quarta-feira, 18 de junho de 2014

Frases inocentes sobre moda

Mostro para Bianca, minha sobrinha, o vestido que comprei para o casamento de uma amiga.

Falo:

- Bibi vem ver o vestido que comprei para ir no casamento da minha amiga... (mostro a tela do computador a foto do vestido)

Ela chocada:

- Você comprou um vestido na internettttttt Titiaaaaaaa? Rss

Eu: - Compreiiii

Mostro a foto do vestido e explico que como ele é soltinho para não ficar muito gorda eu digo a ela que colocarei um cinto preto.

Ela me solta essa:

- Titia por que você não coloca um cinto coloridos como aqui oh (e mostra as pedraria que tem na gola), um cinto preto vai ficar muito APAGADO....

(quase caí da cadeira, ela falou a mesma coisa que eu tinha dito a minha mãe, para quando o vestido chegar eu ir na 25, comprar chiffon preto igual do vestido e pedras na cor da gola para fazer o cinto).

Tal Tia .... Tal Sobrinha.

Foto. Light in the box



Depois ela experimenta o sapato que vou colocar, o brinco e diz:
- Vai ficar gata hein...


No fim, quando o vestido chegou achei que era um pouco too much de brilho...rsss e optei por uma faixa de seda preta mesmo. Eu não tirei muitas fotos com o vestido, como sempre eu estava atrasada...rss...
Mas segue eu e o vestido....como podem ver eu tirei as pedras roxas da parte de cima, para poder colocar um brinco grandão...adoro!!

Quanto a experiência de comprar na China, never moooooore, gente o vestido foi R$ 230,00 + R$ 100,00 de frete + R$ 198,00 que ficou preso pela receita federal que cobrou o valor do frete junto + costureira R$ 30,00 + Tecido R$ 14,00...rss...essa brincadeira não valeu a pena...era melhor ter comprado um vestido aqui mesmo lá no Brás...rs

Ps: a receita deveria ter cobrado o valor  apenas do produto, poderia reclamar, mas ia demorar de 15 a 30 dias e talvez o vestido não estivesse liberado para o dia do casório, então.....rss.






Detalhes de uma churrasqueira em construção.

Então estamos dando uma geral lá fora, ainda falta muito...mas vou mostrar a arte que fizemos na churrasqueira, eu e meu pai, com a ajuda do eletricista é claro.
Um lustre feito com garrafas.

A inspiração veio da net, dessa foto aqui:


Peguei na net, se o autor quiser posso retirar



E a nossa obra foi essa aqui:



Ganhei, ou melhor pedi um caixote pra minha avó, desses de antigamente mesmo, que estava na madeira, pintei e forrei com papel contact, ele foi colocado na parede como um nicho para guardar o rádio que demos de presente para o meu pai há muitos anos atrás e que adora escutar lá em baixo as musiquinhas dele, mandei fazer capas para que não passe bichos.



Como era
Como ficou
E essa panelinha de ferro era da minha querida avó (postiça = avó dos meus primos) a querida Vó Dete que já faleceu há muitos anos.
Ela era uma linda, calada e cozinheira de mão cheia.
Nunca vou me esquecer quando eu estava bem doentinha, alguém veio pra minha casa e a Vó Dete me mandou pãezinhos caseiros que ela sabia que eu amava.
Detalhes tão carinhosos como esses são os que fazem diferença em nossas vidas e ficam pra sempre na memória do nosso coração.
Ela deu essa panelinha para minha Tia Avó Maria, e eu pedi como herança..rs...ela esta na mesa com essa suculenta, mas como colocamos uma cortina de PVC para proteger a temperatura alta fez com que ela morresse, então, deixo a panelinha vazia mesmo....




quinta-feira, 5 de junho de 2014

Frases inocentes de compaixão - Não puxa o rabo dele não...

Maria minha priminha sobrinha tem um Furby...



Eu achei fofinho e brincando com ele, pra quem não sabe ele dorme, faz barulhinhos, mexe os olhinhos, ri, enfim, se comunica conosco.

Ela me disse que ele ficava bravo se puxasse o rabo dele.

Eu puxei para ver a cara que ele fazia...

E ela com sua cara mais fofa, ficou extremamente brava comigo (senti em seus olhinhos..rs).

- Nãooooo ela disse!!!

Eu falei:

- Mas se você sabe que ele fica bravo é por que você já puxou....e viu...

Ela respondeu:

- Não eu nunca puxei, eu li na caixa...

E saiu brava comigo (espero que não pra sempre)...rss

Maria é essa coisa fofa, que chora de soluçar ao ver um cãozinho abandonado, alguém com fome, em algum apuro.
Que ela continue essa doçura, essa menina com compaixão.
Eu creio que sim.