segunda-feira, 30 de maio de 2011

Do Baú - A Mala da vó.

Eu já contei a história do baú que aqui em casa chamamos de "MALA DA VÓ".
Esse baú eu herdei da minha avó Anita, faz alguns anos, acho que por volta de uns 12/15 anos.
Sem mais nem menos eu pedi ele quando a minha avó morresse (assunto que eu levo numa natural..rsss), e minha avó super carinhosa, falou que se eu fosse cuidar direitinho eu podia levar na mesma hora.
A mesma hora demorou um pouco, já que ele é um peso imenso e foi preciso vir de caminhão lá do Paraná para a minha casa.
Mas quando chegou, foi uma alegria imensa, é lá que guardo minhas recordações, os cartões, cartinhas, bilhetinhos, diários, e tudo que me dão, coisas que são super especiais para mim.
Quando pintei pela primeira vez, ainda era uma menina e foi esse o tema escolhido, bonequinhas que representavam meus amigos, vários viam aqui e se identificavam com uma das bonequinhas ou bonequinhos e para mim eu era a de cabelo encaracolado, sozinha e ao mesmo tempo acompanhada de todas essas pessoinhas que eu amava.

A mala foi feita e dada para minha avó pelo seu cunhado, que era marceneiro, o marido da Tia Aurora, uma das irmãs adotivas da minha avó.
Ela foi feita para servir de mala (naquele tempo não tinha de rodinhas 360 graus..rss), para que ela levasse seu enxoval de Caconde para o Paraná, mais precisamente Cornélio Procópio.
Lá ela ganhou um reforço do meu avô Zico no fundo, e em casa meu pai colocou pés e o puxador antigo que gosto muito.
Ou seja ela é o remendo carinhoso de muitas pessoas que eu amo....
Mas já estava na hora dela ganhar nova roupagem, e como eu amo fotos, e elas têm tudo a ver com recordações, foi o espaço escolhido para ser o lugar do meus amigos, das memorias da minha vida.
E assim entre várias etapas a transformação foi feita, adorei o resultado e espero que a minha avó curta também, sempre que chego lá ela quer notícias, por que, ela diz que só gosta de dar as coisas para quem ela sabe que cuida, e que em quanto ela tiver olhos (ela aponto para os dois..rsss) e ainda estiver nesta vida, ela quer ver as coisas que ela deu com todo amor serem bem cuidadas.
Eu cuido vó, cuido muito, amo de paixão as coisas que me deu, que contam histórias da sua vida e agora da minha.

Por dentro, ela também vai ganhar uma mão de verniz, mas a arrumação foi feita, uma caixa de madeira, feita pelo meu pai, guarda meus diários, coisas de escola, etc.
Uma linda de imagens de Cartas, guarda as muitas cartas que troquei com muitos amigos e amores.
Uma outra de flores, guarda cartões postais, ingressos, cartões de natal, aniversário e tudo que eu ganho, ou gosto de guardar.
E uma outra fininha, com flores igual a das diversas, eu guardo as coisas dos meus pais, da mocidade deles, cartas de seus amores, de seus amigos, acho que essa mania vem deles, essa vontade imensa de que nossas recordações tenha letras, cheiros e não morem somente dentro de nossa memória, mas tenham um lar majestoso como a MALA DA VÓ.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Selinho...selinho...ganhei da Fá.

Fragmentos de amor.

Por motivos que só posso considerar destino, uma cartinha escrita pelo meu amigo Gustavo Neder, ficou perdida em casa, no criado mudo do meu pai, numa gavetinha, provavelmente dos tempos que fiquei de cama lá, logo que vim do hospital.

Um pena, era para estar no livrinho, mas de certo modo, acho que era para estar aqui também, então...




Nem preciso dizer o quanto me emociono com tudo que está escrito, não preciso dizer que a foto que cita é uma das minhas prediletas, eu estava feliz na foto por ter a presença surpresa de um amigo que considero um irmão para mim, do coração, de escolha, no meu aniversário, não preciso dizer que sou grata a Deus pela chance de continuar aqui, aprendendo, me emocionando, vivendo com pessoas tão especiais como Guga, que irá no dia quatro se casar.
É meu queridão AINDA TINHAMOS E TEMOS MUITAS EMOÇÕES PARA VIVER!!!

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Seis mil visitas.

Obaaaaaa!
Seis mil visitas...
Pouco, muito? Não sei...
Suficiente para alguém que só queria ter um espaço para escrever

Obrigada a você que visita e lê meus textos, compartilha meus sonhos, comenta minhas posições, deixa beijo, mensagens bonitinhas, ois cheios de carinho e amor.



Beijos e obrigada!

Enfrentando o medo.

"EI...MEDO EU NÃO TE ESCUTO MAIS, VOCÊ NÃO ME LEVA A NADA.."

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Frase inocentes, saudáveis e surpresas.

Bibi:

Eu adoro comer legumes, verduras e frutas, é muito saúdavellllllll!

Outra:

Chego na sua casa e você me arrasta para o quarto, e sussura um segredo em meu ouvido, que eu não posso contar para ninguém, afinal: É segredo né titia!

"O menino da minha classe me beijou". Eu chocada...imaginando o pior.

"Onde Bibi?"

"Aqui Titia" - Mostra a bochecha.

"A Eduarda beijou na boca, mas eu beijei na bochecha..."

Por algum tempo ficarei aliviada, mas até quando.....

(aconselho você que na boca não pode, que vc ainda é muito pequena...tomara que meu conselho fique em sua cabecinha por um longo tempo...rsss...são as esperanças minhas e de seus pais).

Há um tempo atrás...no natal...acho que vc tinha uns quatro...compramos uma orquidéa de presente para a vovó, sua flor predileta, e combinamos no caminho, eu, você e vovô que era surpresa, que não podia contar para ninguém, entende Bibi? SIM, NÃO PODE CONTAR PARA NINGUÉM.

Assim que chegamos deixamos a orquidea na garagem escondida, você entra correndo não vê que fizemos isso, corre para a Vovó e diz:

"Vó, tem um presente para vc, mas é surpresa, não pode contar para ninguém".

Olha de supetão para mim, e começa a chorar por não ver a flor, (tipo cadê a surpresa que eu disse para a minha avó que tinha...rsss).

Todos dão risada...

Eu tenho que pegar a flor do esconderizo e lhe entregar para vc dar para a avó.

"Ohhh vó é essa a surpresa, mas não conta para ninguém."

É Bibi, pelo menos agora com cinco você já sabe o que é surpresa, agora mais para frente você vai descobrir que pedir para não contar para ninguém é outra história.

Frases inocentes e decididas.

No carro, falamos de casamento, não lembro mais qual o assunto...
Você e Bia no banco de trás começam a cantar:
taramtaramtaramramtaramtaram....
Eu e mamys damos risada e você Rafa todo serelepe:
"Nem vem que não tem Titia, eu não vou ser seu daminho".
Rsss

Fragmentos de amor

Aqui e lá....Em qualquer lugar....



AGORA é a hora e sempre vai ser.....


E essa hora não tem começo....Nem fim...


Ela é eterna! (Andrea Prado) - Publicado no face de uma amiga. (G)


Tenho absoluta certeza de que o ACASO não existe! Sinto-me muito feliz em ler um livro de alguém com história tão intensa e ler que no final: tudo sempre dá certo, se não deu ainda é que não chegou ao seu fim.


• eu comecei a ler o seu livro, mas a gabizinha nao deixa eu terminar..... mas ja estou adorando... gd bj
Prima – PR



Dea parabéns novamente pelo seu livro...meu pai amouuuuuuuuuuu e muito..



"Déia vc nao tem noçao do tanto que eu amei o livro,vc está de parabéns e fiquei muito grata a minha dedicatória.Conto a sua história para várias pessoas aqui,é muito linda!!!!bjos bjos"


Ahhh amei o livro viu emocionante lindo mesmo, parabéns fico muito orgulhosa por te conhecer com esta estoria de vida, parabéns pela sua força....

Oi andrea eu recebei o seu livro estou lendo , ... obrigado voce e mesmo uma guerreira.. beijos – Amigo transplantado

Reencontro

Estou aprendendo a entregar a minha vida aos imprevistos, aos tropeços, aos testes com forma, tamanho e gosto de sofrimento.
Estou aprendendo a ceder, a ouvir, a procurar entender.
Estou aprendendo que muitas vezes eu mesmo escolhi ficar só.
Estou pedindo para aprender a perdoar.
Estou implorando para esquecer aquilo que ainda machuca, que não cicatrizou, que me causa ânsia e desconforto.
Estou aprendendo que o que tem que ser é tão forte que não adianta fugir ele te encontra.
Estou aprendendo a esperar, orar, acreditar, entregar.
Estou aprendendo a ser sincera comigo e com os outros, mesmo que magoe.
Estou aprendendo a ser e menos ter.
Estou aprendendo que felicidade é escolha do nosso coração, e que não é preciso ter dinheiro, companhia, bens ou bem para ser feliz.
E quando meu coração não aguenta e fica apertado, numa mistura esquesita de falta de ar, de falta de amor, de falta de companhia.
Você me visita e me diz que nunca estive só, que você sempre esteve, está e estará ao meu lado.
E que mesmo que eu não o veja, não o sinta, nem lembre de sua alma, você vive dentro de mim, em forma de amor, desses que eu teimo em chamar de verdadeiro.
E mesmo só, aparentemente, eu sou completa, muito mais do que imaginam.
E num dia de domingo, a gente vai se reencontrar sem tempos ou espaços, simplesmente estaremos juntos novamente.

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Tempo de duração X Investimento

Gente,

Estou indignada com a empresa Itálinea.
Fiz meu guarda-roupa embutido, um sonho protelado durante anos até que tivesse a grana necessária, uma escolha entre trocar de carro e fazer o guarda-roupa.
Com nem um ano de vida o danado envergou, isso mesmo, sua madeira de fechamento entre a parede e o guarda-roupa em si ficou tortinho tortinho.
Eu estava ainda na garantia, mas estava indo viajar para fora do país pela primeira vez na vida, outro sonho protelado durante anos e deixei minha mãe encubida de chamar o técnico...bom a loja em que comprei estava fechando e uma outra estava em seu lugar, minha mãe falou com o vendedor da nova loja que ficou de encaminhar esse pepino para o vendedor que havia me atendido..
Bom nem preciso gastar letrinhas para dizer que isso não aconteceu.
Quando cheguei, um ano de vida já tinha se passado e o guarda-roupa já não estava mais na garantia, achei o vendedor numa outra loja Todeschini, que é do mesmo dono da Itálinea, quase uma máfia, e ele ficou de entrar  em contato com a fábrica e tentar um desconto, uma atenção especial para mim, lógico isso não ocorreu e me cansei de esperar.
Meti uma madeira para conter o envergamento e segui em frente, esperando a hora que tivesse uma graninha para mandar consertar.
As portas de correr que nunca correram livremente estão a cada dia mais indispostas e agora uma delas saiu do trilho, o que faz com que cada vez que eu abro a porta (com uma força imensa) ela raspe na madeira danificando cada vez mais.
Ligações infinitas para a fábrica em outro estado, reclamação anotada, numerada, e sem fim...
Me dão o telefone de São Paulo, onde a moça que deve me atender é a única com quem nunca falei, nas cinco ou seis ligações que fiz.
Até que passam meu telefone para uma empresa que presta serviço para Itálinea, e pelo que pude perceber para outras marcas (máfia mesmo), para o técnico vir aqui, simplesmente verificar e me dar o orçamento cobra-se R$ 100,00.
Com R$ 100,00 eu rodo de gasolina pelo menos a semana inteira...eu acho um absurdo, e não esse dinheiro não será encorporado caso eu aprove o orçamento, não é só a visita.
Então, quando forem comprar um bem, que não é barato, conversem e se informem caso haja um problema no futuro se a empresa continuará lhe dando uma assistência justa, se tem uma assistência técnica, por que um bem que irá durar um tempo, com certeza precisará de reparos.
Fica minha indignação a péssima qualidade do produto que infelizmente comprei pensando que duraria alguns anos em bom estado.
Sinceramente pensarei duas vezes antes de comprar outro guarda-roupa embutido, o das Casas Bahia, Marabrás, não fazem feio e não fingem ser o que não são.
São baratos, e duram o investimento feito.
Diferente de pagar caro e não durar dois anos.

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Texto muito interessante....o velho e bom: Cuidado com o que pede e deseja, pois, será atendido.

Deixe Ir... Respeite o Fluxo do Universo (Jornada através do vazio)
Às vezes as mudanças que surgem são tão grandes que nos deixam desorientados e alarmados. Um marido que morre subitamente. Uma carreira que termina de repente. Uma ligação de um amor profundo que se rompe, sem motivo aparente. Esta é frequentemente a lição de Urano, cortando-nos abruptamente do velho e nos liberando para o novo. Ou a lição de Plutão, que nos despoja de tudo quanto é entulho. Entre o velho e o novo, entretanto, está o vazio. E no vazio podemos sentir uma profunda tristeza.

A tristeza é a primeira fase do vazio. A fase na qual lamentamos o que está perdido. É um momento doloroso. Mas é também um período de limpeza, pois cada experiência de tristeza, quando plenamente compreendida, nos permite fazer uma limpeza profunda de toda a velha dor. Pois em cada episódio de profunda tristeza, o coração, quebrado, se abre, e a partir desta abertura, a energia das velhas feridas pode ser liberada. Antigas dores de vidas passadas, da infância, os desapontamentos da vida atual, tudo o que esteve energeticamente trancado no coração, pode ser sentido e, eventualmente, liberado. Lágrimas, como a água, nos limpam e nos ajudam a manter o nosso coração aberto. As lágrimas contidas criam um endurecimento e uma obstrução no coração, o que nos paralisa e nos impede o estado de amor que procuramos para dar e receber. Este é um momento sagrado e tem o seu propósito de cura.

A segunda fase do vazio é o que acontece quando a tristeza está quase esgotada. A dor começa a diminuir e nós aceitamos o que é. É quando surge um vislumbre da nova vida, novos sonhos começam a se formar, como novos brotos germinam na primavera. Esta fase do vazio é uma fase de potencial, uma fase onde começamos a decidir para onde apontarmos a seta, a fim de criarmos o novo capítulo em nossas vidas. Não importa quão profunda seja a perda, há sempre um novo capítulo, um novo início, esperando.

O vazio é o momento no qual nós começamos a definir a intenção da nova jornada à frente. Ao olharmos o que já terminou, podemos ver que, talvez, partes disto não fossem um verdadeiro reflexo de quem nós somos e podemos partir para criarmos algo que melhor combine com a nossa atual expressão. Se uma carreira termina, geralmente é porque nós a superamos. Se um relacionamento termina, geralmente, é porque chegou a um ponto em que teríamos que nos afastar desta pessoa, se quiséssemos evoluir. Até no caso de entes queridos que morrem, as Almas geralmente partem pelo acordo da Alma, quando os contratos que tínhamos com eles, expiraram. Assim, até nestas situações podemos ver que frequentemente os entes queridos nos deixam porque eles completaram o que eles vieram fazer, mas também para que possamos ser liberados para avançarmos para novos territórios. Tão sem sentido quanto alguns de nossos términos possam parecer, raramente eles são aleatórios e quase sempre acontecem de modo que possamos ser liberados nas partes da jornada que não podemos seguir juntos, pelo menos nesta expressão do plano da Terra em particular. Assim, em algum ponto, enquanto as lágrimas secam, é natural começarmos a aceitar a jornada à frente, de modo que possamos seguir em direção às novas experiências que nos acenam.

Se não tivermos certeza para onde ir, se os ventos da mudança estão soprando, mas o destino ainda não está claro, um modo de avançarmos é pedirmos que o próximo nível do nosso projeto comece a ser ativado e para que a nossa Alma ajude a atrair para nós todas as pessoas, situações, oportunidades e experiências que precisamos, a fim de realizarmos o próximo nível do desdobramento da nossa Alma para esta existência, no tempo divino e perfeito. Em breve, os novos passos a tomar se tornarão mais claros e novos caminhos se abrirão para trilharmos. Observem a sincronicidade e as portas que logo se abrem repentinamente depois que fazemos esta solicitação e notem aquelas que se fecham abruptamente.

Se, ao invés disto, houver uma qualidade que vocês estão desejando e uma direção que vocês SABEM que querem que se manifeste, mas não sabem bem como, peçam que esta qualidade seja trazida até vocês. Lembrem-se sempre de almejar as qualidades que vocês querem criar em sua vida (paz, amor, tranqüilidade, diversão, emoção) e menos as espécies (um carro, uma casa, uma viagem), pois as qualidades lhes trarão as formas através das quais eles possam ser canalizados, além do que as espécies podem vir até vocês vazias das energias que vocês buscam. Assim, peçam as qualidades e vejam o que se apresenta. Peçam, por exemplo, uma carreira que seja um canal da expressão da sua alma e os faça sentir grandiosos, ao invés de um emprego com um determinado salário e horário. Peçam um relacionamento que os ilumine, inunde-os com o amor, a conexão e a felicidade da Alma, e não com um companheiro que preencha uma lista de coisas exteriores. E deixem o universo escolher os detalhes. O Universo é muito mais criativo do que nós e geralmente nos surpreende com mais do que pedimos, pois a nossa habilidade para criar é limitada pelo nosso atual nível de imaginação, que está sempre baseado em nosso passado.

Mas, o mais importante: confiem que tudo em sua vida está acontecendo perfeitamente, ainda que não possam entender completamente por que as coisas tinham que mudar, confiem que um dia vocês compreenderão. Há muita pouca aleatoriedade em nossas vidas. Nós criamos as nossas próprias realidades sim, mas os golpes abruptos em nossas vidas são determinados pelos contratos de Alma. “NOSSOS” contratos de Alma. Somos nós que estamos ainda criando, mas a partir de um nível mais elevado de ser, que devido ao véu que temos neste plano, permanece em grande parte inconsciente e que frequentemente parece uma guinada externa do destino. Mas é sempre a nossa Alma, decidindo que é o momento de avançarmos, para que experiências novas e mais plenas possam ser trazidas.

Lembrem-se de que o objetivo da Alma é continuar a expandir quem nós somos, assim podemos nos tornar maiores, mas ousados, mais brilhantes em nossa luz e amor, e em nossa habilidade de canalizarmos a plena expressão da nossa Alma através do veículo físico.
Assim, aceitem o vazio como a oportunidade de expandi-los, e de trazer a expansão a sua vida, para conter mais da sua verdadeira essência. Viajem totalmente no vazio, sabendo que, eventualmente, vocês aterrissarão em uma nova praia. E invoquem o brilhante amanhã que os aguarda, para que possam receber a sua próxima aventura no ser. Aguardem com expectativa a nova vida por vir.

Muito amor e bênçãos,

Katie - Direitos Autorais 2010-2011. Katie Gallanti. Da mensagem do blog “Jornada através do vazio”.

quarta-feira, 11 de maio de 2011

Sorry

Sorry pelo sumiço, computer quebrou, uma semana para ver se tinha conserto e uma semana para configurar o novo...
Fora estar desconectada, mudei de operadora de celular, fiquei sem telefone em casa por conta de fios cortados na reforma, ou seja, blackout total...agora que a vida está entrando nos eixos da comunicação novamente.
Amanhã viajo para o casamento de uma prima mais que querida, uma prima de escolha de coração, muito mais forte que a obrigatoriedade do sangue.
Com certeza me divertirei.
Em breve eu volto com muitas novidades, muitas artes, muitas coisas boas.
Até!