segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Vem me dê a mão, salta comigo...

Sapeando pelos canais de TV, eu vi os moços do Saia Justa de Verão, falando sobre a dificuldade que temos com o passar dos anos de nos entregarmos as novidades, de escutarmos novas músicas, novos grupos, de fazermos novos amigos para o resto da vida.
Faz algum tempo que penso nisso...
E um deles falou que é por que é meio chato você se entregar a uma coisa nova (música, pessoa, gostos, comida...) e não gostar, por que, isso leva tempo, entrega e é desgastante você perceber que aquilo não fica aos pés do que você já tem construído dentro de você.
Que o Chico Buarque que mora no seu coração continua sendo o melhor de todos os tempos diante de algum novo cantor que você se obriga a escutar.
Que a pessoa que você conheceua, nunca vai ocupar os quase quarenta anos de histórias compartilhadas com sua amiga de infância.
Mas sempre tem as surpresas, embora raras!!!
Pensei em como é bom sermos crianças curiosas, descobrindo tudo, numa entrega louca, nos jogando a todo hora, sem expectativas, sem gostos e desejos pré estabelecidos.
Hoje cautelosos, sem tanto tempo pela frente, com muitas cicatrizes, muitos passos, alguns tropeços, a gente se torna meio sábio.
E eu rio dessa pseudo sabedoria tola, por que, no fim, vamos morrer sem saber coisa alguma.
Por que as coisas mudam, as pessoas mudam, o momento muda.
Eu queria voltar a ter essa ilusão, essa entrega, esse desejo insaciável...ser criança de novo.
Por isso que estou aqui escrevendo e ouvindo um cd que eu nunca tinha ouvido...me obrigando, gastando meu tempo para ver se eu descobro em meio as minhas muralhas construídas, algo que perfure um pouco e chegue ao meu coração.
Eu aquariana que sou adoro descobrir o novo, aquilo que pouca gente sabe, sente, ou gosta.
Eu gosto da descoberta, de coisas que me tocam o coração, de forma especial.
Entregue-se você também.
Abra sua alma.
Seu coração.
Dê-se tempo para desgostar, para descobrir, e quem saber descortinar um novo tempo.
Esse é meu exercício não permitir que a falta de tempo de paciência me roube o olhar novo.

E como diz o Walmir Borges no CD  Saladamúsica....

Totalmente Diferente - Vai, deixa eu te contar....
Favelas do Brasil - Vem ver, vem ver, a novidade que surgiu
Trate de ser feliz - Se lembre que as coisas mais belas estão nos modos de como enfrentar a solução.


Nenhum comentário:

Postar um comentário