sábado, 27 de abril de 2013

Nós amamos sapatos.

Gente,

O site de compra de calçados, acessórios, bolsas, Shoes For You,  que eu fiz a postagem a respeito aqui:
http://semespacoparalamento.blogspot.com.br/2012/02/nos-amamos-sapatos.html

está fechando as portas, o que gerou algumas promoções via site e uma liquidação que ainda está rolando. (não é um link pago, é só uma dica de consumidora)

Passei na porta no primeiro dia, mas não havia condições nenhuma de entrar, disseram que quando abriu estava vazio daí da hora do almoço até o final da noite uma loucura, mulheres descontroladas...rss
Vi várias moçoilas com várias sacolas...
Imagina um lugar com estantes e mais estantes de sapatos lindos, por R$ 25,00.

Bom hoje eu estive lá logo cedo, eram umas nove e quinze quando cheguei, já tinha uma filinha, quando consegui entrar eram 10h00, a estante número 35 tinha bastante coisas, aliás todas as numerações.

Me joguei e comprei essas peças (uma é presente), comprei todos esses por que eu uso muito sapatilhas e ando muito, ou seja, um bom investimento, minha mãe também usa o mesmo número, portanto, dividimos os sapatos aqui.

Bom fica a dica, não sei como vai ser os próximos dias, talvez quando acabar o estoque, seja isso quando for, o bazar seja finalizado antes do tempo, mas apesar da fila gigante na hora que sai de lá (11h00) valia muito a pena, pra quem tem disposição e paciência.

Tinha muitos sapatos e sandálias lindas mas com saltão que não uso mais...então amiga...suba no salto e seja feliz, eu aprendi a andar com os pés no chão, mas de todos os jeitos, que sejamos Glamourosas.

Tem também óculos by Ventura, relógios.
As bolsas e bijus não vi, parece que já foram todas vendidas antes do bazar.

Fica a Dica!




Objetos que me representam - Parte vinte e dois e mais Frases inocentes e religiosas.

E o objeto da vez é:


Quadro de Jesus batendo na porta de nossas casas. (E você já deixou Jesus entrar?)

Por que: É uma imagem que meu pai ganhou quando eu estava doente e que ele fez questão de emoldurar.
Ele reclama sempre que não pode dar palpite aqui em casa, na decoração, etc e tal, então, eu acho importante ter algumas coisinhas que ele curta, que não seja muito cafona...rs
E esse quadro não é para mim cafona, acho lindo, e interpretativo, com certeza Jesus/Deus bateram na minha porta e pediram para entrar. E com certeza eu os convidei para entrarem e sentirem a vontade.

Esse quadro também gerou uma frase fofa da minha sobrinha Bianca.
Quando ela viu essa foto ela me perguntou assim:

- Titia como foi que conseguiram tirar a foto do Papai do Céu?

Onde: Na estante do quartinho de hospedes/Escritório.

Quem quiser saber mais sobre essa postagens é só ir no link
:
http://semespacoparalamento.blogspot.com.br/2013/04/objetos-que-me-representam-parte-vinte.html

Ou no marcador: Objetos que me representam.

Objetos que me representam - Parte Vinte e um.


E o objeto da vez é:



Minha Family´s Galery

Por que: Nela estão as fotos das pessoas mais importantes da minha vida, o sangue do meu sangue ou a minha escolha.
Minha família.
Os que já partiram, o que me acompanham, os que dividem as dores, alegrias, A VIDA, comigo.
Todo dia eu passo aqui e vejo um desses rostinhos e na hora eu me lembro de alguém que amo muito e sorrio e vou embora feliz.
Esse é um lugar de reenergização para mim.
Todos os meus familiares que vem em casa, ficam encantados de estarem aqui, e eu adoro esse encantamento, por que, eu percebo nessa hora que eles se dão conta do quanto são importantes para mim.

Onde: No corredor de cima, que liga os quartos e os banheiros, além da escada e do hall da escada.

Quem quiser saber mais sobre essa postagens é só ir no link:
http://semespacoparalamento.blogspot.com.br/2013/04/objetos-que-me-representam-vinte.html

Ou no marcador: Objetos que me representam.

Objetos que me representam - Vinte


E o objeto da vez é:


Minha flor de lótus.

Por que: Por que ela foi me dado pela Mi, amiga da minha amiga Bijú, e foi uma surpresa muita fofa. Eu e a Mi não somos próximas, nos vimos apenas uma vez e mantivemos contato pelo Face. A convidei para meu piquenique de comemoração à vida e ela foi e me levou essa coisa linda de presente.
Não é o presente em si, mas a delicadeza dela e principalmente a escolha.
A flor de lótus tem várias interpretações, mas a que eu mais gosto foi a que a Mi me deu:
Que a flor era como eu, ela nascia do lodo, da sujeira, e se transformava nesse beleza.
Achei incrível alguém com quem não convivo tão proximamente tenha enxergado isso em mim.
Onde: No meu escritório/quartinho de hospede e olho para ela todo dia e todo dia resnaçe meu amor pela Mi e sua alma linda.
Quem quiser saber mais sobre essa postagens é só ir no link:
http://www.semespacoparalamento.blogspot.com.br/2013/02/objetos-que-me-representam-dezenove.html



Ou no marcador: Objetos que me representam.

Mais sobre o significado da flor, essa parte do texto foi tirada daqui: http://www.significados.com.br/flor-de-lotus/



"...No simbolismo budista, o significado mais importante da flor de lótus é pureza do corpo e alma. A água lodosa que acolhe a planta é associada ao apego e aos desejos carnais, e a flor imaculada que desabrocha sobre a água em busca de luz é a promessa de pureza e elevação espiritual.
É simbolicamente associada à figura de Buda e aos seus ensinamentos e, por isso, são flores sagradas para os povos do oriente. Diz a lenda que quando o menino Buda deu os primeiros passos, em todos os lugares que pisou, flores de lótus desabrocharam.
Nas religiões asiáticas, a maior parte das divindades costumam surgir sentadas sobre uma flor de lótus durante o ato de meditação.
Na literatura clássica de muitas culturas asiáticas, a flor de lótus simboliza elegância, beleza, perfeição, pureza e graça, sendo frequentemente associada aos atributos femininos ideais.
A flor de lótus representa um mistério para a ciência, que não consegue explicar a característica própria que possui de repelir microorganismos e partículas de pó..."



sábado, 20 de abril de 2013

A vida plena é curta ou é longa?

Ela partiu...
Levou embora seu olhar perdido, seus momentos de lucidez marcante, sua curiosidade, seu amor puro, quase infantil, seus esconderijos de biscoitos, suas toucas de lã que prendiam e deixavam soltos seu cabelo vasto e grosso como o meu, foi embora também seus olhos claros, e sua aparência igualzinha a dos seus, sua unhas pintadas de vermelho, seus vestidos com calça comprida.
Ficou na minha memória suas panelas areadas, o cheiro do cigarro que não fumava mais, o seu perfume cheirando a talco em formato de creme, e a dor do seu abandono.
Ficou também no meu coração os momentos partilhados, a minha obrigação de estar presente de uma forma  lúdica, sem a certeza do entendimento.
Sem saber se ela sabia quem era, o que eu era, quem eu sou.
Minha tia avó Conceição, a do asilo partiu sexta passada, e com ela levou uma vida de resignação.
Suas amiguinhas sentadas em volta de seu corpo, velando, a amiga que nunca contou nada sobre a sua vida, que não dividia histórias, dores, desaborres, que apenas vivia dia após dia sua rotina.
De histórias só o seu amor por queijos, e presente que ela mandou a moça do asilo comprar para ela dar para a Maria, que vive lá no asilo.
A família feita de sobrinhas, e sobrinhas netas presentes, cada uma do seu modo, cada uma com sua dor.
Lembro a última vez que a visitei no começo do ano, já fraca pelo câncer, sem andar direito mais, mas ainda sim inquieta querendo tomar sol, andar, sair.
Eu sempre pergunto a mesma pergunta:
- Tia vamos passear comigo?
E a última resposta a minha insistência, olhando fundo nos meus olhos, num momento de entendimento profundo:
- Agora não dá mais!!!! (com aqueles olhos claros cheios de lágrimas, a voz embargada e fraca, numa constatação dolorosa de que ela sempre esteve presa, ao seu corpo, ao asilo, mas que sua alma, sempre esteve cada dia mais livre e próxima do que realmente chamamos de paraíso).
Para muitos ela não teve uma vida, foi julgada meio louca, desequilibrada, não se casou, teve filhos, talvez tenha morrido virgem, não conheceu o amor, não teve riquezas, não viajou, não teve festas, presentes, não teve nada.
Mas daí eu penso, que ela viveu seu destino, cumpriu sua promessa, viveu mais de noventa anos a vida que lhe foi apresentada, sem nunca reclamar.
Talvez ela tenha tido uma vida mais plena do que muitos de nós, por que, do ponto de vista espiritual ela viveu mais próxima da verdade, teve paciência, viveu uma rotina dura de solidão, de abandono, de não ter para onde ir, passou necessidades físicas, doenças, e nunca saiu do asilo. Do ponto de vista material ela pouco possuiu, mas não tenho dúvida que do ponto de vista espiritual ela muito evoluiu.
A mim ela ensinou a resignação, a paciência, a aceitação de alma aberta dos caminhos escolhidos por nós.
A não reclamar e ao mesmo tempo não se acomodar, ser útil da forma que puder.
Tomar sol.
As curadoras do asilo, uma a uma vieram também se despedir, e no discurso final de uma dela o agradecimento a minha Tia por toda a ajuda que ela tinha dado.
Ao invés de ficar sentada minha tia arregaçou as mangas e ajudava no asilo como podia, lavando, passando, coziando. Fez da sua vida o que podia.

Em minhas orações falei pra ela:

- Tia vai em paz, volte pra casa, sua missão está cumprida, muito bem cumprida, vai com eles tia, pra um lugar bem melhor, onde há a liberdade, onde você vai ser você de novo, onde com certeza te esperam de braços abertos e felizes por ter feito dessa jornada, por mais difícil que tenha sido materialmente, a sua parte.
Sentirei saudades, mas tenho certeza um dia você irá passear comigo, agora não dá mais, como me disse nessa vida, mas temos muitas outras tias pela frente e tenho certeza que haverá tempo para compartilhamos alegrias, vou sempre lembrar quando eu dizia te amo e você dizia eu também te amo com a profundeza da sua alma. Perdão Tia se falhamos.

Suas panelas areadas

Eu adorava enfeitá-la
Sua curiosidade


Nossa última foto




quarta-feira, 17 de abril de 2013

Me diga como reages que te direi quem és

Não quero fazer desse espaço um lugar de desabafo...não é!
Nem quero defender minha ideias e ideais, por que, pra cada uma delas há um outro lado, com um lado positivo e outro negativo.
Se eu não sei o todo da minha própria vida...aff
Estou cansada de discussões, por isso, nem começo uma, sou da paz, estou na paz, preciso de paz.
Sim há um mundo imenso dentro de mim, mas como a frase do Graham Geene:

"As pessoas reais estão repletas de seres imaginários".

Mas a verdade é que tenho tido tempos de testes mil, cotidianos, desses que todos nós passamos.
É o dinheiro curto, numa balança sempre desigual entre o valer a pena e o esforço investido na vida.
É uma análise profunda de que sempre que preciso economizar para um projeto com prazo estabelecido, às vezes, pela necessidade e não pela luxuria, acontecem coisas na vida da gente que economia nenhuma é capaz de resistir.
É a compra de um medicamento, é a batida do carro, é o túmulo da Tia Avó queridíssima que partiu, é a viagem para cuidar de tudo, enfim, são questões incalculáveis e que não podem ser deixadas para depois.

Talvez por isso eu tenha percebido e resolvido a me dar folga, me dar prazos maiores para realizar os sonhos, por que, os imprevistos acontecem sempre. Talvez, seja isso, um exercício para mim para lidar com as coisas que não controlamos (mas o que controlamos na verdade?).

É perceber que ninguém, absolutamente ninguém pensa como você, reage como você, ama como você, toma as mesmas decisões que você.
Dificilmente alguém vai cuidar das coisas como você esperar, talvez saia melhor do que você imaginava, talvez pior, mas nunca igual.

Percebi também a não mal dizer aquelas coisas que acontecem que chamamos de erros, o caminho errado, o atraso, a batida, as folhas impressas menor ou maior, creia tem um propósito maior, mesmo que a gente não veja.

Hoje me rendi a procurar minha médica, pois, a dor de tanto tossir, a ardência da sinusite, as dores no corpo começaram a me preocupar, seis da matina já estava lá colhendo sangue, hospital lotado, muitas emergências, em quanto subo a rampa dou uma olhada no pessoal do SUS que aguarda sua vez, sentados no tempo, no frio (sim seis da matina é frio), meus olhos lacrimejam, não por conta do resfriado.

Tomo cafezinho e sigo para minha médica lá perto, só posso subir às oito, então, espero sentada num banco duro perto de uma porta numa friaca do cão (já disse que sete da matina é frio?). Quando subo para o consultório, descubro que minha médica só atende hoje ao meio dia. ($%¨&*)

Volto para o PS para ver se me atendem, a enfermeira super carinhosa, me diz que tem várias emergências, que posso esperar, mas vai demorar MUITOOOOOOO, ela quase grifa o muito, tira minha temperatura, minha pressão, meus batimentos (agora acelerados), e me convence a desistir, volto para o consultório para esperar minha médica.

Lá jogada no sofá (ohhh sofá bom), entre uma tosse e outra, bato papo com o único paciente de fora que também aguarda, afinal são oito da matina (já deu uma esquentada, mas estou resfriada e ainda está frio para mim..rs). Ele me conta sua história, não gosto de contar a minha, por que, sempre acontece isso:

Depois que conto a minha, geralmente a conversa acaba!!!

Rss

Sério, é bem difícil alguma história, pelo menos lá no consultória competir com a minha.

Silêncio depois, sou chamada, minha médica me examina, me dá medicação, fala para voltar na consulta pré agendada a tempos na próxima terça e me despacha sem nem querer que eu pague...rs

Como era rodizio do meu pai, mandei ele ir trabalhar às 10h00, mas me arrependi até a última força, fui subindo para o metrô, trocando de linha (afff como anda na amarela), tomando ônibus (Hei por onde eu desço? Me sinto num país estrangeiro, prestando atenção ao mínimos detalhes), passo na farmácia e finalmente na última maratona do meu dia eu subo a subidona íngreme aqui de casa... (quem sabe onde eu moro que me diga?! Rs);

Meus olhos agora não lacrimejam mais, estou chorando de cansaço e dor.

Ufa estou em casa...

Tomo o primeiro comprimido (são cinco por cinco dias) e espero que ele me cure AGORA! Rsss...pelo preço deveria viu..rs

E fico feliz de ver tantas experiências me lapidarem dia - a - dia!

Ainda não tirei 10 nessas provas, mas já escrevi, pelo menos, meu nome no cabeçalho...rs



quinta-feira, 11 de abril de 2013

Por tanto amor...por tanta emoção...a vida me fez assim!

Hoje fui ao banheiro fazer xixi e vixi...fez um barulhão..rs
Daí me lembrei  (mais uma vez) que uma vez em um bar em Porto Alegre, com muitos amigos queridos, o meu amigo Catatau me levou ao banheiro do bar...peraí...era o banheiro do funcionários do bar..rs...passamos pela roda de samba, pelos garçons, pela fila no banheiro feminino e pela cozinha..rs, quando entrei meu amigo fofo falou assim pra mim:
_ Bah não te preocupes, vou cantar para não ouvir o barulhinho xiiiiiiiiiiiiiiiiii!
Fechei a porta rindo, e ele sério e compenetrado, batendo palmas, cantando, e sambando na porta do banheiro.
Todas as vezes que vou no banheiro e faz um barulhão eu lembro do meu amigo, da fofura de sua preocupação, de momentos fofos e penso kd o Cata quando eu abrir a porta sorrindo e cantando pra mim e pra minha vergonha?

Eu tinha um namoradinho e apesar das coisas não terem dado muito certo, de não ter ido para frente e de todo o resto da nossa história as atitudes dele terem sido contrárias, guardo com carinho quando fui dormir a primeira vez em sua casa e ele pegou o aquecedor e colocou próximo do edredom para aquecer meus pezinhos congelantes.
Momento so love!

A algum tempo atrás um vizinho que eu considerava como meu vozinho me arrumou um emprego na empresa da filha dele.
Seus conselhos para mim era mentir:
- Você vai lá, se te perguntarem se você sabe computação, você diz que sim, se te perguntarem se você sabe falar inglês, você diz que sim....e por aí vai.
Nem adiantou eu retrucar que eu não poderia mentir, ele disse que eu precisava trabalhar, estudar e tudo mais, e que depois que eu já tivesse lá ele daria um jeito para eu continuar (rsss...atazanando a vida da filha provavelmente).
Eu fui, não menti nada.
Seu filho que me entrevistou disse que ia ver e me ligava e ainda comentou meu pai falou que você falava inglês, sabia computação, tinha experiência (só faltou ele falar que eu cozinhava, lavava e passava...rs)
Saí de lá com a certeza que não daria certo, mas com a consciência tranquila, dias depois, o Deja me liga e fala que fizeram um remanejamento (Oi? Ahhh Sr. Duan...danadinho) e que eu estava contratada como recepcionista, lá fiquei por sete anos.
Aprendi demais!
Não pude agradecer Sr. Duan de sua bondade para comigo, pois, uma semana depois que comecei a trabalhar lá ele faleceu.
Nem sei se ele ficou sabendo que sua artimanha tinha dado certo...(convenhamos ele tinha outras coisas mais importantes para pilotar)
Daí que um dia, sem mais nem menos eu escrevi uma carta para a esposa dele e fui entregar com um vasinho de flor.
Falei que eu não pude agradecer ao marido dela, mas que era grata a ele e a toda a família pela oportunidade e que infelizmente como ele não estava mais aqui eu queria que ela soubesse da minha gratidão.
Gente quando toquei a campainha e ela veio me atender e me viu com o vasinho em mãos ela começou a chorar, mega emocionada, ela estava ouvindo o rádio e o moço falou:
_ Vai chegar na sua porta alguém com uma flor, te trazendo amor, gratidão, receba com o coração aberto.....e coisas assim.
Saí de lá emocionada e com a certeza que quem não tem a vergonha de fazer o bem, sempre recebe o bem.


Quando eu fiquei doente e fazia dialise, estava muito debilitada ainda, na cadeira de rodas, sem escutar direito, passava mal e todas as coisas difíceis que vocês possam imaginar.
Mas sempre, a minha frente tinha o Sr. Altino, ao meu lado a Dna Maria, ao lado dela o Charles, ao lado dele o Sr. Sérgio (que começou a dialise no mesmo dia que eu), do outro lado a Carmem (com um câncer e insuficiência renal para administrar), a frente dela o Sr. X que é evangélico...
Todos os dias eu chorava, por dor na mão que operaram errado, por ter vomitado, por dor na perna que eu não movimentava, por infecção no cateter e ter que reaplicar em outro lugar do meu pescoço numa quase cirurgia sem anestesia e por aí vai.
E todos os dias, sem falta, sem pressa, um deles vinha até mim, após ser desligado de sua máquina, me dava um cartão, um recadinho, um doce, enxugava minhas lágrimas, me perguntava por que eu estava chorando, me falava que ia passar, ou simplesmente apertavam minha mão com os olhos cheios de lágrimas numa conversa e entendimentos de alma...e apesar de estarem com dor também, de estarem na mesma situação, eles tinham um consolo e amor em seus corações.
Alguns deles partiram, outros eu tive a chance de fazer o mesmo por eles nos dias do agradecimento (08/08).
Hoje quando estou triste eu lembro de suas feições, de seus gestos e penso comigo...eles tinham razão em cada atitude de bondade que tiveram comigo...Passou...mas passou muito mais fácil por ter tantos anjos como eles ao meu lado.



E são esses momentos que moram no meu coração e sambam em minha alma.



quinta-feira, 4 de abril de 2013

Ás vezes a esperança brota dos reconcavos de nossas almas.

Vivo reclamando do trânsito!!!
Da falta de respeito!!!
Das doideiras!!!
Dos cortes dos motoqueiros!!!
Das fechadas!!!
De gente que limpa o nariz no farol!!!
Daqueles que te cortam para estarem 1 segunda na sua frente!!!
Das barbaridades de gente na contra mão!!!
E de tudo mais
Mas ontem eu percebi que apesar da nossa carapuça de mau criados e atacadores, basta uma porta de trás aberta para ter umas seis buzinadas amigas (da mãe, do motoqueiro, do moço bonito, do tiozinho....) me dizendo que a porta estava aberta.

Em dias assim eu volto a acreditar nos seres humanos, na bondade, na caridade.

BIBI  pra você também, e que seja bibis de avisos, de sorrisos e simpatias!

Qual a utilidade da vaselina?

Ontem levei minha mãe no médico logo cedo...
E aproveitamos para colocar as fofocas em dia...
Delícia!!!
Aproveito cada um desses momentos, e quando estou cansadinha, digo pra mim mesma que preciso dar atenção aos velhos, pois, eles já, infelizmente, não tem mais tanto tempo assim pra dividir (comigo), então eu paro e mesmo corrida ergo meus olhinhos em direção a eles.
Coisa fofa..ver meus dois amores...(papis e mamys) cada dia mais perto da verdade da vida.
De que a vida não é nada longa não...é bem curta....e de somos quando nos tornamos cientes dessa verdade única e verdadeira...de que o tempo....ah o tempo...está escorrendo pelos nossos sonhos não realizados é quando nos tornamos conscientes.

Bom daí que ela me contou do dia que a válvula da privada do meu banheiro deu problema.
Meu pai que acha que sabe tudo (se bem que agora ele tem estado tão cansadinho que tem só dado ordem aos contratados..rs) foi consertar.
Lógico que não funcionou!
Chamamos o reparo da Porto Seguro para casa...
E quando o moço abriu a válvula ele fez a maior cara de nojo e soltou essa:

_ O QUE É ESSA MELECA????????????????

Minha mãe:

_ Foi meu marido que mexeu aí.

_ É vaselina!!!

O moço:

_ VASELINA???!!!! Entre incrédulo e chocado..rss

(abre aspas, nessa hora minha mãe estava mega encabulada  por meu pai ter usada um produto, que bem diremos, pode e tem outras funções que NÃO a de consertar a válvula hidra do meu banheiro, pelo menos dizem as más línguas, eu nunca usei e acho que nem elas, pois, não faz o menor sentido.....kakakak).

O moço explicou para minha mãe, que é melhor ela chamar alguém que entenda da próxima vez, que diga para meu pai que vaselina não resolve nada na válvula hidra a não ser melecar...rss...etc e tal).

Quando meu pai chega em casa, com aquele jeito ranzinza que só ele e eu temos..rss....a minha mãe conta pra ele sua vergonha, o que o técnico disse, etc...e ele solta:

_ Ahhhh esse cara não sabe nada!!! Ohhh tá a mesma M....(erda)...(mas ele deveria falar MELECA..RS).

Choramos de rir no carro e chegamos a conclusão que a vaselina não serve para quase nada, só serve para nos fazer morrer de rir e isso já é uma grande coisa....