quinta-feira, 2 de outubro de 2014

30 projetos em 30 dia - Dia 01 - O sapato preferido.

Faz algum tempo eu vi no blog Casa de Firulas um projeto de fotografias, com temas devidamente interpretados por quem registrava as imagens.
Achei o máximo e guardei para um dia eu realizar também.


Faz tempo que eu guardei e estava esperando uma oportunidade, eis que a Lia Agio, mais conhecida como Pepa do Blog O Tacho da Pepa:  http://www.otachodapepa.com/2014/09/fim-de-um-projeto-inicio-de-outro.html fez um projeto de fazer um bolinho (não tão inho assim) todos os dias durante 30 dias. Achei bacana, por que, se deixar a gente se perde numa rotina doida de não fazer nada. A faxina é adiada dia após dia, a pintura, a decoração...
Eu sou indisciplinada, começo a ginástica e paro, começo a arrumação e me canso, quero começar os cursos no centro e tenho preguiça e por aí vai.
Esses projetos nos ajudam a ficar mais focada, eu acho!!! Eu espero !!!
O que escolhi pra mim esse mês é esse da fotografia, mas prometo (oi?) ir aumentando a carga...rs

Eu fiz algumas mudanças na lista e a minha ficou assim:


Hoje primeiro dia, já que o mês tem 31 dias...rs (eu já postergando as coisas..rs), o sapato preferido escolhido foi esse:



E é bacana a escolha do sapato pra mim, além da vaidade tem uma questão importante... Há alguns anos atrás meu sapato preferido seria uma sandália prateada com strass, eu não tinha sapatos fechados além de botas e alguns tênis... eu amava sandálias...e abrir mão dessa predileção causou um aprendizado maravilhoso pra mim e foi na marra...por ter perdido as pontas dos dedos do pé no quadro infeccioso que tive em 2005 eu aprendi a ser eu mesma, e que estar de sapato alto, sofrendo, com dores nos pés para me tornar mais sexy não faz mais parte da minha vida. Hoje eu sou a moça das sapatilhas, do conforto, do eu mesma e quem gostar de mim que me aceite como sou.
Nada contra quem ama saltos, mas que seja pelos motivos certos.
E quase nunca é.
É como beber, poucas pessoas realmente amam bebida alcoólica, a maioria só quer ser aceita e no caso dos sapatos desejada, chic, sexy, não importa o quanto os pés doam.
Foi difícil me libertar, ir numa baladinha de sapatilha antes seria a morte pra mim, hoje, faz parte do meu dia e de quem eu realmente sou.
Às vezes me pergunto, mas se seus dedinhos tivessem ficado normais...bem confesso que meu amor pelas sandálias continuariam e que provavelmente eu não teria feito essa descoberta do que é ser livre de sofrimentos físicos e imposições sociais de beleza...rs...eu continuaria indo com a maré e as imposições de beleza da sociedade.
É a gente só domina os assuntos pelos quais passamos.
A gente só entende quando aprendemos.
A gente só percebe que o conforto e bem estar físico não influenciam na imagem que fazem da gente e se alguém te julgar por isso, essa pessoa é quem tem problemas sérios de imagem distorcida sobre quem realmente é.
As sandálias se vão, os dedos algumas vezes também, mas quem você é não está ligado a isso, pelo contrário, aceitar suas limitações e questionar até quanto você seguia a maioria sem se perguntar se você realmente quer ser como a maioria é um processo demorado e difícil até mesmo de enxergar.
Tem tanta gente que nunca se questionou:
Eu gosto de beber?
Eu gosto de usar sandália tão alta e sofrer no final do dia?
Eu gosto de ir pra praia, ou como é o gosto da maioria eu nunca questionei a mim mesma?
Eu gosto de música alta?
Eu gosto dos meus seios pequenos ou quero ter os seios maiores por que todo mundo hoje tem que ser gostosona?
E tantas outras perguntas que calamos dentro de nós.
Façam essas perguntas e tantas outras mais, e banquem ser quem vocês são, banquem as escolhas que farão, pois, autenticidade é um produto tão fora de moda nessa mundo globalizado e igual.
Em tempos a vaidade ainda me domina, dessa ainda não me livrei, como podem ver acima, não é um sapato baixo qualquer...rs...por que essa mania de ser DIFERENTE nasceu comigo e não tem perdas ou sofrimentos que me façam mudar isso.
Eu sou assim.

8 comentários:

  1. Oi Déa eu adoro esses projetos, mas tenho receio de não conseguir ir até o final. Eu não sabia do seu quadro infeccioso. Eu também adoro sapatilhas. E realmente temos que pensar nas nossas escolhas e avaliar se elas estão refletindo o que realmente somos.
    Beijos
    Chris
    Http://inventandocomamamae.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Chris,
      Verdade...temos que fazer uma limonada do limão que a vida nos dá e apesar de azedinho a limonada tem seu lado saboroso...
      Mil beijocas

      Excluir
  2. Déa, kkkk…essa sua supimpa explicação sobre o sapato preferido no final achei super….não importa se alto ou baixo….aberto ou fechado…strass ou não……a vaidade ainda esta em todos eles….pois sao seus sapatos e ponto!!!

    Bjks, amei esse texto

    Sonia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verdade Soninha,
      que importa o que calço né? o importante é quem sou....mas nem todo mundo descobriu isso...
      Beijos.

      Excluir
  3. Adorei vc estar participando do projeto.
    Não impora se de salto alto ou sapatilha, o importante é sempre a gente refletir quem somos.
    E você reflete isso querida <3

    Um beijo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada Fá....espero que sim...
      Também adorei suas artes.
      Sempre né?
      Beijos.

      Excluir
  4. Eu tinha visto lá no facebook, mas não tinha vindo aqui ver no detalhe. Quaaaaase ia perder esse texto tudo a ver. Eu não consigo andar de salto - tenho alguns poucos que considero altos, mas são saltos de uns 4 cm, somente. Mas uso só quando quero, em função de algo especial. Do contrário, dia sim, dia não, estou de sapatilhas e, de preferência, calçados totalmente anatômicos. Ademais, concordo com tuas ponderações. Tá certo - a gente não tem q fazer por convenções!!! Abs.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Né Marion...
      Temos que descobrir o que realmente somos, queremos independente do que as convenções nos obrigam
      Beijos.

      Excluir