sexta-feira, 28 de abril de 2017

Como programar uma viagem - Uma transplantada no mundo - Medo da comida e da médica.

E quanto mais pesquisas eu fazia, mais um novo universo se mostrava pra mim.

Eu que adoro viajar antes da viagem, comecei a pirar e enloquecer minha mãe com cada descoberta que eu fazia.

Ah...antes de comprar a passagem, eu aprendiz que sou com essa questão de grupo, falei com meu novos conhecidos, dos quais eu só conhecia pessoalmente minha amiga Dione, como seria a viagem(?) Quais eram os planos deles (?) e principalmente qual era o "budget" deles, sim por que vai que eles ficassem em hotel 5 estrelas, fizessem os translados de avião na classe executiva, e andassem só de limosine...rs...o delirio é infinito numa cabeça como a minha.

Até então, a ideia da minha amiga e de todos eram: compre a passagem e depois veremos, mas eu insistente, precisava de um universo de grana a ser investida (?).

Como o país para onde vamos é bem barato e o possível segundo país mais barato ainda, eu fiz, refiz as contas, cortei saídas de carro para economizar a gasolina, passeios, cinemas, presentes, comemoração de aniversário, idas a padaria, idas ao mercado, todos os rituais de beleza...rs, viagens no feriado, viagem no verão, e por aí vai....

Sim era possível eu navegar nesse universo junto com eles. Desde que eu cortasse e me programasse financeiramente e abrisse mão de muitas coisas, o foco agora era só a viagem.

Minha mãe me presenteou com várias coisas que eu precisava de roupas, mala, a produtinhos.

O falado por eles era que U$ 1500 eram suficientes para todo o resto fora a passagem que eu já havia comprado e que estou pagando parcelado. Todo mundo dizia...a passagem para lá é o item mais caro...rs...

E eu embarquei.....

Daí vem comigo...meu próximo capitulo de piração foi a comida...

Lá é tudo picante, misturam muito o doce com o salgado, o azedo com o amargo, tem muita sopa e a higiene não é considerada de primeiro mundo.

Pensei ferrou, minha médica vai me proibir de ir...rs

Mas daí comecei a pesquisar os pratos e fui vendo que não morreria de fome e nem morreria...
Fui anotando comidas que me apeteciam e que tenho vontade de experimentar....
E assim fui me acalmando...







Dicas:
Comer em restaurantes e não na rua.
Procurar comer as coisas cozidas e não cruas
Tomar só água engarrafada e torcer para ser mineral mesmo...rs
Procurar não tomar bebidas com gelo (num calor de 45 graus...rs)
E rezar, rezar muito...rs

E assim fui caminhando...
Passaporte renovado.
Certificado de isenção em mãos
Vacinas tomadas (as que posso)
Ansiedade sobre a comida sobre controle.

Era hora de na consulta já marcada com a minha médica...falar para ela para onde eu ia.

Fui preparada com zilhoes de dúvidas que divido aqui com vocês:

E que mesmo que você não seja transplantado eu sugiro que tome as mesmas precauções, já que se medicar sem conhecimento médico pode trazer danos sérios a sua saúde.

Minhas dúvidas eram essas, exatamente como estão anotadas...


Dra Lúcia (MARÇO)
Contar para onde vou
Ver quais vacinas é interessante eu tomar antes de ir
Febre amarelo (não posso)
Febre Tifoide 
Tétano (tomei)
Hepatite A (Tomada)
Hepatite B (Tomada)
Dengue - Repelente
Raiva
Paludismo? Malária...pega com picadas de mosquitos 
Gripe Aviária? (Perto de lugares onde tem animais e os matam) 
Laudo médico falando que não posso tomar Vacina febre amarela
Receita em inglês da medicação imuno
Receita em inglês da medicação paralela 
Ver que repelente devo tomar (:?) e aplicar (?) 
Ver como devo tomar a medicação com o fuso horário de + 10 hora 

Dor de cabeça (Paracetamol)
Dor de barriga (?) 
Para dormir (?)
Enjôo (Plasil)

As vacinas que eram importantes eu tomar eu já tinha tomado e nenhuma outra seria necessário.

Ela me deu o laudo médico que é na verdade o Certificado de isenção da vacina contra a febre amarela...só que esse assinada por ela.

Me deu uma receita em inglês da medicação diária que tomo e que sem ela eu não sobrevivo...e por eu carregar uma quantidade grande é bem importante ter essa receita em inglês para não ser barrada na entrada no país.

Pedi também a da medicação paralela, básica, mas ela não achou necessário me dar....mas eu queria...rs

Repelente, uma prima, casada com cara que pesca no Pantanal tinha me indicado o Exposis por ser um dos mais fortes que tem e a médica disse que podia ser qualquer um.



Me orientei como tomar minha medicação com o fuso horário de mais 10 horas de diferença e no meu caso é de 12/12 horas, tentar acertar um horário mais digno que não seja de madrugada.

Perguntei quais medicamentos deveria tomar em caso de:
Dor de cabeça
Cólica
Enjoo
Dor de barriga
Aproveitei que um outro médico tinha me indicado Rivotril por conta do zumbido no ouvido e ela achou bom eu tomar para isso e também para dormir melhor, diminuir a ansiedade.

Além disso ela me instruiu a comprar um antibiótico e levar comigo, e caso eu sinta qualquer coisa, como piriri, dor de cabeça, dor de barriga, infecção urinaria é para eu entrar em contato com ela via whatsApp de emergência que ela vai me instruir como tomar.

E assim, no final da consulta ela me abraçou forte e eu disse:

Eu estava com medo de você achar ruim para onde vou, mas eu aceitei o convite da minha amiga sem pensar muito, por pensar ... Quando é que vou ter outra chance na vida, outro convite para ir para lá (?).
Ela concordou comigo, me olhou nos olhos e disse: Que issoooo vá para onde você sonhar!!!!

Saí de lá com o coração acalentado, acariciado por alguém que sabe por tudo que passei, e que nada disso deve impedir de eu sonhar, de tentar ser normal, claro há cuidados, eu preciso gerar uma energia muito maior que a maioria para diversos assuntos que já são chatos, mas sim eu estou viva e preciso ir para onde eu sonhar. E eu agradeço a Deus, a chance de apesar de tudo, ter uma médica, uma amiga, alguém com quem posso dividir minhas angustias e dilemas, e sonhar de novo, viajar, ir e vir, fazer planos... Continua...

Nenhum comentário:

Postar um comentário