sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

Nuestra (Siete Mujeres) querida Buenos Aires.

Sexta-feira - Dia 17/02/2012 
Alguns dias antes de viajar encontrei-me com meu querido amigo Dr. Renato, contei que estava indo para Buenos Aires no Carnaval e nessas coincidências da vida que adoro (Anjos queridos) ele também embarcaria para o Chile no mesmo dia...carona oferecida, carona aceita e estendida para a amiga da amiga da amida da genti que só conhecia por telefone e e-mail.
Busquei  a Silvia em sua casa, perto da minha, às 5 da matina, e seguimos para a casa do anjo Dr. Renato, fomos para o aeroporto e gentleman é gentleman, vi ele pagando o moço da van por carregar nossas malas, delicadezas e educação que anda em falta neste mundo.
Tomamos nosso primeiro café em grupo e eu apressada que sou sempre me esqueço de verificar se as outras pessoas realmente acabaram, é que sou rápida, mas nem todos são...fica a dica para a minha listinha de aprendizados. (já tomei a primeira de muitas olhadas tortas que ensinam..rss)
No Free...nossas primeiras comprinhas (óculos) e embarcamos rumo ao nosso destino.



Sempre que chego a impressão é que todas as cidades são parecidas, até que as diferenças vão sendo descortinas uma por uma em surpresas senão agradáveis pelo menos diferentes.
Infelizmente é feriado de Carnaval em Buenos Aires também, ou seja, a maioria saí da cidade e ela foi realmente invadida pelos Brasucas.
Algumas lojas fecham, mas nem os locais sabem dizem quais, corremos para trocar nosso dinheiro para conseguir um valor melhor, já que nos finais de semana e feriados além de muitas não abrirem, a cotação é sempre desigual.
Seguimos para a Paris, que me foi indicada, mas o sistema tinha caído e como tínhamos até às cinco para resolver essa pendenga, fomos numa próxima que tinha uma cotação um pouco pior, mas estava mais vazia, melhor garantir do que remediar.
A cotação era 2,49 para cada real. (Sarmiento um pouco antes da Paris, não anotei o número)
Na Paris a cotação era de 2,53.  (Rua Sarmiento, 399)
Mas caso você deseje saber a cotação lá na Argentina e escolher a melhor casa de Câmbio para sua troca vá no site: www.dolarhoy.com
DICA: DEIXE PARA TROCAR SEU SUADO REIAS NA ARGENTINA, NO BRASIL A COTAÇÃO É PÉSSIMA. (cada um real comprava 2 pesos)
Dinheiro em mãos, encontramos com o resto das meninas que já estavam abonadas no restaurante indicado pela guia local do pacote que compramos.
Dica: Quase nunca as dicas de guias turísticos do local são dicas bacanas, geralmente eles têm permutas ou ganham pela indicação.
Melhor seguir a dica dos turistas, de quem já foi, há sempre a possibilidade de você não curtir (é uma questão de gosto), mas garanto que será melhor do que os de guia.
Comemos nosso primeiro pedaço de chourizo (contra filet) e apesar da aparência não agradar aqueles que como eu não gostam muito de carne, o gosto até que é bom.
O lugar não me agradou, aquelas casas antigas, sem nenhum charme, nem tradição, mas quem quiser se arriscar segue o endereço:
La Estancia Asador Criollo (Lavalle, 941)
A conta deu: P$ 575,00, aproximadamente:  R$ 230,00 para sete pessoas, com garrafa de vinho, refrigerante, duas porções de carne (uma boa outra péssima) omelete, etc.
chorizo

Já tinham comentado que a garrafa de vinho saí mais barato que a de água (P$ 15,00), sabemos que água nos lugares são mais caro, mas Buenos Aires foi a cidade que estive que ganhou.
Outra dica: As contas em Buenos Aires não incluem os 10% do garçom, só os serviços da mesa, que refere ao couvert, etc.
É simpático e educado dar a gorjeta ou propina como é chamado lá.
O problema quando viajamos com muitas pessoas são os trocados, e acertos desse tipo, mas com jeitinho e calma tudo se resolve, um dia você perde alguns trocados (centavos, um ou dois reais), mas mais lá na frente você ficando devendo, portanto, não se estresse com isso.
Ahh a conta deve ser separado da propina o que causou contas, discussões e desencontros entre nós.
Eu na maioria das vezes consegui com minhas posses..rs e a ajuda de amigas mais intimas contornar esses problemas, mas é um pouco chato lidar com dinheiro e personalidades diferentes não é não?
Muito cansadas da viagem, algumas ficaram no restaurante e bar da esquina do Hotel bebendo, outras foram dormir, outras dar volta e eu fui garantir meu estoque de água..rss
Como transplantada renal num sol de 40 graus e a água valendo ouro o mercado local sempre foi o meus oásis em terras estrangeiras.
Achei o meu na mesma rua do Hotel Colón (Carlos Pelegrini, 507), tem um a direito e um a esquerda, Carrefour. (àgua saiu por volta de 3 a 4 pesos).
O Obelisco é um dos monumentos mais próximos do Hotel e com sua altura era o indicados de todos os dias  se estávamos perto ou longe do Hotel...rss


Uma das meninas bebeu além da conta e passou muito mal, com a preocupação com ela, mais cansaço, mais desanimo, resolvemos dormir.
Senti falta de pelo menos ir jantar num lugar típico para já sentir o clima da cidade, mas confesso que a preguiça falou mais alto, já que a falta de companhia não é motivo para não me aventurar.
Bom as aventuras em Buenos Aires ficaram para outros dias.

2 comentários:

  1. Puts.., que sacanagem!!! agora me deixou super curiosa (e vc sabe bem como sou) com as novidades sobre todos os outros dias... tô adorando as dicas e prometo consulta-la na minha ida!!! Beijoquinhas (Clau)

    ResponderExcluir
  2. Flor,
    Dá mega trabalho escrever, escolher as fotos, fazer o texto, incluir os sites, enfim, tô indo aos poucos, amanhã tenho que fazer 100 cups para a Tatinha de presente de aniversário de 51 anos...rss
    Mas amanhã de tarde eu prometo continuar a saga..rss
    E fora as coisitas daqui tem as fofocas pessoalmente, quando volta?
    Beijos e te amo.

    ResponderExcluir