segunda-feira, 25 de agosto de 2014

Proteção e canja de galinha não fazem mal a ninguém.

Dias atrás eu recebi uma ligação de um enfermeiro muito querido que cuidou de mim, em 2005, quando fiquei muito mal...(eu visito o hospital, a diálise de tempos em tempos, gosto de manter contato com essas pessoas que cuidaram tão bem de mim, sou grata a elas).

Ele me disse que tinha lido o livrinho, que tinha se emocionado muito e que estava com saudades de mim.

Então, eu aproveitei uma fornada dos meus famosos cookies (que eram da Fabi...minha prima, que nem faz mais hoje, por que dá muito trabalho, e dá mesmo, e se eu por acaso te mandar um saquinho, saiba que eu te amo muito...rs) que eu fiz para minha ex chefe que me convidou para o show dela e fiz um pacotinho também para o Joel.

E ontem eu fui lá entregar...

Chegando no andar que meu amigo trabalha, fiquei muito surpresa por encontrar um folder no posto de enfermagem detalhando a forma de agir em suspeita de Sepse, que foi o que eu tive (Infecção generalizada  com choque séptico que é quando o organismo está tão comprometido que entra em choque, a pressão baixa quase a zero, o organismo pifa, e você pode ter ataque cardíaco, respiratório, e dizer byebye mundo cruel..rs).



Achei maravilhoso por um lado e por outro fiquei preocupada...será que está tendo um quadro de sepse, ou eles tem aprendido a agir melhor caso ocorra com alguém o que aconteceu comigo? (sei lá, sei que quando vou no hospital eu chego em casa e tiro toda a roupa, essas super bactérias já me pegaram uma vez, não quero que tenha a segunda...rs).

Meu amigo estava num quarto em algum procedimento e fiquei lá esperando.

Quando ele me viu, ele já começou a chorar, e não sei se gosto ou desgosto dessas reações que provoco nas pessoas que me viram como fiquei, só sei que pareço uma expectadora da minha própria vida. Lógico que em emociono também por ver essas pessoas que de uma forma muito louca passaram a me amar, sem terem na verdade me conhecido.

Conversamos, damos risada, ele me conta piada (que ele sempre fazia quando ia ao meu quarto), chama outros enfermeiros e conta de mim, choramos mais um pouco, pergunto pra ele se ele acha que quando tem que limpar, dar a comida, quando alguém depende totalmente deles, como eu dependi, se ele acha que isso faz com a pessoa perca a dignidade, ele me olha espantado com essa pergunta...(acho que nunca ele ouviu isso como eu ouço, no mundo dele, do lado de lá, isso não existe)....

Ele pensa e diz:

Eu nunca faço para qualquer paciente o que ele não PRECISA.
Se ele consegue engolir a medicação sozinho, ou comer, eu o ajudo, coloco em sua mão, levo até a boca.
Nós só fazemos o que ele PRECISA.

(então analiso isso de forma espiritual e percebo que a gente só passa pelo o que precisa, e se você passar por essa situação de depender totalmente de alguém, saiba que é a vida te moldando e ensinando).

Eu rebato ainda, esse corpo é só uma carcaça, que guarda quem você é, chame de alma, personalidade, o que for, esse corpo, lindo ou não, ficará aqui, não existirá mais, e uma surpresa pra você...a dignidade não mora nesse corpo, ela faz parte de você, e a minha está intacta, melhorada até, por perceber, que sempre iremos precisar das pessoas, sempre....até quando você morrer, sim, ou você mesmo irá se enterrar...rs...

Ele segura nos meus braços me olha nos olhos cheios de lágrimas e ao se despedir me diz:
- Você sabe que você é um milagre né?
Deus sempreeeeee irá te PROTEGER.

Bom para um católico não praticante como ele mesmo se diz, a fé dele me espanta...RS.

Respondo:

E você continue batendo papo, contando piada, mesmo que não pareça fazer efeito na hora, por que, pra mim muitos desses momentos foram os que ficaram no meu coração...continua tá?

Vou pra casa chorando e rindo, com essas pequenas marcas que ficaram dentro de mim, frases assim ditas pra eu nunca esquecer, acenos, atitudes, sorrisos, sinal de joias e quando vejo estou na frente do Burger King e sorrio pro destino, esse danado que me persegue entre lembranças boas e ruins que explodem em mim nos lugares mais impróprios ou improváveis e lembro que eu estava tão magra, tão esquelética, vomitando tudo que colocava pra dentro que um dos médicos da diálise sempre me dizia ao final da sessão:

- Passa no Burger King Andrea, come um cheesburger...faz isso por mim......(O Burger King estava sendo lançado no Brasil em 2005)...

É não tem jeito de esquecer coisas assim, nem quero, quero lembrar sempre, que em 2005 eu não conseguia comer um cheesburger e que hoje eu não devo.....mas posso.

E vou seguindo em frente, pois, DEUS SEMPRE VAI ME PROTEGER.




7 comentários:

  1. Que post lindo! Deixamos marcas nas pessoas e não nos damos conta.
    Bjs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é Sandra....
      Nunca imaginei que um enfermeiro que não pode se emocionar, chorar, me guardasse com tanto amor dentro do peito.
      Realmente não sabemos as marcas que deixamos nas pessoas...que sejam sempre boas né? Li algo assim:
      Que deixemos marcas e não cicatrizes....beijos

      Excluir
  2. Olá querida Andrea, sabe que minha filha leu seu livro e disse a mesma coisa, "nossa mãe essa moça esta viva por milagre" é isto amiga, vc é um milagre Deus te ama muito, seu amigo deve ter adorado sua visita! Se cuida! bjosss

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Kellen linda...que bom que a sua filha leu e que ela te falou isso...rss
      Bonitinha!
      Todos nós somos né? Só olhar pra perfeição que é nosso corpo, nossa alma, nós.
      E tudo que tem em volta.
      Ficar ou partir é um milagre diário também...um escorregão...um assalto...uma doença....Deus tem anotadinho o dia de cada um de nós....então...que possamos viver esse milagre consciente todos os dias.
      Beijos em você e na sua filhota...obrigada.

      Excluir
  3. . Olá! Meu nome é Vinicius C. Eu sou dono e escritor no site. www.almadopoeta.com
    Pediram-me que ajudasse a divulgar e pedir ajuda para dona Maria. E eu certamente aceitei. Eu a conheço, pois mora relativamente perto da minha casa.
    Por favor, não ignore. Existe sim dignidade ao se pedir ajuda e é isso que estamos fazendo. Por favor, visite a página e mesmo que não possa ajudar financeiramente doe seu tempo divulgando a campanha.
    Muito obrigado por sua atenção!
    Vinicius C/ eu ajudo!!!
    Abraços!
    Segue o link...
    http://solidariedade-maria-maria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Cara Andrea, transmito o comentário da tia Margarida Fiuza de Melo sobre o seu texto - o comentário foi publicado no facebook, na referência que fiz ao seu blog:

    "Lindo o texto que escrevestes no teu post, Andrea Prado. Sim, o Fernando era tudo o que escrevestes e muito mais para todos de nossa família e colegas de profissão. Muito obrigada pelas tuas palavras de carinho e orações. Grande abraço."

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Luciene...que delícia ler o comentário da sua tia...
      Fiquei muito emocionada.
      Li pra minha mãe que também se emocionou demais.
      Obrigada querida pelo carinho e atenção.
      Rezo pelo querido Dr Fernando...e por todos que ele marcou a vida.
      Beijos nossos.

      Excluir