostomia.

A todo momento, peço a Deus para me conceder a graça da humildade.


E Ele tem sido generoso comigo. Eu precisava disso em minha vida. Sempre fui um atrevido.

Se não o fosse, não teria construído o que construí e não teria entrado na política.



*É penoso para o senhor praticar a humildade?


JA - Não, porque a humildade se desenvolve naturalmente no sofrimento.

Sou obrigado a me adaptar a uma realidade em que dependo de outras pessoas para executar tarefas básicas. Pouco adianta eu ficar nervoso com determinadas limitações.


Uma das lições da humildade foi perceber que existem pessoas muito mais elevadas do que eu,


como os profissionais de saúde que cuidam de mim. Isso vale tanto para os médicos Paulo Hoff, Roberto Kalil, Raul Cutait e Miguel Srougi quanto para os enfermeiros e auxiliares de enfermagem anônimos que me assistem.

Cheguei à conclusão de que o que eu faço profissionalmente tem menos importância do que o que eles fazem. Isso porque meu trabalho quase não tem efeito direto sobre o próximo.


Pensando bem, o sofrimento é enriquecedor.



*Essa sua consideração não seria uma forma de se preparar para a morte?

JA - Provavelmente, sim.

Quando eu era menino, tinha uma professora que repetia

a seguinte oração: "Livrai-nos da morte repentina". O que significa isso?

Significa que a morte consciente é melhor do que a repentina.


Ela nos dá a oportunidade de refletir.




*O senhor tem medo da morte?

JA - Estou preparado para a morte como nunca estive nos últimos tempos.

A morte para mim hoje seria um prêmio. Tornei-me uma pessoa muito melhor. Isso não significa que tenha desistido de lutar pela vida. A luta é um princípio cristão, inclusive. Vivo dia após dia de forma plena.
Até porque nem o melhor médico do mundo é capaz de prever o dia da morte de seu paciente. Isso cabe a Deus, exclusivamente.



*Se recebesse a notícia de que foi curado, o que faria primeiro?

JA - Abraçaria minha esposa, Mariza e diria: "Muito obrigado por ter cuidado tão bem de mim".

Recebi esse e-mail, nem lembro mais de quem, infelizmente, algum amigo querido com certeza, não sei qual a fonte, se é verdadeira, mas só sei que as palavras citadas aqui me tocaram profundamente, por expressar muitas coisas das quais acredito, vivenciei e luto para manter em meu coração.
 
As partes em vermelho dão letras aos meus pensamento, dos quais interpreto que te darem banho, te ajudarem, com coisas que julgamos nojentas, sujas, mas que todos nós temos dentro de nós..rss, não tira dignidade alguma, afinal ser digno está dentro de nós mesmos, precisei de ajuda, por não me mover, por quase um ano, e precisei de ajuda emocional durante toda a minha vida..rss, não há diferença entre elas.
 
Sabe a frase cuidado com o que pede, pois é, todo drama, dor, alegria, que você tem em sua vida, foi pedido por você, e permitido por Deus, conforme seu merecimento, para seu crescimento espiritual, TUDO, até mesmo a partida daqueles que amamos e a nossa se dá no momento exato e serve como aprendizado, para os que vão e para os que ficam, para o que precisamos naquele momento.
Tem coisas que nos tocam mais em determinados momentos do que em outros, não é por acaso, somos tocados pelas coisas que nos acontecem com aquela intensidade por um motivo muito especifico.
 
Ahhh a Humildade ela é puro amor, amor por você mesmo, amor pelas outras pessoas, exatamente do jeito que somos e que elas são, humildade para mim neste mundo é puro diamante, extremamente raro.
 
O trabalho de Deus não é o trabalho dos homens, não tem como pagamento, nenhum tipo de moeda, de troca, aliás o trabalho de Deus é somente doação, amor, é auxiliar o seu próximo.
 
Uia..sábia professora, livrai-nos da morte repentina....livrai-nos do não aprendizado, de passar por essa vida sem nos tornarmos melhor, sem consciência.


"A morte para mim hoje seria um prêmio. Tornei-me uma pessoa muito melhor. Isso não significa que tenha desistido de lutar pela vida. A luta é um princípio cristão, inclusive. Vivo dia após dia de forma plena.

Até porque nem o melhor médico do mundo é capaz de prever o dia da morte de seu paciente. Isso cabe a Deus, exclusivamente."

A frase aí de cima é exatamente o que penso, sinto, falo, ela expressa exatamente o desejo do meu coração.

E por último: Em momentos de crise só aqueles que te amam de verdade são capazes de ficar ao seu lado, presenciar tudo, te levantar. A família, principalmente seus pais, ou um esposo ou esposa muito especial são aqueles que te levantarão do pior pesadelo que tiver.
Alguns, por mais que lhe amem, não estão preparados ainda para vivenciar tamanha dor, não os culpe, perdoe-os eles ainda não estão preparados, mas um dia estarão também.

Que José Alencar esteja na paz de Deus!

Ajude o planeta a ficar mais chic!

Gentiii,

Na Revista Ecos (Revista da Empresa Audibel - Aparelhos Auditivos), tem um espaço chamado Ecociente que traz dicas sobre formas de ajudarmos o planeta.
E a dica deste mês é sobre a reciclagem das chapas de Raio-X que doadas viram jóias e até embalagens de presente. (A prata utilizada e o plástico)
O ponto de coleta é no Hospital das Clínicas, de segunda a sexta, das 8hs às 17hs.
MAS IMPORTANTE: Antes do descarte verifique com seu médico, pois, algumas delas podem servir de referencial comparativo.

Eu farei uma limpa nas minhas (que diga-se de passagem são muitasssssss...rsss, herança do ano de 2005 quando fiquei doente).

Adorei a dica!

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Mais um selinho


Adoro os selinhos, mas as regras estão ficando cada vez mais difícies para mim, e se quiserem me tirar da lista por não fazer direito eu entendo..rsss

Quem ganha tem que seguir a regra de quem mandou, creio eu, o primeiro selinho...ufa...dessa vez era falar de quem ganho (fácil) minha querida Marcinha do blog UM DIA DE CADA VEZ: http://marciapitelli.blogspot.com/

E desta vez era dar para 10, 15 ou 30 blogs para receber o selinho, e fico na mesma saia justa, nem todos me lêem, nem todos virão aqui e vão ver essa belezura, então, que me desculpem, mas eu mudo as regras..rsss, quem vir aqui sinta-se amado para ganhar esse selinho com todo meu amor e carinho...

Ritinha do blog : Vivendo no mundo de Rita
Minha prima Fá: Meu Anjo Miguel
E por aí vai....

Sintam-se selados e amados

Beijocas para quem também ama selinhos, mas não consegue seguir muito bem as regras.

domingo, 3 de abril de 2011

Delírios e interrogações sobre o que vem a ser amar.

Quando eu era menina, eu achava o máximo quando em filmes, ou até alguma vizinha sortuda ganhava um bouquet de flores...meu coração disparava.
Eu desde muito nova tinha meus desejos secretos e um deles era que iria me casar com o primeiro que me trouxesse flores.
Sabe aquele bouquet caminhando pelo pátio da escola, deixando todas as meninas embriagadas de tanto amor e consideração, muitas de nós descobrimos depois que muitos daqueles bouquets tinham outras intenções e não eram simplesmente flores lindas.
Muitos eram culpas, pedidos de desculpas, conquistas, apegos, dominação..
Aí a cada flor que fui ganhando pela vida eu fazia questão de esquecer a minha mandinga, por que nenhuma das vezes era como eu imaginava que deveria ser.
Umas vieram murchas, outras não eram minha flores preferidas e muitas delas não tinham o seu autor o perfume que combina perfeitamente com o meu e outras tantas não eram flores eram subtérfugios.
Eu realmente acredito que muitas de nós vieram tão fortes, tão destemidas que o amor de homem e mulher, apesar de belo e necessário neste mundo, é algo pelo qual descobrimos é o mais difícil de se transformar em amor incondicional, por que, há o apego, o sentir-se dono, e no mundo atual há o individualismo que em nada combina com o simplesmente amar.
Meu primeiro amor se casou com uma namorada que ficou grávida, lembro que mesmo na minha ingenuidade de quinze anos eu desejava do fundo do meu coração que se ele fosse feliz deveria ficar com ela para todo sempre e que eu nunca mais o visse, eu desejava que assim fosse, apesar do meu coração partido, confesso que lá fundo eu também desejava que ele não fosse (no final do meu pensamento eu sempre pensava, mas se ele não for, três pontos..rsss).
Hoje eu também penso assim, que o amor de verdade quer que o outro esteja bem, esteja onde estiver, só amar aquela pessoa basta, completa, acalanta, amor difícil esse de se ter e sentir.
Amor esse que caminhamos, dizem os entendidos para encontrar e sentir (pasmem) por todas as almas!
Eu me descubro a cada dia que dei um passo e regredi dois, nesse amor escola, deste mundo, pois ainda levo comigo os desejos, as aspirações romanticas, o bouquet de flores (das minhas preferidas..rss) daquele que deveria ser meu companheiro desta vida!
Deus continua me testando e eu continuo decepcionando-o e ele como pai amoroso que é, me diz sempre que ele não só perdoa meus preconceitos com os pretedentes e comigo mesma, minhas exigências, meu despreparo, a indecisão do meu coração, como já esqueceu (como diz a mensagem do outro post) e está esperando, sempre, que no próximo teste eu esteja pronta para tentar de novo e me entregar ao amor escola para que um dia eu esteja preparada para o amor incondicional.

sábado, 2 de abril de 2011

Idéia charmosa e prática - Champanhe.

Gentiiii,

Olha que máximo essa embalagem da Chandon para você levar à um Pic Nic...a embalagem permite levar o gelo e assim manter sua champanhe geladinha e pronta para saborear...Amei!

Tem embalagens lindissimas Veuve Cliquot, mas a Chandom é mais para o meu bolso...