terça-feira, 17 de maio de 2016

Receita do Cookie da Déa

Devido a muitos pedidos (cara de pau...rs)...

Segue a receita do cookie que era da Fabiana minha prima que uma amiga dela que faz eventos ensinou para ela e que ela após me presentear com alguns me viciou de tal forma que virou minha marca registrada.

A Fá, minha prima que faz muitas gostosuras, sabendo do meu amor por corujas na época, me enviou alguns cookies para eu experimentar, e fiquei encantada como contei aqui corujices-que-amo

A Fá me mandou a receita e eu comecei a fazer essa receita em todo lugar que eu vou, além de gostosos eu adoro a possibilidade de cores, e formatos que ele proporciona, sendo ideal para dar como lembrancinha e enfeitar mesas em festas.

Desde a primeira vez que a Fá me mandou a receita eu acabei fazendo do meu jeito e vou explicar como eu faço, não como a minha prima faz (por exemplo ela usa gotas de chocolate e eu nunca fiz com as gotas, sempre usei confeito, por que, gosto da "crocância" que o confeito dá).


Cookie.

Ingredientes:

500 gramas de manteiga gelada e picada sem sal. (eu nunca consegui fazer com a manteiga totalmente gelada, tenho preguiça de cortar...rs... eu sempre deixo ela fora da geladeira um pouco, não deixe derreter muito, não precisa ficar tipo ficar em ponto pomada, mas é difícil mexer a massa com ela muito gelada, nem muito mole, nem muito dura)
(eu mudei a receita para 400 gramas, por que, sempre achei que era muita manteiga, e sempre deu certo, a qualidade da manteiga influência na qualidade e crocância do biscoito, geralmente uso a do Supermercado Dia, mas faz alguns meses que ela não é mais fabricada, então, comecei a fazer com a Tirolez e gostei muito, compro uma que é um pote grande de 500 gramas).

5 xícaras de farinha de trigo (ás vezes vai um pouco mais) (nas minhas receitas quase sempre vai mais farinha, depende do tempo, da manteiga, até a massa ficar uniforme, soltando dos dedos).

1 xícara de açúcar.

1 ovo

2 colheres de sopa de creme de leite (minha prima disse que não usava e não fazia diferença, mas eu sempre coloco, acho que fica mais saboroso).

1 e 1/2 xícaras de gotas de chocolate ou granulado ou confeitos (M&Ms). (eu sempre usei confeitos, e gosto de usar os minis, mas vai do gosto, nunca fiz com granulado, nem com gotas de chocolate, como disse acima gosto da "crocância" que os confeitos dão, além do colorido...rs). (Costumo usar o Chocomix da Mavalerio e agora descobri uma marca mais barata que também uso)

Modo de fazer.

Mistura tudo, começando pela manteiga e pelo ovo, depois coloque os demais ingredientes, e só acrescente o chocolate depois que tiver tudo bem amassadinho e uniforme, soltando dos dedos.








Deixe descansar por 30 minutos na geladeira. (quando está muito calor eu deixo mais, e quando corto coloco de novo a massa já cortada na geladeira até a hora de assar) abra com um rolo (o meu é de madeira) e corte com cortadores de biscoito do formato desejado.







Asse em forno de médio para baixo até ficarem douradinhos. (aqui o forno é meio louco, tenho aquecido o forno por uns 10 minutos, 230 graus, e fico bem de olho para não queimarem, aqui o forno é lento e demora uns 20 minutos cada fornada, mas isso depende do forno).

Cada receita dá dos biscoitos redondos (do meu cortador) uns 20 a 22 biscoitos, isso depende de quanto de massa que foi feita (com ou menos farinha) da altura que você corta o biscoito. A quantidade também depende do formato é claro, os quadrados quando faço dá menos de 20 unidades. Enfim...vai depender do formato, da grossura e da quantidade de massa feita.

Tem um rolo que tem rodinhas nas pontas fazendo que você corte todos os biscoitos em uma altura padrão, eu não tenho esse rolo, mas sou doida por ele...rs

A cobertura do cookie é de Doce de leite em pó.

Ingredientes:

02 xícaras de açúcar impalpável (não é o de confeiteiro, tem que ter escrito impalpável no saco).
02 xícaras de leite em pó (uso a Italac, marcas mais baratas e não sinto diferença, mas não pode ser aqueles instantâneos, senti diferença quando fiz com ele, para chegar ao ponto do docinho).
Leite condensado aos poucos, dá quase uma caixinha (aqui também uso o leite condensado de diversas marcas, acho mais prático o das caixinhas para ir acrescentando)
Corante caso deseje fazer colorido. (dá sua cor de preferência) (O corante eu já coloquei no leite condensado, quando estou mexendo os ingredientes, e até quando a base já está pronta, mas quando a base já está pronta (doce pronto - amarelinho) quando você acrescenta o liquido do corante ele meleca de novo (perde o ponto) e é necessário colocar mais leite em pó e amassar até ficar no ponto de novo, sinceramente ainda não sei o que é mais fácil, o docinho é a para mim a parte mais difícil desse cookie, por que, tem vezes que ele demora até dar o ponto, a prática ajuda nesse caso).

Vi um video de uma confeiteira que ela faz o doce de leite em pó (amarelo) e divide em potes separados e acrescenta uma cor para cada uma das partes, creio que quem faz muitos detalhes em bolos, usa diversas cores, como por exemplo para fazer um bonequinho, deve ser mais fácil desse jeito, agora como no meu caso é para uma grande quantidade de uma cor só, acho que prefiro usar o corante quando estou fazendo o doce, assim eu chego na cor e no ponto do docinho com a ajuda do corante também (ele é usado como se fosse o leite condensado, o liquido).

Modo de fazer:

Coloque o açúcar e o leite em pó, vá acrescentando o leite condensado aos poucos, misturando até que forme uma massa tipo massinha de brincar...rs. (aqui o tempo do ar também influência e a prática).



A massa com o tempo vai endurecendo, algumas pessoas colocam ela em plástico filme.
Eu só faço o docinho quando posso já abrir, por que, como disse ele endurece.
O ponto ideal é aquele que a massa é uniforme, não quebre, nem esfarele, e que não grude na superfície.
Abra a massa (eu polvilho leite em pó como fazemos na massa com a farinha), e corte no mesmo formato que você fez os biscoitos, ou não, daí a criação é sua.






Dá para carimbar com carimbos para biscoitos, usar esse carimbo de flores como acima, e fazer outros formatos de doce e colocar em cima.

Espere o cookie esfriar e cole com a ajuda do leite condensado a massa de leite em pó.


Nesse aqui eu deixei sem colorir com o corante e escrevi com caneta comestível uma mensagem:


Nesse de Festa Junina, eu fiz com o cortador quadrado grande e depois com o cortador triângulo até que formasse uma bandeirinha junina.


Aqui fiz colorido e colei lacinho menor para enfeitar.


Para a uma amiga que quis comprar alguns (só vendi essa única vez para ela...rs), eu fiz mega coloridos e enfeitados.





Aqui usei aqueles carimbos que forma palavras e frases (que você monta letra por letra)


Em um piquenique meu, fiz redondos com um passarinho menor.


Nesse usei apenas aquele marcador de biscoitos que é um rolinho e que tem de flores, etc, ficou tipo uma textura.


Aqui usei o carimbo que forma palavras e frases de novo.


Comprei um jogo de carimbos de madeira que você vai trocando as peças de silicone e cada um tem uma mensagem, como:
Eat me
Bakery with love


Enfim, aqui está a forma que faço.
Quem fizer vem me contar combinado?

segunda-feira, 16 de maio de 2016

Recife - Dia 5 - Que o sol que trago dentro de mim brilhe onde eu estiver.

No outro dia era dia de despedida e fomos eu e a nossa irmã mais nova tomar o último sol de Recife...na praia há duas quadras do apto da minha amiga em quanto ela dava uma geral na casa e fazia almoço.

A praia de Candeias é bonita como as outras, mas tem muitas algas o que torna o banho meio complicado, mas deu para tomar um sol, uma água de coco e conversar durante bastante tempo, com uma das melhores ouvintes que tenho na vida.



Eu falo pra caramba e ela tem uma paciência comigo, falamos a mesma língua pensamos parecido e é tão fácil conversar com quem pensa como a gente né? Rs...

Ela chegou a conclusão que sou muito cruel comigo mesma. E ela tem razão, só vejo o quanto eu sou feia, chata, o quanto a minha vida é dura, complicada e difícil, mas esqueço de olhar com carinho para mim mesma, de pegar essa Andrea menina no colo, de ter compaixão com a única pessoa que realmente importa na minha vida...EU!

Tomamos uma ducha na piscina do prédio da minha amiga, mais um solzinho, mais bate papo e subimos para almoçar o almoço delícia que minha amiga preparou: Feijão de Corda, foi a primeira vez que comi e achei muito saboroso, minha amiga está mandando muito bem nas comidinhas regionais, aliás ela já tinha feito um escondidinho de carne seca também, ambos delícia.

Casar dá nisso...rs...

Depois fomos comprar as ultimas coisinhas para trazer para a família como queijo coalho (R$ 15,00), bolo de rolo da Casa dos Frios que minha amiga disse que é o mais gostoso de Recife (R$ 20,00 aproximadamente dependendo do peso). Tem de goiabada a tradicional que eu trouxe de presente e tem a de Doce de leite que eu gosto mais, não comprei e me arrependi e no aeroporto era mais de R$ 10,00 mais caro.
Tinha antes de nozes, mas disseram que não fabricam mais.
A de chocolate achamos na loja do Shopping RioMar.
É bem recheada e a massa fininha, realmente é a melhor que comi e comprei em vários lugares...rs


É era hora de arrumar as malas, jantar e partir para o aeroporto com apenas uma hora e meia de antecedência, por que, lá meus queridos não tem trânsito...Chorei!


A viagem foi muito válida, tive, como sempre temos, muitos "insigths" sobre meu estado atual e a forma que devo agir, falar, ser...

Viagens são sempre válidas, por que, nunca voltamos como eramos, sempre há algo que é mexido aqui dentro, um olhar diferente, uma percepção.
Estar aberta ao novo, traz o novo para dentro de si.

E embora quem somos nos acompanha onde quer que a gente vá, a paisagem, as pessoas, as novidades de uma viagem enriquecem o nosso descobrimento sobre nós mesmo, basta ter a alma aberta e querer tirar o melhor proveito da experiência que como tudo tem partes boas (em viagens elas são maioria) e também partes não tão boas (que graças a Deus em viagens são bem pequenas).
Até o próximo destino!!!

Á minha amiga obrigada pela estádia, por todo trabalho que lhe dei, pelas comidinhas deliciosas, pelo sol, por me mostrar o melhor de onde é agora seu lar, por dividir seu filho tão fofo comigo, por ter colocado seu marido e filho para nos acompanhar (deu dó deles...rs), por me buscar, levar, escutar, por todos os passeios tão gostosos, enfim, por TUDO. Sei dos esforços que fizeram para nos proporcionar a melhor experiência. Você mora no meu coração por todo o sempre com vista para o melhor e o mais autentico de mim.

Fim.



domingo, 15 de maio de 2016

Recife - Dia 4 - Oh Linda, seja linda, mesmo que seu dia seja nublado.

No domingo íamos passar o dia no Hotel em Porto de Galinhas, porém, como choveu (aliás minha amiga disse que de abril a setembro é tempo de chuvas lá no Recife), resolvemos passear em Olinda. (10 km de Recife)

Oh Linda é linda embora bem pequena (eu não imaginava que fosse tanto).

Essa primeira foto é perto do estacionamento para carros, no alto da ladeira, onde começa a rua principal do comércio. Recife está ali no cantinho da foto a direita.

Foto by Déa Prado

Em uma hora você vê o principal, cheia de igrejas barrocas por onde você olhe e nesse blog tem a história e as fotos de todas as igrejas de Olinda juremajosefa . Reconhecemos as famosa ladeiras do carnaval Pernambucano, seus bonecos gigantes e o frevo.

Foto by Clau

Foto by Déa Prado

Olinda tem um cheiro e um som da época colonial, tem cheiro de de defumação, tem som de batuques e religiosidade.

Na igreja da Sé, bem lá do alto se tem uma bela vista da cidade e de suas várias igrejas, tendo Recife e o mar como pano de fundo. Dizem que esse foi o lugar onde Duarte Coelho disse: "Oh, linda situação para se construir uma vila!"
Minhas fotos não ficaram muito boas devido a falta de luz, em um dia nublado e chuvoso.



Foto Internet
Foto by Déa Prado


Igreja do Carmo - Foto com um dia de sol - Retirado da Internet

Foto by Déa.


Passeamos pelas lojinhas e meu consumo foi uma faixa para o cabelo (R$ 12,00) bolo de rolo individual pequenos para a família em sabores variados, chocolate, limão, bem casado (de R$ 5,00 a 8,00) e uma rapadura chamada batida (mais mole) que é muito deliciosa, trouxe para minha mãe que é fã e para minha vizinha que fez aniversário e ambas se deliciaram.
Eu recomendo, não deixem de comprar, quem gosta, essa rapadura aqui... Rapadura Batida Triumpho.

Foto by Déa Prado

Comprei na Galeria de Arte e Artesanato, passando o centrinho da igreja da Sé, passa os camelôs, é do lado esquerdo da calçada (calçada onde tem o elevador panorâmico), uma quadra para baixo. A grande custou R$ 15,00 e a pequena  R$ 8,00;

As casas coloridas, a vista de cima da cidade e do mar, as diversas igrejas, fazem Olinda um pequeno charme, recomendo a visita.

Foto by Déa Prado

Foto by Déa Prado

Voltamos para Recife e como eu e a irmã mais nova da minha amiga amamos camarão, nossos amigos nos levaram no restaurante especialista em camarão, ele se chama Camarão Camarada, no Shopping Recife em Boa Viagem.


Bom tudo do cardápio ou quase tudo (?), leva camarão, começamos pela empadinha de camarão, que estava com uma massa macia e deliciosa e o recheio era gostoso e na quantidade certa.

Foto by Déa Prado

O prato principal pedimos um Bobó de Camarão, a indicação do prato é de que serve 02 pessoas, mas serviu nos quatro com direito a repeteco. Por sugestão do garçom incluímos 4 espetos de camarão ao Bobó (R$ 10,00 cada espeto) para ter mais camarão, já que o molho é suficiente, mas o camarão poderia ficar pouco para 4 pessoas, mais uma vez o filho da minha amiga nem tocou no prato pedido tendo comido um lanche. (R$ 60,12 por pessoas – 4 pessoas).

O arroz com coco, a farofa com dendê estavam excepcionais, o restaurante é bem bonito e estava lotado, sinal de que é bem recomendado.

Foto by Déa Prado.
Voltamos para a casa e aproveitando o dia chuvoso, para nos jogarmos na cama e papearmos sobre os mais diversos assuntos.

Hora de enviar as fotos, rir de algumas, compartilhar as músicas que foram fundo musical da viagem, comer cocada, querer voltar em cada lugar que estivemos, falar da infância que compartilhamos, levar bronca da minha irmã mais velha...rs e matar a saudade que já começa a apertar o peito, hora de começar a se despedir.

Quase no fim da noite, acabamos eu e minhas amigas no Habbis pra fazer um lanchinho, no carro claro a música da viagem.


sábado, 14 de maio de 2016

Recife - Dia 3 - Enfrentando o mar calmo nessa vida dura.

Sábado acordamos cedo para irmos conhecer uma das praias consideradas uma das mais bonitas do Brasil. 

A praia dos Carneiros.

A Praia dos Carneiros fica localizada a cinco quilômetros da cidade de Tamandaré e é o resultado do encontro do Rio Formoso com o mar, na margem oposta ao rio fica a praia de Guadalupe em Sirinhaém. Paisagem encantadora com sua areia alva e solta, coqueirais e formações rochosas que se transformam em piscinas naturais com águas claras e mornas, que deixam o local ideal para o lazer. (Fonte: Bora Bora)

A parte boa de ter pessoas que moram na cidade é eles te levarem e indicarem os lugares locais, as melhores coisas da cidade e amo poder usufruir disso.

Demoramos uma hora e meia mais ou menos para chegar na praia (90 Km), dizem que essa praia é de difícil acesso, mas não tivemos dificuldades, tem uma estrada boa de Recife até lá, porém, durante bastante tempo via única, a entrada para a praia se dar por meio de restaurantes (propriedades privadas) e o preferido da minha amiga é o Bora Bora

Parece que tem outros meios de chegar até a praia (via catamarã e barcos), mas como só tem os restaurantes por lá, acho que o melhor acesso é por eles mesmo, por que, você só vai ter a opção de comer lá, a menos que leve algum lanche, mas a estrutura é minima na praia.

Já ouvi relatos também de que com a maré alta a viagem de barco fica um pouco perigosa e aventureira. Minha amiga relatou que uma vez deixou para fazer o passeio de lancha mais tarde e foi bem complicado com a maré subindo e a força da água.
Foto by Déa Prado

O restaurante tem uma boa infraestrutura como banheiros, redes, espreguiçadeiras, duchas de água doce, muitas mesas, rápido e bom atendimento, passeio de lancha, catamarã e barco e comida boa.

Foto by Déa Prado

Foto by Déa Prado

Creio que devido a baixa temporada os passeios estavam em promoção, o catamarã custa (R$ 40,00) e a lancha (R$ 50,00), mas nesse dia a promoção era a lancha no mesmo valor do catamarã.

Minha amiga é muito comunicativa, simpática e persuasiva e conseguiu mais desconto, pagamos R$ 35,00 cada um para um passeio de mais ou menos 1 hora de lancha. 

Diferente do catamarã no passeio de lancha fomos somente nos cinco. (minhas duas amigas, o filho e o marido de uma delas e eu).
Negocie você também, quanto mais gente, creio que mais fácil um desconto.

Bom a praia é linda demais, uma das mais belas que fui realmente. 

Ao sair do restaurante e alcançar a areia com a maré alta a água chega quase até a saída do restaurante, não tendo quase areia, na foto a maré estava bem baixa e é possível ter acesso não só a uma pequena faixa de areia como a uma piscina natural, os corais, cheia de peixas e com uma barreira de pedras grande que evita que o mar a cubra, essa travessia com a maré baixa pode ser feita com água a baixo da cintura. Esse acesso dura somente em quanto a maré estiver baixa, algumas horas.


Foto by Déa Prado

Foto by Déa Prado
No passeio de lancha visitamos essa piscina, que devido a lotação dos catamarãs voltamos mais tarde (á pé...rs) como descrito acima.

Lá ficamos durante uma hora mais ou menos só curtindo o sol e a paisagem, infelizmente não levei meu celular para lá e não tirei nenhuma foto, mas é atrás dessas pedras que aparecem na imagem acima a  baixo do guarda sol azul e verde

Mas retirei essa foto do blog Histórias da Di para que possam ter uma noção da beleza dessa piscina natural.

Leve chinelo, celular para as fotos, e não esqueça do filtro solar e de ficar de olho na maré.

Foto retirada do blog Histórias da Di 


Visitamos também uma igreja do século XVII, perto do encontro do rio com o mar, e passamos em frente a casas de veraneio de famosos.

Foto by Déa Prado

Perto da igreja fica a minha parte da praia preferida, com água no peito meio agachada, é o melhor lugar para um banho de mar.

Foto by Déa Prado

O mangue onde tem aquele banho de lama clássico e onde não quisemos descer.

Depois paramos em uma faixa de areia repleta de vendedores de comidinhas (espetinhos diversos, caldinho de feijão, bebidas, caipirinhas) e tratamento com lama que prometem rejuvenescer e ambulantes de biscoitos e de uma cocada maravilhosa que comprei e comi até me acabar (5 por R$ 10,00). Se forem não deixem de comprar e trazer para mim...rs.


Foto by Déa Prado.

Nossa próxima parada foi nesse recife que fica no mar (alto não sei?), e que com a maré baixa é possível usufruir do que seria o fundo do mar (?)

Foto by Déa Prado

Foto by motorista da lancha.

Após o passeio de lancha, voltamos para o restaurante, que deixa a sua mesa reservada e inclusive algumas pessoas deixam suas coisas na mesa, eu como boa Paulistana levei minha bolsa comigo no passeio... Mas tem guarda volumes.

O almoço foi um peixe é claro super diferente e saboroso, que agora não me recordo o nome para recomendar (mas tinha alcaparras, cogumelo, legumes), mas todos os pratos são bem servidos e servem duas a três pessoas, depende é claro do apetite de cada um. 

Pedimos dois pratos, o de peixe e uma carne e sobrou arroz, o peixe e a carne pedidas foram suficientes. Não lembro o valor exato do almoço, mas foi menos de R$ 60,00 por pessoa, com comida, bebidas, porção de batata frita. (4 adultos + 1 criança).

Dica da minha amiga, levamos na bolsa uma roupinha limpa para tirar o biquíni molhado e assim podermos passear após a praia.

Entre a praia dos Carneiros e Recife passamos por Porto de Galinhas e paramos por lá na volta para conhecer e fazer comprinhas.

Foto by Déa Prado


Como todo ponto turístico tem produtos que só encontra por lá, por isso, o que achar bacana não deixe de comprar, por que, a gente nunca sabe quando e se iremos voltar.

Sempre que viajo me arrependo de não ter comprado algo, o meu arrependimento em Porto, foi não ter trazido um azulejo com frases que tinha por lá (Dependendo do tamanho: R$ 25,00/R$ 40,00/R$ 60,00) para mim, uma saída de banho de borboletas (R$ 65,00) e um brinco bapho que eu e minhas amigas ficamos apaixonadas (R$ 75,00).
Mas como em todas as viagens a gente tem um “budget” e não pode esbanjar muito...

Trouxe comigo um azulejo pequeno (R$ 25,00) com uma frase sobre comida para uma amiga que ama cozinhar, uma saída de praia branca que estava precisando e estava na promoção (R$ 45,00) e uma havaianas daquelas que prendem atrás que não encontrei aqui para comprar e que ajuda muito quem não tem todos os dedinhos perfeitos como é o meu caso (R$ 34,90)

Porto de galinhas é linda, adorei a praia, mas bem turística, cheia de lojinhas, restaurantes. 

Foto by Déa Prado

A noite as ruas principais lotam de turistas passeando, ou indo jantar nas diversas opções, o ar se enche de música, cheiros e zumzumzum.
A sugestão da minha amiga se chama Barcaxeira, um restaurante fofo demais, recém reformado cheio de coisas bonitinhas enfeitando. 

Foto by Clau



Foto by Clau

Foto by Déa Prado


Eu já tinha comido uma pizza cone (R$ 12,00) e meus amigos um crepe, aqui nessa esquina colorida e não estava mais com muita fome.



Então só pedimos uma porção de escondidinho de camarão e uma saladinha deliciosa. (minha parte aqui foi de R$ 32,00 dividido por 4).



Para calcular o quanto é suficiente, saibam que foi suficiente para nós quatro por que já tínhamos comido outras coisas e o filho da minha amiga nem quis comer nada daqui, deu pra cada um comer um prato pequeno. Mas nossa dica é que esse prato serve de duas a três pessoas com fome.

Já era noite quando voltamos exaustos, porém, felizes com um dia de mar calmo e delícias sem fim.