sábado, 11 de agosto de 2012

Há pedras no meu caminho e eu bendigo todas.

Amanhã é Dia dos Pais...
E pra quem tem uma peça rara como o que eu tenho em casa...as histórias, os desencontros, os resmungos são muitos.
Mas semana passada meu papito passou mal, com uma dor nas costas que ia para frente, urina ficou marronzinha e desconfiamos que seria uma crise renal.
Mas nem arrastado ele vai no médico.
Só quando grito, e foi assim que na segunda, quase terça, ele se levantou passando mal com dor e vomitando.
Na hora que me viu ele já balbuciou que estava passando a dor.
Eu gritei:
"Mesmo que esteja nós vamos para o PS.
Coloca a roupa"
Meu humor não era o dos melhores, imagine, afinal teve sábado, domingo, segunda o dia inteiro para ir ao Pronto Socorro, mas é só quando a coisa aperta e eu grito que ele se entrega.
Bom lá fomos nós, ele queria ir no mais perto, ficava repetindo que já estava passando.
Mas...
Seguimos em frente.
Lá no hospital a dor aumentou....
Daí fiquei com dó, por que, será que a gente se compadece tanto quando alguém está sentindo dor?
É a fragilidade, a entrega, o desejo no olho da pessoa, naquele momento, às vezes só nesse, de que a vida é boa demais, perfeita até, quando se tem saúde.
A felicidade meus caros é não sentir dor.
É estar pleno para viver todas as emoções, as boas ou ruins, por que, com saúde a gente levanta e enfrenta, mas sem, a gente se entrega a sabedoria de que não controlamos nada, não temos nada, não sabemos nada.
Somos um grãozinho de areia nessa vastidão, indo e vindo, sonhando e buscando "coisas", quando na verdade não precisamos de nada que não seja abrir os olhos e viver.
Depois de longas horas, entre, consulta com o médico, medicação e nova consulta para pegar a receita, o médico nos acalmou dizendo que era uma crise renal, provavelmente, por conta de uma pedra que estava se movimentando no canal da uretra, que ela poderia ser expelida ou não, e que geralmente demora uma semana com dor, mesmo com a medicação forte.
Perguntei se não era necessário fazer um ultrassom para ver se a pedra não estava obstruindo o canal, mas o médico me disse que não era necessário alarde.
Deu a medicação, mandou continuar o acompanhamento com o Clinico Geral e disse que qualquer coisa era só voltar para tomar uma nova dose na veia se a dor fosse grande.
Depois de medicado meu pai melhorou um pouco, apesar das fisgadas e seguimos para casa.
Eu mais calma com ele.
Ele totalmente obediente e sensato em tomar mais água, não fumar, não beber...rsss.
Um verdadeiro novo homem, pelo menos concordante com todo o sermão que passei à ele...rsss
Ao chegarmos em casa às quatro da manhã, de terça, sigo para meu quarto e ele para o dele, minha mãe pergunta o que o médico falou.
Escuto meu pai dizer:
- Ahh o médico disse que, sei lá, pedra na vesícula.
Rssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss
Gritei:
Tá louco pai!
É um crise renal, uma pedra no rim.
Fechei a porta do meu quarto, morrendo de rir e tomando consciência de que esse é meu pai, o cara totalmente resmungão, chato, que não escuta, do contra, mão de vaca, humilde e simples, praticamente uma criança que a gente tem que guiar pelos caminhos da vida.
Amo meu pai desse jeitinho doido e espero ter mais paciência durante sua velhice, mas que ele viva comigo, mesmo me tirando do sério, por muitos mais anos.
(em tempos o órgão VESÍCULA nem foi citado pelo médico e às 10h00 da terça o coitado expeliu sua primeira pedra do RIM).

E para os que vão dizer que precisamos rezar, pois, a coisa tá feia aqui em casa, nem tomo nota..rs.

Acredito que tudo que tem acontecido é permitido por Deus e por nós mesmo, pela energia que captamos.

Com certeza tudo que tem acontecido tem sido um aprendizado maravilhoso para mim de diversas formas.

Inveja, energia negativa, desejo de ter algo que não temos, são falhas humanas presentes em maior ou menor escala, que nos atinge de tempos em tempos, dependendo do quanto estamos preparados e energizados para lidar com elas.

Ás vezes somos atingidos (por que baixamos nossa guarda espiritual).

Às vezes somos os desejosos (por que nos deixamos levar pela ilusão material ou de sentimentos).

Em ambas as vezes somos só nós os responsáveis, os donos de nosso vida e alma.

Quanto a doença de desejar o mal ao próximo, creio e espero que aqueles que nos cercam já consigam controlar essa energia devastadora e extremamente negativa que só faz mal aqueles que a canalizam.

Desta forma aceito os percalços e provas pelo quais estamos passando e foco nas coisas boas que essas experiências nos trazem.

Bendito seja a chance de mudar, de aprender, de superar, de aceitar.


5 comentários:

  1. Um beijo enorme nesse paizão querido e que por tantas e tantas vezes foi o meu também... amo de paixão o querido Sr. Paraná!! Bjs e Feliz Dia dos Pais... Clau

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oh amore,
      Todos aqui de casa te consideram da família.
      filha
      irmã
      amiga
      Mando sim, ele com certeza te mandará outro caprichado...
      Te amo chorumas e te espero na minha casa qualquer ano desses...rs

      Excluir
  2. Oi Déa, é a Vi, tenho um irmão cabeçudo, que tristeza amarela, falar com ele e com a parede, é quase a mesma coisa,kkk
    Mas ele gosta de ir ao medico, mas nada de fazer um regime.
    É bom quando as pessoas que amamos esta com saúde, isso dá paz no coração.
    Chá de quebra pedra é ótimo para essas coisas, é eficaz.
    Beijos,Vi

    ResponderExcluir
  3. oi Minha Querida,
    Não se preocupe
    Te Agradeço do Fundo do meu Coração
    Fiquei muito Feliz

    Beijos e uma Linda Semana
    Andrea

    ResponderExcluir
  4. Oi Flor do Campo,
    Já chegou.
    Amei!!! Obrigada.
    Fiquei tão Feliz que até chorei.

    Tô muito sensivel. Acho que são os hormonios

    Beijos no coração
    Andrea

    ResponderExcluir