sábado, 23 de fevereiro de 2013

Objetos que me representam - Dezenove.



E o objeto desta semana é:

Esse móvel feito de material de demolição.









Por que: Por que eu adoro esse tipo de material, adoro móveis com tramela, adoro a cor combinando com a parede da Galery´s Family que fica em frente. E por que ele ajuda a guardar nossas tralhas.

Onde: No corredor em cima, que leva aos quartos e banheiros.
Num recuo de escada, feito sob medida para caber exatamente lá.


Quem quiser saber mais sobre essa postagens é só ir no link:



Ou no marcador: Objetos que me representam.



Objetos que me representam - DEZOITO


E o objeto desta semana é:

O novo queridinho de todos nós.
A poltrona que vira uma cama de solteiro







Por que: São tantos os motivos...por que ele é todo desenhando no design..rs, por que ele tem esse tecido lindooooo todo colorido que amo, por que ele combinou com os três quadrinhos que já existiam, por que ele tem tons de vermelho e combina com a cômoda, por que ele é confortável para dormir, para se jogar e por que agora meus pais tem um lugar para jogar as roupas, um apoio.
Por que eu quis colocar esse mimo lá para eles terem um lugar confortável e bonito...

Onde: No quarto dos meus pais

Quem quiser saber mais sobre essa postagens é só ir no link:



Ou no marcador: Objetos que me representam.

domingo, 17 de fevereiro de 2013

Objetos que me representam - DEZESETE



E o objeto desta semana é:

Meus quadrinhos de recados, para escrever, para furar, para colar com imã.






Por que: São a minha criação, por que eu posso escrever meus sonhos, furar e pregar lembretes e coisinhas que gosto, ou prender com imã....são várias as possibilidades...rs

Onde: No quartinho/escritório/quarto de visita..rss

Quem quiser saber mais sobre essa postagens é só ir no link:



Ou no marcador: Objetos que me representam.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Objetos que me representam - DEZESSEIS


E o objeto desta semana é:






Por que: Essa bonequinha eu ganhei da Clau, minha amiga de vários anos, desde que ela nasceu..rs, ela me deu no Sarau, vindo diretamente de Recife, cidade onde mora agora.
Ela parece comigo quando eu era adolescente, cabelos pretos, magra, introspectiva.
Essa é a Andrea que não existe mais, a Andrea que a  Clau conheceu muito bem.
Engraçado que eu e a Clau não trocamos muitos presentes fora roupas, etc, presentes representativos, que vão ficar até o fim dos nossos dias....acho que por isso gosto tanto dessa bonequinha.


Onde: Na mesinha ao lado da minha cama.

Quem quiser saber mais sobre essa postagens é só ir no link:



Ou no marcador: Objetos que me representam.

Vem me dê a mão, salta comigo...

Sapeando pelos canais de TV, eu vi os moços do Saia Justa de Verão, falando sobre a dificuldade que temos com o passar dos anos de nos entregarmos as novidades, de escutarmos novas músicas, novos grupos, de fazermos novos amigos para o resto da vida.
Faz algum tempo que penso nisso...
E um deles falou que é por que é meio chato você se entregar a uma coisa nova (música, pessoa, gostos, comida...) e não gostar, por que, isso leva tempo, entrega e é desgastante você perceber que aquilo não fica aos pés do que você já tem construído dentro de você.
Que o Chico Buarque que mora no seu coração continua sendo o melhor de todos os tempos diante de algum novo cantor que você se obriga a escutar.
Que a pessoa que você conheceua, nunca vai ocupar os quase quarenta anos de histórias compartilhadas com sua amiga de infância.
Mas sempre tem as surpresas, embora raras!!!
Pensei em como é bom sermos crianças curiosas, descobrindo tudo, numa entrega louca, nos jogando a todo hora, sem expectativas, sem gostos e desejos pré estabelecidos.
Hoje cautelosos, sem tanto tempo pela frente, com muitas cicatrizes, muitos passos, alguns tropeços, a gente se torna meio sábio.
E eu rio dessa pseudo sabedoria tola, por que, no fim, vamos morrer sem saber coisa alguma.
Por que as coisas mudam, as pessoas mudam, o momento muda.
Eu queria voltar a ter essa ilusão, essa entrega, esse desejo insaciável...ser criança de novo.
Por isso que estou aqui escrevendo e ouvindo um cd que eu nunca tinha ouvido...me obrigando, gastando meu tempo para ver se eu descobro em meio as minhas muralhas construídas, algo que perfure um pouco e chegue ao meu coração.
Eu aquariana que sou adoro descobrir o novo, aquilo que pouca gente sabe, sente, ou gosta.
Eu gosto da descoberta, de coisas que me tocam o coração, de forma especial.
Entregue-se você também.
Abra sua alma.
Seu coração.
Dê-se tempo para desgostar, para descobrir, e quem saber descortinar um novo tempo.
Esse é meu exercício não permitir que a falta de tempo de paciência me roube o olhar novo.

E como diz o Walmir Borges no CD  Saladamúsica....

Totalmente Diferente - Vai, deixa eu te contar....
Favelas do Brasil - Vem ver, vem ver, a novidade que surgiu
Trate de ser feliz - Se lembre que as coisas mais belas estão nos modos de como enfrentar a solução.