domingo, 8 de julho de 2012

Quem tem asa que voe.


Xiu...Xiu...Xiu...Xiu....Vem CAMBADA... To pombinha essas migalhas do pão que eu ganhei da velhinha aí que mora na praça, toma, psiu, psiu, vem matar a fome, chama teus amiguinhos tem para todos... Mas como eu estava falando a velhinha da praça é gente boa, mesmo quando passa de cara fechada, fingindo que não me viu, por que ela me dá esse pão que sobra todo dia, ela sempre compra a mais esperando o netinho, mas o netinho já está grandinho e anda namorando e vocês sabem, quando a gente ama, esquece de tudo, ela fica brava, faz essa cara maruda, mas melhor assim sobra mais para mim e eu divido com vocês, Ah! Está vendo até sorriram. Ela é gente boa, me contou do falecido e até chorou, aí quando olhou e me viu na frente percebeu que estava desabafando com um qualquer, ferrado na vida, sujo, fedido e que nem deve ter entendido o que ela disse e ela foi embora e eu EU rezei por ela aquele dia, lembrei o pai nosso, NOSSA fazia tanto tempo que eu não rezava, eu rezei para que ela percebesse que ela teve passado, presente, família e realizou alguns sonhos... Aí acho que de recompensa... Outro dia estava muito frio (eu até pensei que ia morrer), aí do nada ela veio e me trouxe uns trapos, eles estavam até cheirosinhos, deu para passar a noite, e que noite, tive pesadelo e lembrei de tudo, da vida que tinha, de tudo que passei e de todo que ainda vou passar é por que do jeito que as coisas estão sei até o meu futuro, aliás, essa é uma palavra bonita para esses bacanas que passam aí nos carros, eles podem mudar as coisas, mudam de emprego, escolhem outro amor, mudam de casa, mas eu EUZINHO AQUI preciso de muito mais do que sonhar e correr atrás eu preciso é de um milagre, sabe eu tenho inveja de vocês... Por que vocês estão sujos como eu, não tem casa, vivem no tempo, comem porcarias de sobras como eu, não fazem nada, mas ninguém olha de cara feia para vocês...NINGÚEM chama vocês de vagabundos, todos os dias sou chamado de vagabundo, todos os dias me chutam, me chamam de bêbado, logo eu que nem bebo por que odeio vomitar, depois fico todo sujo e não tem como limpar e esse fedor que já empreguinou minha alma empreguina minhas entranhas e a coisa que eu mais gostava da vida que eu tinha era COLÔNIA. Ah! Eu ainda sinto o cheiro, ele está aqui Oh dentro da cachola, que ainda funciona, ás vezes era melhor esquecer, tá vendo até isso vocês deram sorte duvido que se lembrem que o Sr Joaquim ali do bar ODEIA VOCÊS, ele vive com a vassoura expulsando vocês, mas também quer saber melhor ter essa MERDA da lembrança assim eu não apanho como vocês e não levo a fama de BURRO, tá aí oh ceis são burras, burrinha da silva oh pombaiada BURRA.... Mas não vão embora não... oh seis são burras, mas to as migalhas. Pronto por que fui lembrar, lá vem essas idéias loucas, esse passado que pisca aqui dentro da cabeça, eu lembro da minha casa, é eu tinha uma casa, pequenininha para os doze que vivia lá, mas era um lar, mas eu queria o mundo e além do mais todos os dias eu apanhava se voltava sem dinheiro para a casa meu pai colocava os filhos em fila e batia em um por um, não adiantava um só trazer dinheiro, todos precisavam, então era sova todos os dias, pior era quando ele bebia, aí sim o novo dia era mais quente, mesmo que chovesse... aí eu cansei de apanhar e resolvi ser autônomo DE VIDA, sem família a gente é a coisa mais besta que existe, não tem com quem conversar, não tem gargalhadas, ninguém te conhece, você pode falar o que for, ninguém te desmente, aí você vai perdendo as referências, a verdade vai sendo construída conforme sua idéia de o que você queria ser, você já não é mais quem você é, a verdade é a mentira e a mentira é a verdade que você inventou... Tem muita coisa na minha vida que eu não sei se é verdade ou mentira, aí você fica tão louco sozinho que começa a ouvir vozes destes seres que inventou e é uma briga diária, eu sou um alucinado, mas a verdade verdadeira sobre mim e que ninguém pára para me ouvir. Eu queria uma nova chance de fazer tudo de novo, nascer de novo, descobrir uma nova história com muito FUTURO pela frente, Oia que palavra bonita, eu queria acordar quentinho, ter pão e café, aí o cheiro do café sendo feito, ter casa, família, amor, carinho, com essas oportunidades dá até para sonhar com um FUTURO, uma razão para eu estar aqui, e não um dia após o outro sozinho e fedido.... já estão indo, eh vocês não são burros não, nem querem mais ouvir tanta desilusão, quem gosta de ouvir tristeza? Ninguém não...ceis tão certos vão voar, pelo menos vocês tem asas....... 

Andrea Prado.
2000

Nenhum comentário:

Postar um comentário