segunda-feira, 28 de março de 2016

O incrível mundo de Tim Burton.

Todo mundo já ouviu falar, viu ou é apaixonado pelo Tim Burton.

Embora os críticos sejam duros, minha parceria predileta é do Tim com o Johnny Deep no cinema, é eu sei às vezes eu sou Maria vai com as outras, massa manipulada.

Adoro o jeito acido que o Tim observa o mundo, seu jeito peculiar e criativo de pegar a vida comum e a transformar em algo mais tolerável é incrível.

Confesso que seus monstros e sua visão macabra não são o meu lado preferido, mas Tim pega o assombroso, o diferente, o assustador, sinistro, bizarro e nos conecta com alguma linha invisível nos tornando iguais e diminuindo o medo, o distanciamento, o diferente.

Os monstros são iguais a nós, só tem uma aparência diferenciada, eles também tem medo, se zangam, choram, sofrem.

Gosto do seus mundos encantados que muitas vezes apesar de incríveis tem seu lado sombrio, o bem não é só bem, tem algum desvio e o mal também não é só mal, tem algum charme (alguma semelhança com o mundo real não deve ser mera coincidência...rs)

O famoso tudo tem dois lados!!!

Seus monstros são vaidosos, seguros, e ao mesmo tempo desejam serem aceitos e incluídos, mesmo quando fazer parte pareça ser uma bobagem.

Suas crianças são estranhas, autênticas, solitárias, tímidas e por isso mesmo especiais.


Suas mulheres são sexy, mas sem esteriótipos, são únicas, sedutoras justamente por serem diferentes.


Sua visão do mundo é realista, crua, escancarada, ele joga em nossa cara sem frases políticas, corretas, ou diretas, o assombro das máquinas, o distanciamento emocional, a solidão, imagens que só de olhar nos fazem refletir.






Suas heroínas estão em construção, são lutadoras natas, estão em busca da sua verdade.

E seus mocinhos são estranhos, despedaçados, sofridos, sedutores, meigos, manipulados, inseguros,





Sua criatividade é divertida, detalhista e extremamente incomparável, não dá para ser Tim Burton, ou se tem esse genialidade ou não...simples assim.

As coisas que mais gostei foram os desenhos feitos por Tim, e textos onde ele destila toda a sua criatividade. Além de excepcional desenhista é também um talentoso escritor, como se vê nesse texto que se tornou o meu preferido na exposição



Tradução livre:
Um dia no parque
Eu tive uma grande surpresa.
Eu conheci uma garota
que tinha muitos olhos.

Ela era realmente muito bonita
(E também bastante chocante !)
e eu notei que ela tinha também uma boca, então acabamos por conversar.

Falamos sobre flores,
e suas aulas de poesia ,
e os problemas que ela teria
se ela precisasse usar óculos .

É ótimo conhecer uma menina
que tem tantos olhos ,
mas você realmente se molha
quando ela se rompe e chora.
No MIS
AV. Europa, 158 - Jardim Europa - São Paulo/SP
Ingressos até: R$ 40,00
Até 15/05/2016
Aos domingos há venda de ingressos na bilheteria
Preste atenção tem alguns dias que estão esgotados, são dias que todos os ingressos já foram vendidos na internet.
Eu comprei ingresso para um dia á noite, porém, no dia teve uma chuva forte e minha amiga que me acompanharia não pode ir devido ao trabalho, então, perdi esse ingresso.
Mas aproveitei a visita de uma prima que curte muito o Tim e fomos numa terça-feira, cheguei lá por volta das 10h30, pegamos o ingresso gratuito na bilheteria, a fila das 11h00 já estava formada e esgotado os ingressos para esse horário, conseguimos ingresso para 12h00.
Fiquem espertos, já tinha uma fila para o 12h00 demarcada e próximo das 11h00 a fila já começou a se formar, fomos para a fila do 12h00 às 11h10 e fomos umas das primeiras a entra nesse horário, eles vão liberando a fila devagar para não lotar lá dentro, por isso, se tiver pressa já fiquei na fila do horário do seu ingresso.
Todas as informações estão aqui:
http://www.mis-sp.org.br/icox/icox.php?mdl=mis&op=programacao_interna&id_event=1972

Nas imediações do museu há carrinhos de comidas, como tapioca, docinhos.
Nós compramos na saída geladinho...rs, e era um geladinho especial e saboroso demais, o meu de brigadeiro era de brigadeiro mesmo, com direito a granulado, minha prima comeu de maracujá e disse que estava maravilhoso - Recomendo.
Custo R$ 3,00.
Tire foto lá fora quando der e não esqueça de olhar para a câmera

Foto tirada by desconhecida de minha propriedade.


E na entrada deixe para tirar quando sair da exposição entre uma turma e outra.



Lá dentro é proibido fotografar, vi gente mal educada cometendo essa gafe, por isso, que brasileiro é considerado persona no grata ... Não faça o mesmo, seja respeitoso com as regras para uma sociedade menos corrupta e mal educada, no mais divirta-se.

Esqueça ...  o macabro Tim Burton é pura meiguice, monstro como a gente.

Todas as fotos foram retiradas da internet com exceção da com legenda.
Não tinha autores, caso seja de alguém só pedir que colocarei os créditos.

domingo, 27 de março de 2016

Uma páscoa cheia de Charmm.

Toda páscoa eu não compro nenhum chocolate pra mim e depois fico vendo as milhares de fotos e morrendo de vontade.

Não sou muito fã de chocolate, gosto de chocolate no brigadeiro, nos bolos...mas comer o chocolate em sua forma natural não é o meu desejo maior.

Esse ano fiquei vendo milhões de fotos de ovos de colher, molhadinhos, caseiros, cheio de recheios e não resisti. As ofertas eram variadas...inclusive de amigas...escolhi a empresa pelo instagran simplesmente por que gostei da foto, do sabores disponíveis e depois claro do preço.

Não gosto muito dos chocolates do mercado, acho o gosto do chocolate meio gorduroso, sempre prefiro a coisa mais caseira.

E escolhi comprar com a Charmm Brigadeiros.

Entrei em contato com a Andrea (minha xará) e fui muito bem atendida, ela teve paciência em sanar todas as minhas dúvidas, sou chata, pergunto tudo que estou em dúvida antes de comprar para não ter decepção depois.

E amei!!!

Comprei um ovo de Nozes para minha mãe, um de Limão para mim, meu irmão escolheu um de Ferrero Rocher e meus sobrinhos escolheram tradicional e Nutella, todos eles são trufados.

Não resisti e comprei uma palha italiana de colher que vem num potinho (6 unidades) e que delícia que é isso...viciei...





E para completar uma promoção que tinha para ganhar frete grátis comprei também potinhos de brigadeiro (10 unidades)
Pensei que seriam potinhos minúsculos e eram bem generosos e fofamente embalados.




Todos os produtos vieram super bem embalados nessas caixas de isopor.



Dentro tinha plástico bolha, papel, tudo para não quebrar os ovos.




A Charmm vende por tamanho e não por peso, o que achei interessante, comprei todos ovos P (que tem em média 300 gramas, mas confesso que estão bem pesados e M  para meus sobrinhos que são em média 500 gramas).

Achei o preço muito bom, pude parcelar no cartão e aqui dividimos os custos entre Tia e avôs não pesando para ninguém e todo mundo podendo se deliciar.

E ganhamos três cones desses de sorvete de casquinha recheados com brigadeiro.

E por dentro do ovo estava assim ohhhhh:



Eles tem página no instagran
E site: www.charmmbrigadeiros.com

Entrei no site e tem muitas coisas bacanas para festas, adorei as embalagens e achei tudo muito caprichado.

Fica a dica, por que, não sei vocês, mas fico sempre apreensiva em comprar as coisas na internet, ao mesmo tempo que é prático a gente nunca sabe o que vai encontrar, ainda mais no caso de comida, onde cada um tem um paladar. No caso da Charmm foi uma surpresa deliciosa.

Me lembro de ter lido no email que os ovos estarão na promoção na segunda-feira, mas ohhh posso ter confundido as empresas, por que, leio e sigo muitas, e não achei nada nos site ou no insta da Charmm, mas fiquem atentos caso tenham ficado com vontade.

Todas as dicas dadas aqui no site são referentes ao meu consumo e experiência, não ganho nada para divulgar as empresas, caso isso ocorra avisarei. Não é o caso desse post. Paguei cada produto citado e pagarei para me livrar de toda gordurinha adquirida.


sábado, 26 de março de 2016

Frases inocentes de música e barro.

Eu e Bia no carro dando nosso famoso show dançando nossa coreografia da Música Eduardo e Mônica...

Foto by Déa Prado da placa foforenta que ganhei da Lia Agio do blog www.otachodapepa.com quem "garrar" amor pode encomendar essa e muitas outras mais. Fale com a Lia diretamente pelo blog ou no www.lujinhadotacho.divitae.com.br


Quando a música acaba e entra uma do Barão Vermelho.

Bia imediatamente solta essa:

Quem é o BARRÃO vermelho?

Eu respondo:

BARRÃO vermelho é lá em Cornélio Procópio, agora a música que está tocando é do Barão Vermelho...

RSSS

sexta-feira, 25 de março de 2016

A praça com o mais lindo Pôr do Sol.

Moro em SP desde que nasci...mas como gosto de dizer sou uma Paulistana meia paranaense e meia paulistana.

Adoro o interior, o céu, as estrelas, o ar puro, a calmaria, o pouco trânsito, mas adoro também as infinitas possibilidades de uma cidade gigante como São Paulo. Vou morrer e não irei ter visto e vivido tudo que essa cidade oferece.

A verdade é que me dá um certo desespero!!! Tanta coisa para ver, tanto lugar para conhecer, alguns dependo de dinheiro, alguns são longes, outros de difícil acesso...eu me sinto correndo uma maratona para tentar ticar o máximo possível de experiências paulistanas que tocam meu coração, muitas eu perco, principalmente aquelas gratuitas, com filas gigantes e com tempo de duração determinada, outras são caras demais para o meu bolso.

Confesso que adoro as novidades, aquelas coisas que poucos conhecem ou tem acesso, adoro descobrir minha cidade e novidades, adoro essa sensação de descoberta e exclusividade, não no sentido ostentativo, mas no sentido especial, único, diferente.

Mas é no tradicional que está o charme da cidade...aquele lugar lotado de gente, com filas, multidão, que todos na cidade já aprovaram e que se esmagam para usufruir...

Já tinha ido diversas vezes na Praça Pôr do Sol, muitas delas para namorar no carro e dar uns amassos (não indico para que façam isso hoje, isso era nos anos 90 e ou a criminalidade era menor ou era menos divulgada), mas nunca tinha ido na famosa praça no horário do Pôr do Sol.

E num domingo de bobeira em que fui encontrar uma amiga no Mirante 9 de Julho, como contei aqui: http://semespacoparalamento.blogspot.com.br/2016/03/mirante-um-lugar-para-mirar-e-se-mirar.html resolvemos estender nossas descobertas e partimos para a praça.

Importante: Checar o horário do pôr do sol no dia que for.

Bom o trânsito ao redor da praça é intenso, deixamos o carro algumas quadras e seguimos á pé até a praça, confesso que senti pena dos moradores (um bairro nobre de SP) que vêem suas ruas serem invadidas por todo tipo de comercio, mas creio que seja apenas aos finais de semana e não sei se horário da muvuca se estenda até tarde da noite, espero que não, por eles.

A praça também estava lotada, todos posicionados para ver o famoso pôr do sol.
Todo tipo de gente, mas a maioria são grupos de jovens.
Muita erva no ar, mas pra mim pouco me importa, estava lá para ver o espetáculo da natureza e ele não decepciona.

Palmas para Deus pela sua perfeita pintura e por momentos como esse que enchem meu coração de alegria e gratidão.



As fotos do pôr do sol foram tiradas por mim e pela minha amiga Gabriela, mas agora já não sei qual é clique de quem.

Foto by Gabriela Fiorentino.


Vai lá também, são dessas coisas que todos paulistanos tem que fazer um dia antes de morrer.
A minha parte eu já fiz.



  1. Ver o pôr do sol na praça do pôr do sol - 


Após o Pôr do Sol saímos rapidinho, por que, imagino que no escurinho a praça seja procurada para outros assuntos... Mas a visão do pôr do sol sempre valerá a pena de ser prestigiado por lá.

Praça Pôr do Sol:
Praça Coronel Custódio Fernandes Pinheiros
Sem número
Bairro Pinheiros
São Paulo/SP
Gratuito



quinta-feira, 24 de março de 2016

Mirante um lugar para mirar e se mirar.

Há algum tempo li uma matéria sobre um lugar que estava sendo revitalizado e me encantei pela história e também pela proposta de sua nova utilização.

O Mirante 9 de Julho foi transformado e passou de um lugar despercebido, invisível e abandonado, que amedrontava as pessoas e ganhou ares de um dos lugares mais charmosos de SP e sem dúvida alguma se tornou um dos meus lugares preferidos.

Adoro a proposta em que podemos ficar livres, sentados nas escadarias e ao mesmo tempo ter acesso a comida de qualidade no restaurante que é pilotado a cada mês por um "chef" diferente com um cardápio itinerante e também ao café Isso é Café (marca própria) super descolado e muito bem representado pela simpatia de seus colaboradores.

Um lugar que estava abandonado e que se tornou um espaço simpático para bater papo com os amigos, marcar encontro com o "crush", ou ir sozinha ficar com seus próprios pensamentos vendo a vida agitada de SP escorrer pelos nossos olhos.

Você desce a ladeirinha bem ao lado do Masp (Avenida Paulista) e bem a baixo do Masp você já vê a escadaria...descendo essa escadaria ao seu lado direito fica o restaurante e ao seu lado esquerdo fica o café, além de uma laje onde há shows, apresentações, performances. Há também exposições e intervenções artísticas em todos os ambientes, música e até cinema ao ar livre.
Foto by Dea Prado

Foto by Déa Prado
Os diversos bancos e as mesas ficam a disposição de todos sem reservas ou cobrança por parte dos atendentes para que você desocupe rapidamente.
Aliás você quem deve ir no restaurante ou no café e escolher o que vai querer, levar para para sua mesa, banco, degustar e depois devolver, não tem garçons servindo as mesas, pelo menos eu não vi quando estive.

Fui em um dia de Carnaval e creio que estava vazio por conta disso, dos diversos blocos que havia na cidade, espero que o local lote em um dia comum, mas que não fique insuportável, com a maioria dos lugares bacanas nas grandes metrópoles.

Como já tinha almoçado e era final de tarde pedi um Cheesecake de Jaboticaba e estava Di.vi.na.men.te perfeito.

Foto by Dea Prado
O Mirante é um respiro numa cidade rápida, é um momento de paz e contemplação à vida. Um momento de calma assistindo ao trânsito maluco da avenida lá em baixo.
Foto by Dea Prado
Achei o Mirante um pouco parecido com as escadarias da Piazza di Spagna em Roma, mas o Mirante ganha para mim por ter o restaurante e o café e perde por não ter todas as flores da Piazza di Spagna!!!


Foto by Dea Prado

Foto by Dea Prado

Foto by Dea Prado
Ainda não desci uma escadaria onde você encontra a Galeria Vertigem, um espaço expositivo, bem pequeno e claustrofóbico, que deve ter dado nome ao lugar. Fiquei devendo e temo que terei que voltar para ver essa Galeria e experimentar a cada mês o novo cardápio.

O projeto seguirá futuramente revitalizando duas fontes e construindo uma estrutura metálica em cima da laje que servirá como galeria de artes.

Não sei vocês, mas acho que ficará mais incrível do que já é!!!

São Paulo precisa valorizar seus espaços públicos e que a população possa aproveitar a cidade, retomando lugares e espaços que são nossos. Bora ocupar o que é nosso por direito.

Mirante 9 de Julho
Baixo do vidaduto Bernardino Tranchesi (atrás do vão do Masp), 167 - Bela Vista - Sâo Paulo/SP
Telefone: (11) 3111 6342
Capacidade: 350 pessoas
Entrada: Gratuita
Preços camaradas tanto no restaurante como no café, com valores próximos aos R$ 20,00/R$ 25,00.
Fonte: www.hypeness.com.br/cobertura-hypeness-saiba-o-que-encontrar-no-mirante-9-de-julho-novo-espaco-multicultural-de-sp/

terça-feira, 8 de março de 2016

Quem é você hoje?

Faz tempo que não escrevo por aqui.

Mas devido a pedidos (mentira...rs), e insistência dos fãs (mas tu é cara de pau...rs), e quantidade de assuntos mirabolantes em minha cabeça (isso sim verdade..rs), diga a todos que voltarei...(a todos quem criatura?)

Vou tentar explicar por que ando sumida!!!

É que entrei numa neura de que o que digo não tem muita importância, o que faço, o que acho...

Aliás não é que não tenha importância, mas acho que tem importância para mim e para aqueles que são influenciados ou estão envolvidos naquilo que poderá os atingir.

Ando numa fase da vida, em que tenho achado que todo mundo tem opinião demais

Antes a pessoa calada era julgada pela sociedade como tímida, burra, apagada e por aí vai.

Tem um quê de vaidade querer controlar ou saber mais que o outro, achar ilusoriamente que o que achamos sobre determinado assunto é o certo, aliás o que é o certo ou errado?

Nenhum assunto, nenhuma questão será totalmente analisada e correta, simplesmente por que o que é verde pra mim é abobora para o outro, fora que só dá para opinar sobre algo que você conheça de forma abrangente, todos os lados, e mesmo assim será sempre um circulo vicioso.

Para o grupo que vê verde, você defender o verde será sempre o certo, mas e para a turma do abobora?

Você tem certeza que sabe tudo o que está acontecendo, conhece todos os lados, todos os motivos, os por quês?

Tenho ficado mais calada, até por que, calada eu tenho aprendido a comprar só as brigas que me interessam, sabe aquele pensamento: Isso não dá para eu deixar passar.

E aquela outra frase famosa: Prefiro ter paz do que razão.

É o equilíbrio entre as duas que tenho procurado.

E nessa procura entre calar e me defender, entre não ser burra alienada, mas não ofender nem atacar ninguém, entre ser culta dentro dos meus limites financeiros, intelectuais e desejáveis, ando cambaleando nessa busca que será para sempre na minha humilde opinião a busca maior que é amar incondicionalmente, aceitando até o lado negro de outro alguém.

Fui por isso que sumi um pouco, por achar que minhas opiniões não precisam ser ditas, compartilhadas e esperançosamente aceitas.

Ando só, cortando passos com a solidão, como diz a música que chamo de minha.

Por que li em algum lugar que não adianta a gente ficar dizendo as coisas: 30% não está interessado no que você está dizendo, 30% finge que ouve e 30% não faz ideia do que você está falando e somente 10% está te ouvindo até a frase três...rs...isso significa aquela antiga frase que muitas vezes estamos jogando perolas aos porcos.

Saca aquela sensação de você desabafando por horas e de ter a sensação de que não adiantou nada, por que, é muito raro e difícil achar quem tenha empatia, quem ouça o que você diz sem te julgar, criticar...só ouvir...simples assim.

Por que ainda é raro alguém te amar incondicionalmente.

Não sei vocês, mas tem horas que eu quero falar os maiores absurdos, quero dizer tudo que faz com que lágrimas rolem pelo meu rosto sem trava de segurança, eu sei de toda teoria, da fé, da esperança, de quanto sou abençoada, mas tem horas, que eu simplesmente quero colocar pra fora todos os meus medos, dores, temores...cansa ser positiva, amiga, alegre o tempo todo, tem horas que a vida fica muito cinza e sem alguém para simplesmente nos ouvir, sem querer que ao invés das queixas a gente seja grato é algo raro.

Eu sou muito positiva, procuro me alegrar, agradecer, ter fé e esperança, mas não sou essa pessoa 365 dias do ano, tem horas que tudo fica muito cinza e me dou esse direito, como muitas pessoas eu passei por maus bocados nessa vida, posso dizer com certeza que tenho mais do que chorar e choro, mas escolhi procurar ser feliz.

Minha ausência aqui, meus cuidados maiores com o face, o instagram, e a vida real, é que muitas vezes passamos uma impressão de sermos só positivos, felizes, tristes ou deprimidos, por conta do que postamos...mas fiquem atentos nem todo mundo é tão triste, nem todo mundo é tão feliz...

Postamos aquilo que achamos melhor de nós, mas isso não significa que não tenha outro lado, outros dias, outras escolhas.

Eu não sou só o que acabei de escrever, sou uma metamorfose ambulante, que sente e muda a todo momento.

Vamos ter cuidado ao julgar o que as pessoas postam, um post para determinado candidato, aprovação para algum assunto complicado, não limita aquela pessoa a uma única coisa.

Tem muita gente deletando amigos da vida virtual e material por conta de uma posição política, de um post ou de uma frase mal escrita ou pensada.

A vida virtual é uma extensão da vida material, é a mesma coisa...

Sejamos mais tolerantes...mas criteriosos...e respeitosos.

Eu leio algumas coisas de amigos que me chocam, mas respiro fundo, e vou em frente, por que, temos que respeitar o momento da pessoa, e até mesmo sua escolha e seu grau de entendimento e evolução sobre aquele assunto.

Eu tenho um amigo de vida real, passamos anos sem nos ver, só interagindo pelo Face, e depois de anos de julgamentos tanto meu quanto do meu amigo sobre quem havíamos nos tornado, nos encontramos para um almoço, contei tudo que havia ocorrido comigo e nem sempre eu choro, mas nesse dia eu chorei e falei o quanto tinha sido e ainda é difícil algumas coisas, algumas perdas, e ele me disse assim:

Nossa você é tão positiva no face.

Aquilo me chocou profundamente, por que, percebi que a visão que ele tinha de mim era essa, uma pessoa que passou por graves problemas de saúde, mas era positiva. Só. Eu era somente essa pessoas positiva, ponto final.

Me senti uma impostora, tentando parecer algo que ao vivo aparentemente eu não era.

Contei na terapia e chegamos a conclusão que a imagem que esse amigo tinha de mim foi modificada por eu ter no almoço, contado minha história e ter dito que não era fácil, que ás vezes eu ficava triste. E percebi o quanto criamos uma imagem das pessoas. E fui além isso sempre existiu, por que, nunca nos aprofundamos em conhecer as pessoas, por preguiça, medo, falta de tempo.

Quem já não foi julgado como periguete pelas roupas que veste, baladeira por gostar de sair, chata por defender algumas posições e por aí vai.

Quem nunca julgou e foi julgado?

Vivemos apresentando um papel na sociedade, fingindo não ter dor para não ser chato, guardando nosso choro, nossos inconvenientes, nossas risadas escandalosas, ficando do tamanho que seja necessário ser para caber dentro de muros que nós próprios construímos...e isso cansa, quebra, machuca.

Quando seremos mais autênticos, mas nós mesmos?

Então, eu voltei aqui, e voltarei outras vezes, para falar comigo mesmo caso não tenha empatia com mais ninguém, seja para tocar uma pessoa, duas quem sabe, para levantar questionamentos e até para falar sozinha...rs...para que me conheçam um pouco mais e para que eu me conheça um pouco mais, para que eu me liberte da vaidade de postar só o bonito, o positivo, o sensato, o cordial, o que não machuca, nem fere, o que é morno, o que cabe dentro do muro.

Não eu não quero mais julgar e muito menos ser julgada.

Eu quero ter opinião e liberdade sem que isso fira o outro.

Eu quero ser a Déa, que chora em várias madrugadas, no carro, quando se lembra e é tocada por algo que a faz transbordar de tristeza, e quero ser também a Déa que na mesma hora ou no outro dia se enche de esperança e corre atrás de ilusões que preencham, mesmo que momentaneamente, e faz compras, come algo gostoso, se maqueia e vai na festa com um sorriso sincero no rosto pintado de uma esperança verdadeira e que sem nem que se dê conta fica feliz de novo com a chuva no rosto, m abraço sincero, um sorriso desconhecido, algo que a faça lembrar que a vida é única, especial e necessária.

E quando eu vejo a vida faz sentido, mesmo diante desse caos ilusório criado por nós mesmo, onde a a gente se joga e se segura.